So faltam meses, dias, horas, minutos, e segundos para o ano 2012

Madeleine

Banner1
Click here to download your poster of support

Radio Viseu Cidade Viriato

sábado, 3 de julho de 2010

03-07-2010 Mundial 2010

Mundial de Futebol - Africa do Sul / 2010

Holanda 2 - 1 Brasil

video

Uruguai 5 - 3 Gana

video

Primeira pagina - 03-07-2010

Biblioteca Municipal recebe cerca de 400 visitantes por dia


Se outrora, as bibliotecas eram sinónimo de sabedoria e conhecimento, actualmente procuram responder às novas exigências culturais, de informação e aprendizagem.
No âmbito do Dia Mundial das Bibliotecas, que na quinta-feira se assinalou, o Diário de Viseu visitou uma das instituições que mais investe no incentivo à leitura - a Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva.
Inaugurada em 2002 e apostando numa profunda remodelação, a Biblioteca presta homenagem a D. Miguel da Silva, bispo de Viseu.
Hoje em dia, o espaço bibliotecário é muito visitado, contando, este ano, com uma média de 411 visitantes/dia. Entre crianças, jovens, adultos, estudantes, investigadores, "leitores de jornais" e apreciadores de áreas da multimédia, a instituição apresenta um leque de opções e actividades que agradam a todos os tipos de público.
As crianças são, contudo, o público no qual mais se aposta, uma vez que, "muitas vezes, vão lá e participam em algumas actividades, gostam do espaço e acabam por trazer os pais", explica Ana Paula Santana, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Viseu.
Muitas das actividades desenvolvidas ao longo deste ano destinaram-se aos mais pequenos, acções essas que tiveram sempre em conta o dinamismo e a interacção com as próprias crianças, para que estas não fossem apenas espectadores passivos, mas sim parte da história.
O 'Carnaval na Casa dos Livros', o 'Dia Mundial da Criança' e o '3.º Festival de Música da Primavera' foram apenas algumas das actividades já desenvolvidas.
De acordo com Ana Paula Santana, "neste tipo de actividades tentamos que exista também uma interacção entre gerações. Nesse aspecto, muitas vezes contamos com a participação de pessoas mais velhas, que ao lado das crianças acabam por, ou contar as histórias dos livros, ou até por contar as suas próprias histórias. "
Além desta vertente dedicada aos mais pequenos, estão constantemente à disposição do público diversos ateliês de música, expressão plástica, contos e leitura, assim como espectáculos, exposições, e lançamentos de livros.
Os visitantes com deficiência também não são esquecidos, existindo facilidade de acesso e uma sala Braille, reservada aos invisuais.
A Biblioteca Municipal aposta ainda na interacção com bibliotecas escolares do 1.º Ciclo, através do programa SABE (Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares), no qual alguns técnicos da Biblioteca Municipal fazem todo o acompanhamento das bibliotecas instaladas nas escolas, desde a aquisição de material ao tratamento do fundo documental.

Arquitectura
desperta visitantes
Engane-se quem pensa que apenas os livros atraem os visitantes ao espaço bibliotecário. "Existem, por exemplo, inúmeros estudantes de Arquitectura que vêm para contemplar a arquitectura do espaço, assinada pelo arquitecto Manuel Tainha", explica a vereadora da Cultura.
Apostando na inovação, já estão em mente alguns projectos, nomeadamente, um programa que abranja os grupos de exclusão, com visita de reclusos às instalações à biblioteca, um projecto que, segundo Ana Paula Santana, "ainda está a ser pensado".
Futuramente, aposta-se no serviço de digitalização de algumas obras, exemplares únicos e valiosos, para assegurar a salvaguarda do património. "A biblioteca possui um grande benfeitor, Luís Beira, que nos ajuda a ter um espólio com um enorme conjunto de obras doadas - a BDTeca Luís Beira", salienta.

Tem a voz o leitor
Para ler o jornal ou estudar em época de exames, as opiniões generalizam-se entre os visitantes. "Mais livros nas diferentes áreas científicas" é pedido frequente dos leitores, uma questão que, diz Ana Paula Santana, "é complicada, uma vez que temos que ter em conta um público mais geral e não cada área em específico".


(*) - Aluna da Escola Superior de Educação em
estágio no Diário de Viseu


DV

Fóssil de «monstro marinho» descoberto no Peru

Foi descoberto no Peru um fóssil de um cachalote gigante que viveu há 12 milhões de anos, revela um artigo publicado esta quarta-feira na revista Nature, citado pela AFP.

O «monstro marinho» agora descoberto foi baptizado de «Leviathan Melvillei», numa homenagem a Herman Melville, autor do famoso «Moby Dick».

Este é «o maior cachalote fóssil já encontrado, com dentes colossais», de até 36 cm de comprimento, «10 cm a mais que os dentes dos maiores cachalotes actuais», explicou Olivier Lambert, principal autor do estudo.

O fóssil foi descoberto por uma equipa de paleontólogos de várias nacionalidades em Novembro de 2008, no deserto da região de Ica, no sul do Peru.

Até agora, só se tinham encontrado alguns dentes isolados desta espécie no Chile. Desta vez, foi encontrada uma «mandíbula inferior, boa parte do crânio e dentes», mas nada do esqueleto além do crânio, o que obriga os cientistas a calcular o comprimento do animal.

Com um crânio de três metros, o comprimento do «Leviathan Melvillei» é estimado entre 13,5 e 17,5 metros.

Este «monstro» comia baleias e tinha um adversário temível: «Um tubarão gigantesco, muito maior que o actual tubarão branco, com um comprimento de 12 a 15 metros», contou o cientista.

TVi24


video

Oito genes na perda de cabelo

Oito genes na perda de cabelo

A descoberta de oito genes implicados na perda de cabelo, publicada hoje na revista Nature, poderá abrir a porta a novos tratamentos para este problema, que afecta milhões de pessoas em todo o mundo.

A equipa da investigadora Angela Christiano, da Universidade de Columbia, em Nova Iorque, estudou as variações genéticas de mais de mil casos de pessoas afectadas pela forma mais comum de alopécia (perda de cabelo) e analisou outros três mil sem essa doença auto-imune, e identificou assim os segmentos genéticos ligados à predisposição para esse problema.

Os investigadores isolaram oito genes, entre os quais um chamado ULBP3, que tem um papel primordial no surgimento do problema. Algumas terapias experimentais já em curso para outras doenças auto-imunes, como a doença celíaca, poderão em breve iniciar- -se também nestes casos.

DN

Queiroz reafirma que está fora de questão a sua demissão

Queiroz reafirma que está fora de questão a sua demissão

(VÍDEO) O seleccionador nacional de futebol, Carlos Queiroz, reafirmou hoje, à chegada a Lisboa, que está fora de questão a sua demissão após a eliminação de Portugal do Mundial 2010.

Carlos Queiroz sublinhou que Portugal perdeu por 1-0 frente "à segunda melhor equipa do ranking da FIFA e a actual campeã europeia".

À saída da sala VIP do aeroporto da Portela, Queiroz ouviu críticas de alguns adeptos e foi aplaudido por outros.

O avião que transportou os jogadores desde Joanesburgo aterrou no aeroporto da Portela às 05:56 de quarta.

DN

video

Vida complexa surgiu antes do que se pensava

Vida complexa surgiu antes do que se pensava

Fósseis mostram que seres pluricelulares nasceram há 2,1 mil milhões de anos.

A descoberta foi feita no Sudeste do Gabão, num local perto de Franceville, e promete causar grande sensação, porque faz recuar em 1,5 mil milhões de anos o aparecimento da vida complexa na Terra. Ou seja, a vida pluricelular terá surgido no planeta há 2,1 mil milhões de anos e não há 600 milhões, como se pensava até hoje, com base nos registos fósseis que estavam disponíveis. O impacto científico da novidade é tal que a revista Nature decidiu fazer capa dela na sua edição de hoje.

Foi a descoberta de uma série de fósseis complexos com 2,1 mil milhões de anos, por um grupo internacional de cientistas, liderado por Abderrazak El Albani, da Universidade de Poitiers, em França, que veio alterar aquelas datas.

As primeiras formas de vida na Terra surgiram há 3,5 mil milhões de anos e não passavam de seres unicelulares (com uma única célula), como as bactérias, e sem núcleo interno para "guardar" o material genético. Estes seres sem núcleo celular são os chamados procariotes. Os mais complexos, com núcleo celular, são designados eucariotes.

Em Franceville, a equipa de El Albani encontrou mais de duas centenas de fósseis com dimensões entre um e 12 centímetros, pluricelulares e eucariotes. Têm uma forma arredondada e em espiral - a equipa confirmou sem margem para dúvidas a sua origem biológica - e a sua datação acabou por explodir como uma bomba: 2,1 mil milhões de anos.

O eucariote (com núcleo celular) mais antigo que se conhecia, chamado Grypania spiralis, tem 1,6 mil milhões de anos e, mesmo assim, era composto de uma única célula. Daí a alteração radical que esta descoberta vem implicar na visão que a ciência tem sobre a evolução da vida na Terra.

A identificação de uma forma particular de enxofre nos fósseis e de um biomarcador confirmaram respectivamente a origem biológica dos fósseis e também a sua natureza de eucariotes.

Por outro lado, a sua dimensão exclui a possibilidade de se tratar de vestígios de seres unicelulares simples e primitivos, de acordo com a equipa que os encontrou e estudou.

Segundo o coordenador da investigação, a sua forma indica que poderiam ter sido organismos que viviam em suspensão na água ou junto ao fundo marinho, como explicou à AFP. Convicto da importância do achado, El Albani propõe que o local onde ele foi feito seja considerado património da humanidade.

DN

Pegou fogo ao escritório para sair mais cedo

Há quem arranje desculpas de todo o tipo para faltar ao emprego ou apenas para sair umas horas mais cedo. Um americana chegou ao extremo, ao pegar fogo ao escritório para ser dispensada pelo chefe, noticia a Globo.

Michelle Perrino incendiou o local de trabalho, no estado da Florida, apenas porque não queria sair à hora habitual.

A americana não foi descoberta até ser denunciada por uma colega, que ainda a acusou de faltar constantemente ao emprego.

Michelle foi condenada a nove meses de prisão e ainda teve de pagar uma multa a empresa.

TVi24

Meio mundo a "torcer" pelo Paraguai (Galeria)

Meio mundo a "torcer" pelo Paraguai (Galeria)

A modelo paraguaia, Larissa Riquelme, afirmou a uma rádio do seu país que se vai despir na Praça da Democracia, em Assunção, se a sua selecção se apurar para as meias-finais.

O Paraguai vai defrontar a Espanha a 3 de Julho, nos quartos-de-final do Mundial da África do Sul. Mas não é só dentro das quatro linhas que o jogo já anda a "mexer" com os adeptos de todo o mundo.

É que Larrisa Riquelme, uma mediática modelo paraguaia, de 25 anos, que se tem destacado pelo fervoroso apoio à sua selecção, afirmou a uma rádio do seu país que se os guaranis se apurarem para as meias-finais do campeonato do mundo vai despir-se na Praça da Democracia, em Assunção, capital do país.

Se a selecção espanhola, por intermédio de Sara Carbonero, jornalista da Telecinco e namorada de Iker Casillas, tem despertado o interesse dos media e dos adeptos fora dos relvados, as contas ficaram agora mais equilibradas nos quartos-de-final com este "reforço" de peso do Paraguai.

Assim, se no relvado não se sabe o que vai acontecer quando a bola começar a rolar no estádio Ellis Park, em Joanesburgo, o mais certo é que depois desta revelação, meio mundo esteja a "torcer" nas bancadas para que o Paraguai passe às meias-finais!

DN

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Primeira pagina 02-07-2010

Acidente de carro provocado por «vampiro perdido»

Parece que os vampiros andam a atacar no estado do Colorado, de acordo com uma mulher, que jura que teve um acidente de carro por causa de um vampiro

A mulher diz que se deparou com um pequeno drácula no meio de uma estrada de terra batida, no domingo à noite. Alegou ter ficado surpresa com a presença da criatura, despistou-se e caiu num canal.

A mulher não ficou ferida e foi levada para casa pelo marido. As autoridades não suspeitam que drogas ou álcool tenham motivado o acidente.

Se havia mesmo um vampiro, pelo menos era amigável, pois deixou a mulher escapar.

TVi24

video

Mulher come de 15 em 15 minutos mas não passa dos 30 quilos

Aos 21 anos a norte-americana Lizzie Velasquez pesa apenas 30 quilos. Não é anoréctica nem tem a mania das dietas. Os alimentos preferidos até são donuts, pizza e batatas fritas. Tem sim uma síndrome rara que não permite ganhar gordura corporal.

De acordo com a BBC esta condição, até hoje não diagnosticada, será partilhada apenas por mais duas pessoas no mundo.

Lizzie tem 0 por cento de gordura corporal, uma aparência frágil e um sistema imunológico mais fraco do que o de uma pessoa comum. No entanto leva uma vida praticamente normal.

«Já visitei vários médicos diferentes durante toda a minha vida e, simplesmente, não há respostas», explica Lizzie, que também é cega de um olho e tem dificuldades de visão no outro.

«Eu como tudo o que quero o dia inteiro e simplesmente não consigo ganhar peso. A síndrome é muito intrigante porque tem características de diferentes síndromes, mas não chega ao ponto em que posso ser diagnosticada com nenhuma delas», lamenta.

Há várias pistas, mas nenhuma confirmada a 100 por cento: «por exemplo, uma delas é a progeria (síndrome da velhice precoce). Eu tenho várias das características físicas das crianças com progeria, como o nariz aquilino, a boca pequena e a pele com aparência envelhecida», acrescentado que «a diferença é que a progeria é uma doença terminal e tem muito mais complicações. Só tenho as características que listei da doença».

Segundo o Daily Telegraph, Lizzie tem que comer a cada 15 minutos e consumir entre 5 mil e 8 mil calorias por dia, na tentativa de manter o peso.

Lizzie Velasquez nasceu um mês antes do previsto, pesava um quilo e teve cuidados intensivos durante seis semanas.

«Ela cabia na palma da minha mão», conta a mãe. «Sabíamos que havia algo errado porque a sua pele era translúcida e conseguíamos ver as veias».

Os médicos disseram que a menina provavelmente não conseguiria andar, gatinhar, falar ou até pensar. Mas a verdade é que os órgãos desenvolveram-se normalmente e Lizzie seguiu uma vida normal, apesar de algumas cirurgias e dos olhares curiosos.

Hoje estuda na universidade e dá palestras onde fala sobre bullying, aparência física e sonhos.

«Se eu consegui chegar até aqui com minha aparência, todos conseguem», diz.

TVi24


video

«Reportagem TVI:» descubra aqui a arte do chocalho

A reportagem desta terça-feira da TVI mostra-lhe uma arte antiga de Portugal: o fabrico do chocalho.

Veja a reportagem e saiba mais sobre a história de um ofício quase perdido.

Chocalhos
TVi24

Americanos aceitam ajuda internacional para acabar com maré negra

Os Estados Unidos aceitaram a ajuda de doze países e organizações internacionais para lidar com o derrame de petróleo no Golfo do México , noticia a Lusa.

O Departamento de Estado, em comunicado, na terça-feira, informa que está a trabalhar os pormenores dessa ajuda.
E mais não esclarece. A identidade dos países e das organizações não foi divulgada. Mas, o porta-voz do Departamento de Estado, P. J. Crowley, já havia dito que os Estados Unidos tinham recebido ajuda do «México, Noruega e Brasil» e aceite a ajuda de «Canada, Croácia, Holanda e Japão», para além de duas organizações internacionais, a «Organização Internacional Marítima e o Centro de Informação Monitorizada, às ordens da Comissão Europeia», cita a Associated Press.

As duas organizações contribuem com assistência técnica, tal como a Croácia. México, Noruega, Holanda e Japão fornecem maquinaria de limpeza. O Canadá leva material para isolamento do crude.

A administração Obama vai ainda analisar outras ofertas internacionais para ajudar a acabar com a maré negra do Luisiana. À Casa Branca chegaram mais de trinta ofertas do género. Tudo com cautelas. Afinal, Não há almoços grátis. A maioria dos países espera ser paga pela ajuda.

Costuma ser ao contrário. Os Estados Unidos é que estão sempre na linha da frente dos países que prestam ajuda internacional. A magnitude do desastre leva o país a aceitar ajuda. Tal só acontecera depois do furacão Katrina.

TVi24

Apanhado pela PJ após um ano a abusar de meninas

Apanhado pela PJ após um ano a abusar de meninas

Homem desempregado era vizinho das quatro vítimas com idades dos sete aos 12 anos

Impulso. Foi esta a justificação que o homem de 52 anos detido segunda-feira por abusos sexuais a pelo menos quatro meninas deu à Polícia Judiciária de Lisboa para o seu comportamento sexual.

Segundo fonte policial, há mais de um ano que o homem abusava das crianças que viviam próximas de si. Mas só no sábado uma das suas vítimas denunciou o caso, num bairro de Sacavém, arredores de Loures.

Assim que ele a apalpou, a menina de apenas sete anos começou a gritar, fugiu e contou tudo à mãe. Foi ela quem denunciou o caso à Polícia Judiciária.

A partir deste caso, os investigadores descobriram que este não tinha sido um crime isolado. Pelo menos outras três meninas, entre os sete e os 12 anos, tinham sido vítimas. Uma delas com maior gravidade. Ainda de acordo com a mesma fonte, foi sujeita a sevícias sexuais mais graves, como sexo oral. "As vítimas tiveram alguma dificuldade em relatar os actos, mas depois percebemos que todas elas tinham sido abusadas", revelou a mesma fonte, dando conta de que, em casos de abuso sexual, as vítimas sentem culpa, mesmo não tendo nenhuma.

O suspeito em causa estava desempregado e chegou a trabalhar como pedreiro. Vivia sozinho e não teria ligações familiares. Os pais das vítimas conheciam-no e até confiavam nele.

Os abusos sexuais terão corrido na casa do agressor, perto das casas das vítimas e numa pequena associação do bairro onde foram registados os crimes.

O suspeito confessou que há mais de um ano que "tinha estes impulsos sexuais" e que não conseguia explicar porquê, apesar de saber que o seu comportamento era reprovável e punível por lei. Diz que "era um impulso".

Terá sido também essa a justificação que deu ontem ao juiz de instrução do Tribunal de Loures, onde foi ouvido para lhe ser aplicada uma medida de coacção. Até agora, o suspeito não tinha qualquer mancha no seu cadastro criminal.

As meninas foram levadas ao hospital para serem submetidas a exames médicos, cujos resultados deverão ser apensos ao processo.

Em Portugal, mais de 90% dos abusadores comuns são pais, tios, avós ou amigos próximos da família, como concluiu um estudo já divulgado pela Judiciária e levado a cabo pela psicóloga Cristina Soeiro. "O abuso sexual não é um acto, é uma relação complexa que se estabelece entre agressor e vítima. Não é sinónimo de pedofilia", explicou na altura.

Quem sofre de parafilia - os chamados pedófilos - prefere crianças mais jovens e pensa em estratégias de sedução, como oferecer bens à vítima. Como escolhem crianças mais novas, muitas vezes não passam dos actos masturbatórios, explica a psicóloga. Já os abusadores sexuais comuns tendem a construir uma relação e chegam à relação sexual completa, mas não de forma abrupta.

DN

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Primeira pagina - 01-07-2010

12% dos 'sites' que existem são de pornografia

12% dos 'sites' que existem são de pornografia

A indústria da pornografia 'online' gere anualmente 3,9 mil milhões de euros

O mercado pornográfico online é actualmente um dos mais rentáveis da Internet, gerando anualmente à volta de 4,9 mil milhões de dólares (cerca de 3,9 mil milhões de euros). Com a recente aprovação do domínio .xxx, que será dedicado exclusivamente a conteúdo pornográfico, foi dado a conhecer um estudo que refere que 12% dos sites que existem são pornográficos, segundo noticiou o jornal espanhol El Mundo. Ao todo existem 370 milhões de sites pornográficos.

Dos 3,9 mil milhões de euros que o mercado pornográfico gere na Internet, metade é proveniente dos países da União Europeia. Entre estes países há 40 milhões de pessoas que visitam regularmente sites dedicados à pornografia, sendo que dominam as pessoas com idades compreendidas entre os 18 e os 24 anos.

Além disso, 23% dos homens inquiridos admitem que vêem sites porno nos seus postos de trabalho, enquanto entre as mulheres, 13% referiram que também o fazem.

A aprovação do domínio .xxx pela ICANN (agência norte-americana que regula a atribuição de domínios e endereços online) está a provocar bastante controvérsia, especialmente entre as organizações mais conservadoras. Todavia, este é um mercado com bastante poder. Basta analisar os números publicados pelo El Mundo, que refere que por segundo esta indústria consegue gerar mais de 2400 euros, sendo que também a cada segundo estão 2,8258 utilizadores a ver pornografia online. Mas não são só as organizações mais conservadoras que estão preocupadas com a aprovação do domínio .xxx. Alguns fornecedores de pornografia online temem que passe a ser obrigatória a adesão ao .xxx, algo que consideram "uma violação da liberdade de expressão".

Este estudo noticiado pelo jornal espanhol refere ainda que, diariamente, são feitas 116 mil pesquisas na Internet com as palavras "child pornography" (em português "pornografia infantil"). A idade média de uma pessoa que vê pela primeira vez pornografia na Internet é de 11 anos.

Desde o ano 2000 que têm sido feitas propostas à ICANN para se criar um domínio online só dedicado a conteúdo pornográfico, mas todas foram rejeitadas até agora. E, apesar de desde sempre os mais conservadores se terem oposto ao .xxx, em 2001 o congressista republicano Fred Upton referia que era a favor, já que considerava que a criação deste domínio online poderia ser um meio de combate à pornografia.

DN

Um polvo que adivinha os resultados dos jogos do Mundial

Quem vai ganhar o jogo? Esta é a pergunta mais colocada em ano de Mundial e em muitas empresas há mesmo que faça dos palpites algo mais organizado. O mesmo acontece no aquário Sea Life, na cidade alemã de Oberhausen, mas com um resultado imprevisto: o vencedor (para já), com 100% de palpites certos, é um polvo chamado Paul.

Paul tem dado os prognósticos para todos os jogos da Alemanha e nunca falhou, tendo mesmo acertado na derrota da selecção alemã frente à Sérvia e a vitória frente à Inglaterra.

Para saber qual o palpite de Paul, os tratadores põem duas caixas de plástico com comida, sendo que uma tem a bandeira alemã e a outra com a do adversário.

«Tudo começou em 2008 com o campeonato da Europa. Paul é um animal extremamente curioso e inteligente. Tentamos mantê-lo ocupado» explica uma responsável do aquário, citada pelo Globo.

TVi24

Picado por 300 abelhas!

Se uma picada de abelha pode ser muito dolorosa e mortal, 300 são morte certa.

Foi o que aconteceu a um homem no interior do estado de São Paulo, numa propriedade rural em Tarumã. O topógrafo de 42 anos foi atacado pelas abelhas na companhia de um amigo, que conseguiu escapar, relata o G1.

Os bombeiros tentaram ajudar o indivíduo mas nada puderam fazer.

TVi24

F1: Acidente espectacular entre Mark Webber e Heikki Kovalainen

Um acidente espetacular entre Mark Webber e Heikki Kovalainen, na 11ª volta do Grande Prémio da Europa de Fórmula 1, em Valência, Espanha, obrigou à neutralização temporária da prova.

O australiano, segundo da grelha, mas com uma partida desastrosa, tinha acabado de fazer uma troca de pneus prematura quando embateu violentamente na traseira de Kovalainen.

O monolugar levantou voo e capotou, acabando por sair descontrolado por uma escapatória. Nenhum dos pilotos sofreu qualquer ferimento, apesar do aparato do acidente.

A prova está a ser dominada pelo alemão Sebastien Vettel ao volante de um Red Bull-Renault, seguido do britânico Lewis Hamilton.

TVi24


video

Todos contra encerramento de escolas no distrito de Viseu


Os presidentes das juntas de freguesia de Calde e Boaldeia mostraram-se ontem preocupados com o eventual encerramento de escolas nas freguesias que lideram. Durante a reunião da Assembleia Municipal de Viseu, os autarcas lamentaram que a medida avançada pelo Governo – fechar as escolas com menos de 21 alunos – vai “acabar com as aldeias”.
António Neves, presidente da Junta de Freguesia de Boaldeia, foi uma das vozes de descontentamento, afirmando que se a escola local encerrar – actualmente com 16 alunos – “as pessoas deixarão de ver vida em Boaldeia”. O autarca lembrou que ao se avançar com esta medida, os alunos terão de ir para outra freguesia. “Gastámos dinheiro na requalificação do edifício, os alunos têm condições. Se encerrarem a escola, as crianças são tiradas do seu ambiente natural”, sustentou.
O receio de António Neves foi igualmente salientado pelo presidente da Câmara de Viseu. Fernando Ruas sustentou que a reorganização da rede escolar tem “critérios perfeitamente discutíveis e questionáveis” e que as propostas “têm de ser apresentadas pelo Ministério da Educação ao município que tem a obrigação de as analisar ponderadamente”.
“A legislação produzida nos gabinetes ministeriais tem carácter genérico, não atendendo a situações específicas das comunidades locais, nomeadamente dos municípios do interior do País e, se não for devidamente aplicada, pode gerar situações de injustiça, incomodidade, desconforto e de claro prejuízo para essas comunidades”, disse o autarca social-democrata.
No concelho de Viseu existem 20 escolas com menos de 21 alunos, cinco delas com número inferior a 10 crianças.

Manifestação
O protesto pelo não encerramento de escolas ganhou ontem nova forma com cerca de 300 pessoas a protestarem em Viseu. Alunos, encarregados de educação e professores juntaram-se às vozes que estão contra o “abate de escolas” e a constituição de “mega agrupamentos”. Uma manifestação promovida pelo Sindicato dos Professores da Região Centro (SPRC).
Professores, pais, avós e alunos de vários pontos do distrito onde as escolas do 1.0 ciclo do ensino básico podem vir a encerrar concentraram-se no Rossio e deslocaram-se até ao governo civil.
Nas mãos levavam cartazes com inscrições como “As nossas crianças precisam de escolas nas suas aldeias”, “Abater uma escola é fechar uma aldeia”, “A melhor escola é a que fica perto do colinho da minha avó” e “Mega-agrupamentos - juntar escolas para despedir pessoal”. “Fomos entregar ao senhor governador civil duas mil assinaturas de tomadas de posição de oito concelhos do distrito de Viseu onde estas questões estão mais agudas”, explicou aos jornalistas Francisco Almeida, do SPRC, aludindo aos municípios de Mangualde, Sátão, Vila Nova de Paiva, Castro Daire, Santa Comba Dão, S. Pedro do Sul, Vouzela e Oliveira de Frades.
Francisco Almeida criticou que o Ministério da Educação (ME) não esteja a negociar a constituição de mega agrupamentos, contando que nem aos directores e aos conselhos gerais das escolas pergunta opinião.
Preocupada com a possibilidade de encerramento da escola de Prime, Viseu, onde estuda o seu neto, estava Maria do Rosário, de 72 anos. “Vou levá-lo todos os dias de manhã e buscá-lo todos os dias às cinco e meia, mas sinto-me feliz por ir lá levá-lo e buscá-lo àquela escola que é tão antiga”, contou, acrescentando que se a escola fechar não poderá continuar a apoiar o neto.
Também o presidente da Junta de Mamouros, Fernando Felício, fez questão de participar na manifestação, para tentar evitar o encerramento de uma das duas escolas da freguesia, que tem 11 alunos. “Vai trazer problemas para as crianças, que deixam de ter o apoio dos pais, aquilo a que estão habituadas e obviamente que vão sofrer”, frisou.As crianças da escola de Mamouros também mostraram a sua preocupação, levando até Viseu uma faixa onde pediam “Não encerrem a nossa escola” e outra onde se podia ler “Somos crianças mas sabemos o que queremos: primeiro as condições, depois as decisões”. l

DV

quarta-feira, 30 de junho de 2010

30-06-2010 Mundial 2010

Mundial de Futebol - Africa do Sul / 2010

Paraguai 5 - 3 Japao

video

Espanha 1 - 0 Portugal

video

Primeira pagina - 30-06-2010

Família de assassinado recebe conta do hospital de suspeito

Os familiares de um homem assassinado receberam uma despesa de 150 euros para pagar ao hospital de Viseu.

Mas o mais insólito deste caso, que aconteceu a uma família de Rãs, concelho do Sátão, é que a despesa diz respeito aos cuidados prestados ao suspeito do homicídio.

Veja a reportagem em vídeo aqui

TVi24

Cirurgião-plástico extorquido por mulher da noite

Sete meses de relação extraconjugal com uma "alternadeira" do bar Pérola Negra, no Porto, provocaram um inferno na vida de um cirurgião-plástico. Foi extorquido em seis mil euros e, durante meses, passou vergonhas: até foi insultado à porta da Igreja. O MP acusou agora a mulher.

Especializado em cirurgia estética, o cirurgião conheceu a mulher naquele estabelecimento nocturno, no final de 2007, e iniciou um relacionamento que incluía encontros em Braga, onde praticavam actos sexuais.

Os namoros secretos eram fora da cidade do Porto, porque o médico tem uma clínica nesta cidade e, desta forma, diminuía as hipóteses de familiares ou conhecidos tomarem conhecimento do caso.

O “cliente” chegou a pagar 500 euros por mês à mulher, de 32 anos, que residia na Póvoa de Lanhoso.

Só que, em Julho de 2008, o clínico entendeu pôr fim ao relacionamento, deixando de entregar qualquer quantia. Maldita a hora em que o comunicou à amante: a partir desse momento, a mulher iniciou uma perseguição implacável, exigindo-lhe dinheiro e aparecendo na clínica e à porta da residência do médico.

Os escândalos visavam destruir o homem “familiar e profissionalmente” – como ela própria dizia – e incluíam telefonemas para casa, telemóvel e trabalho. A mãe do clínico e uma tia também receberam telefonemas e denúncias por parte da mulher da noite.

Envergonhado pelos constantes tumultos, pelo facto de ter sido obrigado a dar explicações à família e por ver a sua imagem e negócio prejudicados, o médico chegou a contratar um segurança à empresa “Prosegur” para zelar pela sua integridade física e evitar a aproximação da alternadeira. Por outro lado, apresentou queixa na Polícia Judiciária e PSP. Esta força policial chegou a destacar agentes para proteger o médico em momentos mais críticos.

Porém, durante a fase das ameaças, o clínico teve dois momentos de fraqueza. No primeiro, ainda em Julho de 2008, entregou, em notas, seis mil euros exigidos pela mulher. No segundo, em Outubro, efectuou uma cirurgia plástica de graça à alternadeira, aumentando-lhe o contorno dos lábios.
Só que as exigências continuaram.

Logo a seguir, a mulher quis que lhe fosse realizada uma cirurgia ao nariz, outra de correcção de uma tatuagem numa perna e ainda outra de correcção dos orifícios para brincos nas orelhas. O médico recusou, mas logo a seguir recebeu mensagem no telemóvel, com a exigência de mais dois mil euros, em dinheiro vivo.

A 19 de Outubro de 2008, um domingo, a vítima voltou a dizer não e foi novamente vítima do instinto vingativo. A mulher da noite deslocou-se até à casa da mãe do médico. Este, temendo pela integridade física da progenitora, deslocou-se até ao mesmo local. Quando lá chegou, a alternadeira provocou um embate no carro. Mais um escândalo. E mais uma vez a chamada da Polícia ao local.

Mas, naquele dia, o martírio do médico ainda não tinha terminado. A alternadeira sabia que ele fazia parte do coro da Igreja Nossa Senhora da Conceição, na Praça do Marquês de Pombal, do Porto, e deslocou-se até ao local. À frente de toda a gente, insultou e enxovalhou o cirurgião, dizendo que tinha sido obrigada a fazer um aborto.

Este episódio repetiu-se nos domingos de 2 e 9 de Novembro. Numa das ocasiões, a mulher chegou a abordar o pároco com o intuito de denegrir a imagem do médico.

Em consequência das várias cenas, o Ministério Público do Porto acusa agora a alternadeira por vários crimes – extorsão, coacção agravada, ameaça agravada, perturbação da vida privada e dano. Está em liberdade, sujeita apenas a termo de identidade e residência. Não há data para o julgamento.

Arguida queixou-se de “violação”

A “perseguição” ao médico-cirurgião plástico e família estendeu-se até Abril do ano passado. A última queixa registada diz respeito a estragos provocados na viatura da mulher do clínico.

A 27 de Abril, com um objecto cortante, riscou a pintura. No dia anterior, e num momento em que o clínico passeava a pé com a esposa na Avenida Fernão de Magalhães, a agressora apareceu e fez o seu carro galgar o passeio. De seguida, dando a entender que tinha uma arma de fogo, disse que iria matá-los e ameaçou que iria cortar-lhes os pescoços.

Antes disso, ainda em 2008, quando percebeu que o relacionamento estava terminado, a arguida apresentou contra o médico uma queixa por “violação”. O processo que ainda corre no Ministério Público de Braga, mas deverá ser arquivado.

JN

Série "Twin Peaks" pode voltar

"Twin Peaks", de David Lynch e Mark Frost, arrebatou o público e a crítica há 20 anos, e, pelos vistos, não foi esquecida pelos fãs, a ponto de ainda hoje haver quem reclame o seu regresso. O produtor Bob Engels acredita nessa possibilidade.

Não passam seis meses sem que Bob Engels não receba um lembrete, uma mensagem com a pergunta: "Porque não fazem 'Twin Peaks' de novo?". A sua resposta ao site Moviehole, onde tocou no assunto e lançou a esperança, não é afirmativa, mas deixa a hipótese no ar.

"Se encontrássemos uma maneira de levar o projecto adiante, acredito que todos se divertiriam com o regresso".Confia ainda, segundo disse, na boa recepção do convite quando este fosse endereçado aos actores. "Seria um milagre trazer de volta o grupo, mas com tudo acertado acho que eles diriam: 'Podem contar comigo'".

"Twin Peaks" foi um marco na produção televisiva. A série exibida pela estação ABC no início da década de 90 (em Portugal, chegou através da RTP ) agarrou ao ecrã os espectadores com as múltiplas pistas fornecidas à volta do assassinato de Laura Palmer, encontrada morta num lago.

Os 30 episódios, as suas duas temporadas, criaram um movimento de acompanhamento fiel e quase religioso por parte dos que apreciavam o mistério e o suspense, e já agora, o insólito das personagens, apresentadas, muitas vezes, perdidas entre universos paralelos: o da realidade e o da fantasia. Ficandoentão por esclarecer ao espectador, se algumas cenas não passavam de mero produto da imaginação dessas figuras, ao estilo do realizador David Lynch.

Teia social típica

Quanto à história em si, "Twin Peaks", nome da localidade onde se passa a acção, relata a investigação do agente especial do FBI Dale Cooper, papel de Kyle MacLachlan, acerca do assassinato de uma jovem popular, residente num meio pequeno.

Outros dos aspectos interessantes da ficção era precisamente esse: a focalização na teia social típica a uma vila localizada próxima de Washington.

A par do trabalho policial, foi-se dando a conhecer os podres e as extravagâncias dos habitantes: a aparente normalidade dá, aos poucos, lugar a um mundo bizarro, onde quase todos se posicionam como suspeitos.

A ficção vencedora de três Globos de Ouro lançou muitos actores que, entretanto, têm feito carreira com êxito.

Pressões para terminar

Apesar do êxito, "Twin Peaks" conseguiu óptimos resultados de audiências para a ABC, os administradores da estação manifestaram cedo as suas dúvidas em relação ao caminho sinistro que estava a seguir o desenrolar da saga.

E fizeram pressão junto dos produtores para que o assassino fosse revelado a meio da segunda série, provocando uma quebra significativa na audiência e um desfecho pouco conclusivo.

JN

Menina de seis em lista de terroristas

Alyssa Thomas foi proibida de embarcar com os pais num voo para Minneapolis, nos Estados Unidos, por constar da lista de suspeitos de terrorismo norte-americana.

Ao tentar entrar no avião que partia de Cleveland para Minneapolis, Alyssa Thomas, de seis anos, descobriu que o seu nome estava na lista de suspeitos de terrorismo proibidos de voar para os EUA.

A menina de origem indiana, foi retida por um funcionário da companhia aérea Continental, que explicou aos pais que a sua filha estava sob observação do Departamento de Segurança Nacional.

“Ficamos de boca aberta. Afinal ela tem seis anos”, disse o pai, o médico Sant-hosh Thomas, à Fox News.

Após diálogo com os responsáveis pela companhia, os pais conseguiram convencê-los de que Alyssa não representava perigo para a segurança nacional e podia viajar.

Foi-lhes, no entanto, recomendado que contactassem a Segurança Nacional para esclarecerem o caso. Em resposta por carta, o Governo garantiu que nada vai ser mudado na lista dos terroristas proibidos de viajarem de avião. No mesmo documento, explicou que não vai confirmar nem desmentir qualquer informação que tenham sobre ela ou outra pessoa com o mesmo nome.

Sant-hosh Thomas garantiu que não vai deixar de viajar com a filha. “Ela anda de avião desde os dois meses e nunca houve problemas”, acrescentou.

A menina nunca teve problemas em viajar anteriormente porque o programa de segurança em voos só está a decorrer desde Junho. Um porta-voz da administração referiu que a “lista é uma medida importante de segurança para impedir indivíduos suspeitos de terrorismo de voar”.

JN

Cientistas estão a tentar aumentar o mar português

No sítio mais ao Sul de Portugal, as ilhas Selvagens, cientistas portugueses e estrangeiros, apoiados pela Marinha, procuram descobrir os segredos da fauna, flora e geologia marítimas, num esforço para conseguir aumentar o mar português.

A expedição da Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) está junto à reserva natural das Ilhas Selvagens, na Região Autónoma da Madeira, desde 10 de Junho e já recolheu cerca de 500 espécies, algumas das quais nunca antes descobertas, informa a Lusa.

O objectivo é dar a Portugal argumentos para conseguir a extensão da sua plataforma continental para além das 200 milhas náuticas e para candidatar as Selvagens a património natural da Humanidade.

Em visita à expedição, o secretário de Estado da Defesa Nacional e Assuntos do Mar, Marcos Perestrello, afirmou que se trata de um «projecto importante» para «aprofundar o conhecimento que temos dos nossos recursos marinhos e demonstrar a capacidade de nos responsabilizarmos pela gestão de uma plataforma continental estendida».

«É este conhecimento que nos permitirá saber o tipo de aproveitamento que podemos tirar da tecnologia, as potencialidades na produção de cosméticos ou produtos médicos e farmacêuticos, que nos permite saber que tipo de energias podemos retirar dos nossos mares, eólicas, ondas, e eventualmente energias convencionais que existam na área sob nossa jurisdição», afirmou.

Composta por uma equipa de cerca de 200 pessoas, a expedição está fundeada junto à ilha Selvagem Grande e distribui-se pelo navio de treino de mar Creoula, o navio hidrográfico Gago Coutinho, o balizador Schultz Xavier e a caravela Vera Cruz. A bordo do Creoula, os biólogos analisam as amostras de animais, plantas e água recolhidas em seis rondas de mergulho diárias.

Vividos com entusiasmo pelos cientistas, os mergulhos colocam-nos frente a frente com esponjas, jardins de coral, peixes de águas frias e de águas quentes e, num dos momentos mais emocionantes desde que a expedição chegou às selvagens, até um tubarão martelo.

Cerca de cinquenta espécies foram já identificadas, de um total de 500 amostras, duzentas das quais através do robot subaquático do Gago Coutinho, que apesar de uma avaria, já mostrou assim o seu valor.

O aparelho, que fornece imagens em alta definição do fundo do mar e permite a recolha de amostras a centenas de metros de profundidade, teve uma avaria num cabo de fibra óptica que o liga ao navio e acabou por ficar parado no fundo do mar.

A solução, que já vem a caminho desde a Noruega, é um aparelho semelhante que permita resgatar o «Luso» e permitir voltar ao trabalho.

Para além da extensão da plataforma continental, o levantamento das espécies nas águas das Selvagens visa sustentar a candidatura da área a património natural da Humanidade.

O secretário de Estado do Ambiente, Humberto Rosa, afirmou que a reserva natural das ilhas, criada em 1971, dá exemplos de «um trabalho muito notável a nível nacional e mesmo mundial» na preservação da biodiversidade, como mostra a campanha bem sucedida de erradicação de pragas de ratos e coelhos.

Até ao fim do mês, a equipa vai continuar a passar os dias nas águas límpidas do Atlântico, partilhando o dia-a-dia com as criaturas do fundo do mar e as cagarras, as aves marinhas que povoam a Selvagem Grande.

Timor-Leste: parque nacional de proteção à vida marinha local
TVi24

Cão saltou para o volante do carro e atropelou o dono

Tassey é um buldogue igual a tantos outros e não seria notícia se não tivesse atropelado o seu dono com um carro. O norte-americano Christopher Bishop, de 43 anos, estava a trocar o óleo do seu carro, quando Tassey apanhou a porta aberta e saltou para o assento do condutor, avança o jornal brasileiro «Globo».

Sem querer destravou o carro e «atropelou» o dono, residente em Ridge Manor, no estado da Flórida (EUA). Christopher sofreu apenas ferimentos ligeiros e, logo após o embate, levantou-se a correr porque o veículo dirigia-se para a sua casa. Felizmente conseguiu parar o carro a tempo de evitar maiores estragos.

TVi24

Agência funerária faz sucesso com caixões XL

Uma agência funerária norte-americana está a fazer sucesso ao vender caixões XL, para pessoas muito gordas, conta a AP.

O proprietário da Caixões Goliath justifica o aumento das vendas com o respectivo aumento da obesidade nos EUA.

O mais recente trabalho foi um caixão de dois metros de largura para um homem do Alasca.

TVi24


video

Estudo identifica mais de 400 espécies de animais e plantas


Mais de 400 espécies
de animais, plantas
e fungos foram
identificadas na aldeia
de Póvoa Dão, no âmbito de um estudo realizado
na sequência de uma parceria entre a Oryzon Energias, empresa
do Grupo Catarino,
e as universidades
de Coimbra e Aveiro

Segundo Eduardo Mendes, investigador da Universidade de Aveiro envolvido neste estudo, "numa área de cerca de 120 hectares, a propriedade da Póvoa Dão apresenta um interessante mosaico de habitats que albergam uma vasta diversidade biológica, onde é possível observar e estudar várias espécies de animais e plantas emblemáticas da fauna e flora portuguesas".
Sandra Videira, José Cerca e Joana Albuquerque, investigadores da Universidade de Coimbra, acrescentam ainda que "a Póvoa Dão é um verdadeiro laboratório vivo onde poderão ter lugar várias actividades de cariz científico e lúdico para crianças e adultos".
Com a realização deste estudo, executado pelo Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro (DeBio-UA) e pelo Centro de Ecologia Funcional do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra (CEF-UC) com vista ao levantamento da diversidade faunística, vegetal e micológica da região, a Oryzon Energias, empresa do Grupo Catarino especializada em planeamento e gestão florestal, vem reforçar o seu compromisso com o ICNB (Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade) no âmbito da iniciativa Business & Biodiversity.

Criar base de dados
Esta parceria irá permitir o inventário exaustivo e a criação de uma base de dados das espécies identificadas, monitorizar e minimizar eventuais impactos sobre estas espécies e ecossistemas, desenhar e desenvolver acções de sensibilização, organizar roteiros fotográficos sobre biodiversidade e divulgar a panóplia de espécies existentes junto à aldeia, bem como os melhores locais para as observar.
No âmbito deste estudo, já foram identificadas 422 espécies: 79 são espécies animais (mamíferos, anfíbios, répteis e aves), entre as quais se destacam o lagarto de água (Lacerta schreiberi) e o tritão de ventre laranja (Lissotriton boscai) (espécies endémicas da Península Ibérica), a lontra (Lutra lutra) e a salamandra lusitânica (Chioglossa lusitanica)e diversas espécies de aves.
240 são espécies de plantas entre as quais podemos encontrar ervas ornamentais como o feto-real (Osmunda regalis) e o lírio-amarelo-dos-pântanos (Iris pseudacorus), arbustos melíferos e ornamentais, típicos da área mediterrânica, como o pilriteiro (Crataegus monogyna) e a esteva (Cistus ladanifer) e espécies simultaneamente medicinais e tóxicas como a dedaleira (Digitalis thapsi), a cebola-albarrã (Urginea maritima) e a norça-branca (Bryonia dioica).
Há 100 que são espécies de fungos, alguns deles, emblemáticos da Península Ibérica.

Mapeamento
rigoroso da região
Os resultados deste trabalho, permitirão disponibilizar a todos os visitantes da aldeia de turismo de natureza, Póvoa Dão, um contacto mais directo com as espécies representativas da região, através da organização de actividades como 'birdwatching', passeios botânicos, roteiros fotográficos, passeios micológicos, observação de herpetofauna, identificação de indícios de presença de mamíferos, percursos pedestres, entre outros.
Depois de concluído, este estudo irá permitir um mapeamento rigoroso da região, com as respectivas espécies assinaladas, descrição das suas características, equipamentos de observação e ainda de percursos pedestres assinalados, para que possam desfrutar da paisagem e das espécies únicas desta região, com consciência ecológica e ambiental.

DV

terça-feira, 29 de junho de 2010

29-06-2010 Mundial 2010

Mundial de Futebol - Africa do Sul / 2010

Holanda 2 - 1 Eslovaquia

video

Brasil 3 - 0 Chile

video

Primeira pagina - 29 - 06 - 2010

Estudo diz que feto não sente a dor antes das 24 semanas

Estudo diz que feto não sente a dor antes das 24 semanas

Uma equipa de cientistas britânicos concluiu que o feto humano não é capaz de sentir dor antes das 24 semanas.

Segundo as investigações médicas e as conclusões de autópsias, as ligações dos nervos ao cérebro não estão ainda formadas para permitir a percepção da dor antes dessa data.

Mesmo depois, os especialistas do Colégio Real de Obstetrícia e Ginecologia dizem que o feto vive sedado no útero de forma natural e por isso inconsciente. O estudo chega a afirmar que a anestesia, que pode ser perigosa para os bebés, não deve ser usada quando o feto tem de ser submetido a uma cirurgia.

O estudo tinha sido pedido por um grupo de deputados que estava a equacionar diminuir para as 20 ou 22 semanas o limite legal para abortar. As conclusões são assim um revés para os activistas anti-aborto. Alguns médicos mostraram-se contudo contra estes resultados, dizendo que o feto pode sentir angústia e aflição desde as 20 semanas.

Um porta-voz da organização Life disse à BBC que "o assunto sobre se o feto sente dor ou não é secundário em relação ao debate ético sobre o aborto". E acrescenta: "A nossa dignidade intrínseca como seres humanos não depende do alcance da nossa capacidade para sentir a dor." Mas os defensores do aborto dizem que as conclusões podem tranquilizar as mulheres que estão a pensar num aborto tardio.

DN

Guiné-Bissau irrita Europa e EUA

Guiné-Bissau irrita Europa e EUA

Nomeação de António Indjai para chefia militar, sob proposta do Governo, mereceu críticas internacionais.

A nomeação do general António Indjai para a chefia do Estado-Maior das forças armadas da Guiné-Bissau mereceu críticas americanas e europeias, mas estará a ser aceite pelos países vizinhos. Amanhã, realiza-se na capital guineense uma reunião de chefias das forças armadas dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e será ali discutida a situação do país.

Fonte da presidência guineense disse ao DN que a comunidade internacional precisa de "estar consciente da situação da Guiné-Bissau". Segundo este dirigente, o "contexto não é fácil" e "as instituições são extremamente frágeis". Os líderes civis querem garantir a estabilidade e dizem que o "país não pode ser abandonado pelos seus parceiros no momento de maior dificuldade".

Na prática, o general Indjai já chefiava as forças armadas há três meses, mas houve pressões contra a sua nomeação, dadas as suspeitas de envolvimento no narcotráfico e o facto de ter liderado um golpe, a 1 de Abril, que resultou na prisão do seu superior hierárquico, almirante Zamora Induta, que foi exonerado anteontem.

A proposta de nomeação de Indjai foi feita pelo Governo, após negociação entre o general e o primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior, que regressou à Guiné na semana passada. Indjai e Gomes Júnior têm más relações, que se agravaram a 1 de Abril, quando o primeiro-ministro foi detido durante horas e humilhado pelos militares revoltosos.

O procedimento legal da nomeação do novo chefe de Estado-Maior teria de incluir proposta do governo, seguida de confirmação pelo Presidente da República, Malan Bacai Sanhá, que mediou todo o processo.

Fontes em Bissau garantem que a situação político-militar é agora calma, mas existe enorme incógnita no que diz respeito às relações entre forças armadas e governo. Um dos cenários de futuro passa pelo afastamento de Carlos Gomes Júnior da chefia do partido no poder, o PAIGC, o que permitiria substituir o primeiro-ministro.

Logo após a nomeação, ainda na sexta-feira, o governo americano reagiu com irritação, ameaçando não apoiar a reforma do sector da defesa enquanto não houvesse submissão do poder militar ao poder civil. Washington queria um chefe militar sem ligações ao golpe de 1 de Abril e que pudesse "reconquistar a confiança da comunidade internacional". A posição europeia é semelhante, mas os guineenses dizem que o "abandono" da comunidade internacional só poderá "agravar a situação".

Zamora Induta continua preso em Mansoa e deverá ser julgado por crimes ainda não especificados. A questão do narcotráfico é a que mais preocupa os diplomatas, devido ao seu potencial de desestabilização de toda a região da África Ocidental. Uma das explicações para as divisões das forças armadas tem a ver com os dez anos de alta instabilidade militar na Guiné-Bissau e o conflito latente entre oficiais mais velhos, que combateram na guerra colonial, como é o caso de Indjai, e a geração mais nova, sem essas referências, a que pertence Zamora.

DN

Fergie poderá deixar os Black Eyed Peas

Fergie poderá deixar os Black Eyed Peas

A vocalista Fergie está prestes a deixar o grupo de hip hop Black Eyed Peas, citando tensões e divergências entre os membros da banda.

Fonte próxima do grupo adianta que as clivagens internas se devem ao "ego desmesurado" do produtor e principal compositor, o rapper Will.i.Am, que conseguiu criar conflitos, não só com Fergie, mas também com Apl.de.Ap e Taboo, restantes (e mais antigos) membros do grupo. Os Black Eyed Peas estão, por enquanto, em digressão mundial.

DN

Já tinha funeral pronto mas afinal está viva

Os sinos da capela tocaram a rebate, as flores foram compradas e até o agente funerário afixou por toda a freguesia de Rio Meão, Santa Maria da Feira, os avisos da morte de Adélia Reis, 82 anos. Afinal, a mulher está viva e internada no Hospital S. Sebastião.

Os familiares largaram repentinamente os empregos, vestiram-se de negro e choraram a morte do ente querido. Mas, cerca de quatro horas depois, um telefonema do hospital interrompeu o momento de pesar. Afinal, Adélia Reis estava viva. Houve um tremendo equívoco, cujos contornos ainda estão por esclarecer.

A confusão começou na manhã de anteontem, quando um filho (que não falou ao JN) foi visitar a idosa. Deslocou-se à cama onde deveria estar a sua mãe e sentiu que o corpo que ali se encontrava estava gelado. Nessa altura, foi informado por uma enfermeira que a mãe tinha morrido. Consternado, deixou de imediato o hospital e informou os restantes familiares. E foi dado início ao processo para o funeral. Segundo o hospital, a pessoa no quarto não era Adélia, como afirma a família.

“A família contactou-me para fazer o funeral e tratei de tudo. Andei a distribuir os papéis com a hora e dia do funeral pela freguesia, foi pedido para tocar os sinos da capela e mandei os meus colaboradores para o hospital para trazerem o corpo. Mas a certidão nunca mais chegava e acabámos por aperceber-nos que a senhora estava viva” contou ao JN o responsável pela funerária Henriques. Informação que, entretanto, também já tinha sido comunicada à família.

O engano causou revolta. Os netos de Adélia foram ao hospital, mas dizem não ter ficado agradados com as explicações. ?Os responsáveis do hospital pediram desculpas, mas recusaram passar uma declaração assumindo o erro?, lembrou Rui Lemos.
“Serviria para entregarmos aos patrões e justificarmos as faltas nos empregos. Mas queriam apenas passar um atestado em como estivemos no hospital”, acrescentou. Os familiares colocaram o seu protesto no livro de reclamações.

A indignação é ainda maior pelo facto de terem recebido um telefonema de alguém que lamentava a falta dos familiares no horário da visita. “Ligaram-nos de um telemóvel a dizer que era do hospital e a perguntar por que é que ninguém ia visitar a minha tia. Os responsáveis do hospital dizem ser estranho, mas nós temos registado o número de quem ligou”, sublinhou um familiar.

“Foi uma falha grave, principalmente por demorarem tanto tempo a darem pelo erro”, acrescentou outro neto, Laurentino Gomes

Hospital admite que pode ter havido um erro de ambas as partes

“Não houve um caso de troca de cadáveres”. A ressalva, imediata, é do presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (tutela o Hospital de S. Sebastião, na Feira), Fernando Silva.

Contactado pelo JN, o responsável referiu que foi o filho quem “não identificou correctamente a mãe”. Ou seja, de acordo com a versão de Fernando Silva, a pessoa que terá sido indicada ao homem como sendo a sua mãe, não era Adélia Reis. Terá sido essa, então, a origem do problema.

A tese é contrariada por familiares da idosa, que afirmam não ter havido qualquer engano na identificação.

Em declarações ao JN, Fernando Silva admitiu , contudo, que poderá “ter havido erros dos dois lados [hospital e familiar] ”, recusando assumir por enquanto uma posição definitiva.

“Enquanto não tiver as conclusões do inquérito de averiguações que irá decorrer esta semana não posso adiantar mais nada”, afirmou. “Não deixamos no entanto de lamentar esta situação, que compreendemos ser muito desagradável”, concluiu.

JN

Crocodilo come tubarão na Austrália à frente de turistas

Um crocodilo capturou um tubarão no Parque Nacional de Kakadu, na Austrália, e comeu-o. Um grupo de turistas capturou imagens do incidente. Umas das fotos foi publicada pelo jornal «Northern Territory News» (veja aqui link externo).

O guia turístico, Dean Cameron, explicou que o crocodilo cortou o tubarão em dois e disse que o peixe teria pelo menos três metros de comprimento.

O grupo já só viu o enorme réptil com metade do outro animal preso nas mandíbulas. «Teria sido incrível ter visto o ataque», afirmou.

Dois barcos, com cerca de 45 turistas cada, estavam no rio quando o incidente se registou, a que assistiram com alguma excitação.

«Disseram que o caso fez a viagem a Kakadu valer a pena», contou Cameron.

No entanto, esta não é a primeira vez que um crocodilo faz refeição de um tubarão. Cameron referiu que cerca de uma vez por ano costuma assistir a casos semelhantes

TVi24

Marte tinha água mas não um oceano

Marte tinha água mas não um oceano

O estudo detalhado dos minerais na superfície do Planeta Vermelho revela presença de argilas hidratadas de norte a sul.

Condições favoráveis ao aparecimento de vida, graças à presença de água em estado líquido, terão existido em toda a superfície de Marte há mais de quatro mil milhões de anos. Segundo a Agência Espacial Europeia, o estudo detalhado dos minerais presentes nas crateras do Planeta Vermelho mostra que a presença de água não se limitava às terras altas do Sul, como até agora se pensava, existindo também nas planícies do Norte.

A água na superfície de Marte terá sido uma realidade durante algumas centenas de milhões de anos, disse Jean-Pierre Bibring, do Instituto Espacial de Astrofísica da Universidade de Paris, citado pela AFP. A análise dos dados da sonda Mars Express (ESA) e da Mars Reconnaissance (NASA) revela que "havia água, mas não na forma de um grande oceano", acrescentou. A presença de argilas hidratadas já tinha sido descoberta pela equipa de Bibring no Sul do planeta, tendo agora havido a confirmação de que também existiram no Norte.

As conclusões contradizem as de uma equipa norte-americana, segundo as quais um grande oceano terá coberto um terço da superfície de Marte há 3,5 mil milhões de anos. Mas segundo Bibring, nessa altura "Marte já tinha perdido a sua atmosfera" e "a água já não existia em estado líquido à superfície".

De acordo com o cientista francês, podiam existir lençóis de água, mas esta não ficava tempo suficiente à superfície para alimentar esses supostos oceanos perenes. A água evaporava ou introduzia-se no solo, indicou Bibring.

DN

segunda-feira, 28 de junho de 2010

28-06-2010 Mundial 2010

Mundial de Futebol - Africa do Sul / 2010

Alemanha 4 - 1 Inglaterra

video

Argentina 3 - 1 Mexico

video

Primeira pagina - 28 - 06 - 2010

Explosivos destinavam-se a assaltos

Explosivos destinavam-se a assaltos

Afastada hipótese de ligação a grupos terroristas, carrinhas de transporte de valores e caixas ATM eram alvo

A Polícia Judiciária (PJ) já localizou, "em solo português, grande parte da meia tonelada de explosivos" roubada de uma pedreira, em Nelas. Estão também identificados alguns suspeitos que terão "actuado num quadro de criminalidade comum", o que "afasta qualquer ligação a grupos terroristas". A PJ está também convencida de que para além do contrabando os explosivos se destinavam a ser usados em acções criminosas como roubos e arrombamentos.

Uma fonte oficial da PJ confirmou ao DN que "os explosivos foram localizados em Portugal e já estão identificados alguns suspeitos, do roubo e posse do material".

A investigação confirmou a tese de roubo para contrabando, que alimenta a exploração clandestina de pedreiras e a pesca ilegal (ver texto ao lado), facto corroborado pela Guardia Civil espanhola.

"O que motiva o contrabando são as restrições legais e os elevados preços que atingem no mercado negro. Em Portugal uma vela de dinamite vale 6 euros e aqui atinge o dobro", disse ao DN um oficial da Guardia Civil que tem acompanhado a investigação do roubo de Nelas. E o roubo de há 15 dias "teve origem na criminalidade comum e destinava-se a uso ilegal", garantiu a fonte da PJ. É convicção das autoridades que os explosivos se destinavam a "abastecer o mercado negro, onde este tipo de material gera grandes lucros".

A investigação das autoridades recolheu ainda "alguns indícios" que apontam para que os explosivos "também pudessem vir a ser usados na criminalidade violenta, como assaltos e arrombamentos de cofres, multibancos e carrinhas de valores".

Há duas semanas meia tonelada de gelamonite foi roubada de um paiol da empresa Moura e Silva, em Senhorim, no concelho de Nelas. O elevado volume de explosivos roubados, "com elevado poder de fragmentação", accionou os mecanismos de cooperação entre as polícias ibéricas. A organização terrotista basca ETA tem promovido assaltos em pedreiras em Espanha e em França e as declarações do ministro do Interior espanhol, que referiu o caso perante os deputados, levantaram a suspeita de que o roubo tivesse mão espanhola. Foi "esta preocupação" que originou a constituição de uma task force policial, composta pela PJ, SIS e GNR e coordenada pela Unidade Nacional contra o Terrorismo, que motivou a "extrema urgência em localizar os explosivos". Quatro dias depois do roubo, tal como o DN noticiou na edição de dia 18, já a PJ tinha identificado um primeiro suspeito e ontem, com o avançar das investigações, a Judiciária descartou "totalmente" qualquer ligação entre o roubo e a ETA, a organização terrorista basca.

A investigação permitiu concluir que "quem roubou tinha conhecimentos da empresa, conhecia os pormenores do paiol e é sabedor dos meandros do mercado paralelo de explosivos". O roubo ocorreu no domingo numa altura em que o casal que vigia o paiol não estava de serviço. O alarme também não foi accionado. Coincidências que levantaram suspeitam nas autoridades policiais, que estão convencidas de que "houve ajuda por parte de algum funcionário da empresa". A empresa foi investigada em 2007 e alguns funcionários foram indiciados por tráfico de explosivos para Espanha.

Os suspeitos caem sob a alçada da nova lei das armas que prevê pena de prisão, entre dois e 8 anos, para quem possuir "explosivos civis fora das condições legais".

DN