So faltam meses, dias, horas, minutos, e segundos para o ano 2012

Madeleine

Banner1
Click here to download your poster of support

Radio Viseu Cidade Viriato

sábado, 7 de julho de 2007

Quando e que paga senhor President

Câmara pede cinco milhões à banca

A Câmara de Oliveira do Hospital vai contrair um empréstimo de cinco milhões de euros para a realização de obras. O pedido de propostas às instituições bancárias foi ontem aprovado, por unanimidade, em reunião pública do executivo. A autarquia encerrou o ano de 2006 com um endividamento municipal global de aproximadamente 2,3 milhões de euros, dos quais 90% estavam relacionados com empréstimos contraídos junto da banca.

Beneficiação da estrada Oliveira do Hospital - Felgueira Velha, recuperação do anfiteatro romano da Bobadela, estruturação do novo espaço da feira, beneficiação de estradas municipais, obras de saneamento e abastecimento, biblioteca municipal, requalificação do centro histórico e outras ruas da cidade são alguns dos projectos que motivam o endividamento de cinco milhões de euros a que a Câmara se propõe, devendo o mesmo ser amortizado num período de 20 anos.

"O que está em causa é o interesse do município", referiu o presidente da autarquia, Mário Alves, explicando que o empréstimo permitirá a "quem vier a seguir ter sempre condições para fazer obra". "O ideal é um endividamento a 20 anos para que se continue a executar obra e a dar resposta aos anseios da população", acrescentou Mário Alves, garantindo que a autarquia "não está a esgotar" os recursos.

A proposta foi aprovada por unanimidade, mas não sem antes os vereadores da oposição - Maria José Freixinho e José Francisco Rolo (ambos do PS) - terem garantias de que outros projectos não ficarão para trás, como é o caso da incubadora de empresas, alargamento da zona industrial da cidade, bem como a criação de novas áreas de localização empresarial.

"Nenhum dos projectos fica travado pelo empréstimo", garantiu Mário Alves, realçando que o mesmo permitirá ao município "continuar a manter a imagem pública da câmara junto dos agentes empresários".

So com atestado e que entras

Entrar na piscina só com atestado

Isaura Alves quis passar a tarde de ontem com as netas, de oito e 10 anos, nas Piscinas Municipais de Viseu (PMV). Mas não o pôde fazer. As crianças chegaram há uma semana da Normandia (França), onde estão radicadas com os pais, e nunca lhes passou pela cabeça que iriam precisar de atestado médico para frequentar aquele equipamento público.

"Estou estupefacta. Todos os anos aqui vimos, passar umas horas, e nunca nos foi pedida tal coisa", lamentava-se a mulher, residente em S. João de Lourosa, angustiada com a tristeza estampada no rosto de Lisa e Melina. "O meu filho foi para fora, pensando que não teríamos problemas, e ficou de vir buscar-nos às 20 horas. Não sei como vou passar o resto da tarde com este calor", desabafou Isaura Alves.

O problema, comum a todas as pessoas que pretendam utilizar as PMV, decorre do regulamento municipal que considera obrigatória a apresentação de uma declaração médica que ateste a inexistência de qualquer contra-indicação para a prática da modalidade da natação. Mais o uso das piscinas municipais está vedado aos utentes portadores de doenças contagiosas, da pele e feridas expostas.

As regras, afixadas no átrio das piscinas localizadas junto à mata de Fontelo - que reabriram a 22 de Novembro de 2006 totalmente remodeladas -, têm por base o Decreto-Lei nº 385/99 que condiciona o acesso às instalações desportivas à apresentação de exame médico. Já no início deste ano, a nova Lei de Bases da Actividade Física e do Desporto remeteu para os utentes daqueles equipamentos a responsabilidade de se assegurarem, previamente à utilização, de que não têm problemas de saúde que impeçam a prática de actividade desportiva. Esta decisão revogou a necessidade de atestado médico? É aqui que começam as dúvidas de algumas autarquias. Umas acham que sim. A Câmara de Viseu diz que não.

Interpretações diferentes

"Pedimos a intervençao dos nossos juristas que, após analisarem a lei em vigor e a que este ano foi produzida pelo Instituto de Desporto (ID), concluíram que se mantém a exigência de atestado médico", explica Américo Nunes, vice-presidente da autarquia viseense, que levou o problema à última reunião do Executivo. "Aprovou-se, por unanimidade, que se mantém a exigência e pediu-se ao ID que se pronuncie, com carácter de urgência, sobre esta matéria. Pessoalmente, discordo desta obrigação. Acho que é uma violência, sobretudo para utilizadores ocasionais. Mas se acontece uma desgraça, quem é que se responsabiliza", interroga.

Nas câmaras de Vouzela, Nelas, Mangualde, Tondela, Carregal do Sal e Penedono, apenas é exigido atestado no desporto escolar. De resto, os utentes assumem as suas responsabilidades. "A lei foi revogada. Cabe a cada utentes assumir responsabilidades se houver problemas", explica Carlos Marta, autarca de Tondela.

Chineses querem Benfica

"OPA" chinesa dispara acções

As acções da SAD do Benfica valorizaram ontem 21,62% e encerraram a sessão bolsista com um valor nominal de 4,50 euros. O alegado interesse de um grupo chinês na sociedade que gere o futebol da Luz, sustentado numa possível proposta de aquisição que duplicava o valor da oferta de Joe Berardo - sete euros por acção -, provocou um autêntico "tsunami" no mercado de capitais. Os títulos chegaram a valorizar mais de 65%, 6,11 euros, fasquia da abertura da sessão, isto depois de terem sido suspensos durante a manhã.

O anuncio da aproximação dos asiáticos fora efectuada na véspera por Vasco Pereira Coutinho. Em declarações ao "Diário Económico", o empresário, com vários interesses na China, revelou ter sido interpelado pelo grupo de potenciais investidores com intuito de "facilitar contactos" entre as partes. A afirmação motivou um pedido de esclarecimento por parte da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).
Empresário e Luís Filipe Vieira, líder do Benfica, negaram conhecer a preparação de uma eventual Oferta Pública de Aquisição (OPA), mas admitiram um encontro no mês passado. Depois de conhecer a versão dos inquiridos, a CMVM levantou a suspensão das acções , mas continua a investigar os acontecimentos que lhe deram origem. Fonte da entidade reguladora revelou que o organismo está apurar se as declarações do empresário violam o Código de Valores Mobiliários (CMV). Em caso de irregularidade a multa oscilará entre os 25 mil e os 2,5 milhões de euros.

Joe Berardo prudente

A alegada OPA concorrente foi analisada de forma cautelosa por parte do responsável pela oferta inicial. Joe Berardo achou estranho que a publicitação não fosse acompanhada pelo anúncio da operação preliminar - facto confirmado pela CMVM.

"É preocupante pois previ que isto podia suceder. Um dia chegava aqui um chinês ou um americano para comprar. O importante é que o Benfica não está à venda e nunca deveria ser vendido por ser uma marca muito forte", referiu ontem o empresário.

O líder da Metalgest tem dúvidas sobre o montante de remuneração adiantado - sete euros. "Não estou a dizer que o Benfica não valha esse valor. Digo sim para as pessoas terem cuidado", lembrou o responsável já depois dos títulos serem transaccionados acima dos seis euros.

Sporting e FC Porto sobem

Por outro lado, a reacção dos investidores bolsistas também abrangeu as acções de Sporting e F. C. Porto. Os leões, que chegaram a ser alvo dos chineses, valorizaram 8,66% - 2,76 euros -, enquanto os papéis dos azuis e brancos realizaram ganhos mais moderados - 5,70% para os 2,41euros.

"Rosa" representa 60% das vendas online

A camisola cor-de-rosa do Benfica está a ser um sucesso de vendas segundo os responsáveis do clube. A cor da polémica é responsável por 60% das vendas na loja online do site encarnado.

Nuno Gomes e Luisão treinam condicionados

Nuno Gomes e Luisão continuam a integrar apenas parte da sessão de treino no relvado. De acordo com o boletim clínico, o brasileiro realiza trabalho de reintegração progressiva nos sob vigilância médica. O avançado mantém tratamento e treino condicionado.

Calor atrasou sessão da tarde no Seixal

O Verão chegou em força a Portugal continental e, por isso, o treino da tarde apenas começou ontem às 18 horas. A sessão decorreu na companhia de uma temperatura mais agradável ainda que o apronto tenha sido à porta fechada. Hoje, o grupo regressa ao trabalho às 9 horas e depois há nova sessão às 18.

Grupo folga amanhã pela primeira vez

Após seis dias de intenso trabalho, com treinos de manhã e de tarde, o grupo encarnado goza amanhã algumas horas de folga. Os atletas vão poder estar com as respectivas famílias, regressando ao Caixa Futebol Campus, até às 21 horas. Manuel Fernandes é esperado a essa hora após gozar vários dias de férias.


Aonde esta o dinheiro

Dinheiro do tráfico desaparece da unidade antidroga da PJ

A Direcção Central de Investigação ao Tráfico de Estupefacientes (DCITE) da Polícia Judiciária (PJ) vai ser alvo de uma investigação alargada, a cargo da Inspecção-Geral dos Serviços de Justiça, na sequência de dois casos de desaparecimento de 90 mil euros em notas, resultantes de apreensões a traficantes. Uma coordenadora de investigação criminal da unidade está sob suspeita em dois processos desencadeados pela própria PJ, há vários meses, com duas participações apresentadas ao Ministério Público e agora investigadas pela Direcção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF). Em causa estão suspeitas da prática de crimes de peculato.

A sindicância ao departamento especializado no combate ao tráfico de estupefacientes foi solicitada ontem pelo director nacional da PJ, Alípio Ribeiro, ao ministro da Justiça e ontem mesmo despachada favoravelmente por Alberto Costa.

De acordo com informações, o início da sindicância está previsto para o princípio da próxima semana, devendo terminar no mais curto espaço de tempo possível.

As verbas alegadamente desviadas dizem respeito a dinheiros apreendidos em dois inquéritos - 83 mil euros e sete mil euros - por tráfico de droga. As notas foram fotografadas depois de apreendidas, mas não seguiram o processamento normal, tendo desaparecido. Ambos os inquéritos eram da responsabilidade da coordenadora de investigação criminal da 2.ª Secção da DCITE, que é, até ao momento, a única suspeita no caso. A responsável, de 45 anos, foi entretanto afastada das funções que desempenhava, estando agora a realizar tarefas administrativas. Foi face a este cenário de "irregularidades graves", de desvio de dinheiro apreendido, associados a utilização de procedimentos de gestão processual inadequados que o director nacional da PJ propôs a Alberto Costa uma sindicância à DCITE. A acção inspectiva tem por objectivo determinar se existem mais situações ilícitas no departamento, que tem batido sucessivos recordes de apreensões de droga, estando cotado como um dos mais eficazes a nível internacional.

Processos disciplinares

para já, não existem elementos que apontem para a existência de outros casos, designadamente quanto ao desvio de drogas apreendidas em operações contra o tráfico. Em causa estarão unicamente duas situações que poderão enquadrar a prática de crimes de peculato.

O caso deu também origem a dois processos disciplinares que correm termos no Departamento Disciplinar e de Inspecção da PJ.Nuno Miguel Maia e Valdemar Pinheiro

quarta-feira, 4 de julho de 2007

South battered by torrential rain, hail and lightning

More stormy weather is in the forecast a day after parts of Britain were hit by torrential rain, lightning and hail.

Meanwhile, hundreds of people already forced from their homes by last week's devastating floods were told it would take another three or four days to pump the water away.

Rush-hour commuters had to make their way home through hail storms as thunder and lightning swept across southern counties of England.

Two teenagers were taken to hospital with serious burns after being struck by lightning.

The girls, aged 13 and 15, suffered non-life-threatening injuries in the incident at Ipswich High School, in Woolverstone, near Ipswich, at around 4pm.

A spokesman for the East of England Ambulance Service said the force of the strike had "blown apart'' the girls' shoes.

"They were both struck simultaneously, presumably by the same bolt of lightning,'' said the spokesman.

"They both had entry and exit wounds on their arms and feet.''

The girls, who remained conscious throughout, are being treated in hospital, the spokesman added.

Some areas of southern England saw nearly 7mm of rain fall in an hour and drivers were warned to take care on roads as standing water could prove hazardous.

Hundreds of fans who crammed into London's Leicester Square for the European premiere of Harry Potter And The Order Of The Phoenix received a drenching as thunderstorms raged overhead.

Stephen Davenport, senior forecaster for MeteoGroup UK, the weather division of the Press Association, said several bands of showers moved eastwards throughout the day in a line from Humberside in the north to the Bristol Channel in the south.

Areas in Yorkshire that were badly hit by last week's flooding escaped the worst of the rain but householders were still facing the prospect of yet another night in temporary accommodation.

Doncaster Council said even more high-volume pumps have been brought in to the affected areas of the town which were inundated a week ago when the River Don burst its banks.

But despite firefighters from 26 services around the UK removing 346 million litres of water per day, the Environment Agency estimates there is still about 1.8 million cubic metres of water in the area.

Doncaster's elected mayor, Martin Winter, said he was told by the agency that the Toll Bar area would take three to four more days to drain.

Mr Winter said: "The water only appears to be decreasing gradually, but I want to emphasise to residents the enormous scale of this operation not only on the ground, but co-ordination from behind the scenes.

"We are succeeding slowly but surely in the reduction of water in Toll Bar and will soon be pumping out 240,000 litres a minute.''

Transco announced today that at least 200 homes in the Toll Bar area were without gas.

The supply will not be able to be restored until the floodwaters recede enough to enable the work to be carried out by Transco.

There was further evidence that the flooding threat was far from over, with reports of flash flooding in the Skipton area of North Yorkshire.

Firefighters were called to reports of rising water in the village of Low Bradley and a number of key routes in the area were experiencing standing water.

Environment Secretary Hilary Benn said spending on flood risk management and defences would rise from £600 million to £800 million in 2010-11.

In an update on the flooding to the Commons Tuesday, Mr Benn told MPs that more than 300 people remained in temporary shelters and the floods would have a "continuing impact for some months to come''.

Mr Benn said at least 3,500 properties were flooded when rivers in Yorkshire, Humberside, Lincolnshire, Nottinghamshire, Worcestershire and Shropshire burst their banks.

Insurers said the cost of the damage across the UK is expected to top £1 billion, with 27,000 homes and 5,000 businesses affected.

It was also announced that Prime Minister Gordon Brown has agreed Local Government Minister John Healey will coordinate the Government's contribution to recovery from the recent floods.

Mr Healey said: "We want to see communities, householders and businesses hit by the floods return to normal as rapidly as possible.

"I will make sure that central government brings a relentless focus to support the local recovery efforts and ensure that all of those involved play their full part.

"This will help ensure we move from a fully coordinated emergency response effort to a fully coordinated support for the recovery effort.''

While the Met Office has lifted its severe weather warning for England and Wales, forecasters are warning of more downpours to come.

Mr Davenport said: "There will be a fair few heavy showers around [Wednesday]. On Thursday, there will be rain coming in from the south west.''

He said the weather would remain unsettled for the foreseeable future with no long, dry, warm spells on the horizon.

'IT'S NOT TOO LATE TO GIVE HER BACK'

The mother of Madeleine McCann has pleaded with her daughter's abductors to return the missing four-year-old.

Her latest appeal comes two months after the young girl was snatched from a holiday villa in Portugal.

In an interview to mark the anniversary, Kate McCann said if she had any message for the kidnappers, it would be that "it is not too late to give her back".

She and husband Gerry said every day without their daughter was still "incredibly difficult" and they feel incapable of returning to their jobs as doctors.

The couple said they intend to remain in Portugal for the foreseeable future.

"We are committed to staying and we feel closer to Madeleine here," Mr McCann said.

"Right now we are not capable as working as doctors. We still feel a lot can be done by ourselves.

"What we don't want is to look back in another three or four months and say we wish had done this."

The couple have campaigned tirelessly to find Madeleine since she was taken from the family's holiday apartment in the Algarve town of Praia da Luz on May 3.

Their campaign has included visits to several other countries and regular press conferences to keep Madeleine in the public eye.

The McCanns now meet Portuguese police on a regular basis, but despite an extensive investigation there have been no significant developments in the case.

But Mrs McCann said she was reassured the police were 100% committed to finding Madeleine, adding they had a very good working relationship with them.

"Our determination to find Madeleine is matched by theirs," she said.

Free at last

Johnston axes 'just kidnapped look'
One of Alan Johnston's first acts as a free man was to rid himself of a haircut he dubbed "that just kidnapped look".
Sporting a new close-cropped style, he looked composed as he appeared in front of cameras - less than 24 hours after he was freed. He joked with reporters that he had just been to the barbers, later adding he was enjoying "the most basic things that freedom allows, not least to get a haircut."

Immediately after his release, Johnston was taken to the home of Hamas leader Ismail Haniyeh, before travelling to the British High Commission in Jerusalem, where he is now recovering.

In a brief emotional phone call home, he was able to speak to his parents, Graham and Margaret, confirming that their "living nightmare" was over.

Mr Johnston Snr said: "All he said was 'Hello Dad', and I said 'Hello son. How are you? Are you all right?' He said 'I am 100%' and then the phone was cut."

Later, Johnston spoke of his ordeal, telling of his joy at being released, the trauma of his capture and his plans for the future.

In a live link-up from Jerusalem he told hundreds of BBC staff at Television Centre in London that he would be grateful for the rest of his life for the support he had received.

After vowing to "stay out of trouble" from now on, he said people could expect to see "a really rapid decline in my profile".

Asked what he wanted to do next in an interview with Sky News, Johnston said: "You know, just the simplest thing, walking through any door, going down the street, seeing friends and family, people you love, you want to do it all at one go.

"You want to read books again, you want to sit in the sun and eat and speak I guess, that is the kind of thing you want to do."