So faltam meses, dias, horas, minutos, e segundos para o ano 2012

Madeleine

Banner1
Click here to download your poster of support

Radio Viseu Cidade Viriato

sábado, 11 de julho de 2009

H1N1 - casos em Portugal sobem 7 por dia...

Sete novos casos de infecção pelo vírus da Gripe A (H1N1) foram confirmados nas últimas 24 horas em Portugal pelo Ministério da Saúde, fazendo subir para 86 o número total de registos.


De acordo com o comunicado oficial disponível online no Portal da Saúde desde as 18:00 de hoje, os sete casos confirmados laboratorialmente estão internados em hospitais de Lisboa, Porto e Comibra.


Em Lisboa, no Hospital Curry Cabral, estão internados dois doentes: um homem de 20 anos e uma mulher de 27 anos, ambos provenientes de São Paulo, Brasil, indica o relatório do Ministério da Saúde.


Nos Hospitais da Universidade de Coimbra estão internados um homem de 33 anos, vindo do México, e uma criança de 10 anos que veio de Palma de Maiorca.


No Porto, no Hospital de São João, estão uma criança de 2 anos vinda de Tenerife, uma mulher de 32 anos que chegou de Londres, e uma mulher de 23 anos que regressou de Palma de Maiorca.


Desde o início de Maio e até ao momento existem 86 casos confirmados de Gripe A (H1N1) em Portugal e o Ministério da Saúde recorda que "na maioria dos casos, a doença já foi tratada e as pessoas retomaram as suas vidas".


Apesar de apontar que "não há razão para alarme" porque o aumento do número de casos importados de fora do país "já era previsível", o Ministério da Saúde apela a "uma atenção redobrada".


As autoridades de saúde recomendam ainda a toda a comunidade - famílias, escolas, empresas, etc. - que "adopte comportamentos que dificultem a transmissão do vírus".


Em caso de sintomas de gripe, independentemente das pessoas terem viajado para fora do país, aconselha a contactarem de imediato a Linha de Saúde 24 (808 24 24 24) "e seguirem as indicações dos profissionais de saúde (...) antes de se dirigirem a um serviço de saúde" para aumentar os riscos de contágio à população.


O Ministério da Saúde destaca ainda a importância da lavagem frequente das mãos, da protecção da boca e do nariz ao tossir ou espirrar, sempre que possível com lenços de papel que não devem ser reutilizados, para evitar a rápida propagação do vírus.


Detida pela PJ por suspeita de ter planeado um assalto à sogra...

Uma mulher, de 43 anos, foi detida pela PJ suspeita de ter planeado um assalto à sogra, de 73 anos, que foi amordaçada e violentamente agredida com matracas.


Na tentativa de homicídio, segundo a PJ, aquela mulher terá tido a colaboração de duas sobrinhas, de 26 e 24 anos, e de dois adolescentes - sendo um deles também familiar das jovens que foram detidas pela Judiciária.


O caso ocorreu a 19 de Dezembro de 2008, na Maia, na residência da idosa. A vítima terá sido surpreendida por três pessoas do sexo feminino (as duas sobrinhas da nora e uma adolescente) e um rapaz, que será sobrinho de das sobrinhas da alegada mandante do crime.


O grupo amarrou a idosa, amordaçou-a e agrediu-a com matracas antes de lhe roubar jóias, relógios, telemóveis e outros pequenos objectos, no valor de cerca de dez mil euros. Depois, abandonaram a idosa, que ficara inanimada, pensando que ela estaria morta. São suspeitos de tentativa de homicídio e de roubo.


O alerta terá sido dado pelo filho da idosa, que chegou a casa e viu a mãe gravemente ferida, com o rosto desfigurado. A senhora foi então transportada para o hospital, onde ficou internada para ser tratada aos graves ferimentos que tinha por todo o corpo.


Segundo a PJ, "a motivação para a prática dos crimes prender-se-ia com más relações existentes entre a vítima e uma das detidas" (a nora), que vivia com ela. A nora, aliás, segundo a Judiciária, não participou directamente nos crimes mas "terá mandado executar o plano por si traçado, com a intervenção de duas familiares".


Tanto a nora como as duas sobrinhas foram ontem levadas ao Tribunal da Maia. A primeira ficou em prisão domiciliária e as sobrinhas estão obrigadas a apresentações periódicas às autoridades. Os adolescentes foram, também, identificados mas não detidos por terem menos de 16 anos (e serem inimputáveis) quando ocorreram os crimes.


Porsche foi um dos alvos, em Matosinhos. Polícia Judiciária investiga....

Fogos de origem criminosa destruíram três carros e provocaram danos noutros quatro, na madrugada e manhã de ontem, em Leça da Palmeira e na Senhora da Hora, concelho de Matosinhos. A Polícia Judiciária está a investigar.


Os incêndios ocorreram no espaço de seis horas, em duas ruas de diferentes freguesias, e, aparentemente, são casos isolados. Os alvos terão sido especificamente duas viaturas, mas as chamas acabariam por causar "danos colaterais", propagando-se a outras estacionadas por perto. As autoridades investigam se foram meros actos de vandalismo ou alguma retaliação.


Em ambos os incidentes há testemunhas que dizem ter visto indivíduos suspeitos a abandonar os locais. Os incendiários poderão ter utilizado engenhos com combustível, em jeito de "cocktail molotov".


Pelas 10.30 horas, na Senhora da Hora, o principal visado foi um Porsche Boxster estacionado na Rua Vasco Santana. Ficou com a parte traseira destruída. Dois dos carros ao lado (um Volkswagen Polo e uma carrinha Nissan) também foram atingidos, sofrendo estragos de menor monta.


O condutor da carrinha ainda a conseguiu retirar a tempo de evitar danos maiores. No local, um responsável da PSP que coordenava as operações apenas adiantou tratar-se de "um incêndio de origem desconhecida" e que só se poderiam tirar conclusões após a intervenção das brigadas de investigação.


Apesar das cautelas da Polícia, duas testemunhas oculares - um segurança e um morador - garantiram ter assistido a um acto criminoso. "Dois indivíduos atiraram uma coisa para dentro do carro, meteram os carapuços e gritaram um para o outro: 'Corre, corre que pode explodir!'", descreveu uma das testemunhas.


Os moradores foram alertados pelo alarme do carro e por várias "explosões". Os bombeiros (foram ao local as corporações de Leixões e de S. Mamede Infesta) admitiram que "as explosões podem ter sido os pneus e os 'airbags' a rebentar".


Quanto às causas, o chefe Armando Inácio, dos Bombeiros Voluntários de Leixões, referiu que "só a peritagem poderá avaliar". Por razões de segurança, a rua esteve cortada durante hora e meia, com centenas de curiosos a observar as operações.


Um cenário muito idêntico já se tinha verificado, durante a madrugada, no Largo Congosta do Abade, em Leça da Palmeira. Foi às 4.20 horas que os moradores despertaram com "estrondos" e chamas à porta de casa. Em poucos minutos, dois veículos (um Citroen AX e um Rover) ficaram calcinados. Outros dois (Ford Fiesta e Volkswagen Golf) com estragos menores. Estavam todos estacionados junto a uma oficina.


Como se não bastasse, o fogo ainda alastrou à fachada das habitações próximas. Alguns vidros de portas e janelas ficaram partidos. "Isto é terrorismo! Ninguém conseguia sair de casa", protestou José Ferreira, morador, de 63 anos, após uma noite mal dormida. Na vizinhança, houve quem visse "dois indivíduos a fugir". Os Bombeiros de Matosinhos-Leça estiveram no local até às 5.30 horas. De madrugada, acorreram a outros casos de fogo-posto, em contentores de lixo.


Há cinco pontes do IP3, na zona da Barragem da Aguieira, que precisam de reparações urgentes nos pilares. ..


O aviso é feito pelo LNEC, numa altura em que terá de ser decidido se avança, ou não, o concurso para as Auto-Estradas do Centro.


"De acordo com os relatórios recebidos e com a informação prestada pela Estradas de Portugal [EP], não há qualquer risco [de as pontes ruírem]", garante o secretário de Estado das Obras Públicas, Paulo Campos, que aguarda o relatório final da EP, para decidir se adjudica a controversa concessão das Auto-Estradas do Centro (AEC) ainda nesta legislatura.


O modo como será feita a reparação das pontes está dependente daquela decisão do Governo, uma vez que o caderno de encargos das AEC inclui a transformação do Itinerário Principal 3 (IP3), que liga Coimbra a Viseu, em auto-estrada. Se a concessão não for adjudicada, face ao custo elevado da proposta concorrente mais barata (1,1 mil milhões de euros), terá de ser lançado um concurso público só para as obras nos pilares das pontes.


Segundo a análise feita por especialistas, com o acompanhamento de técnicos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), o problema foi detectado nos pilares que estão em contacto com a água, atacados por uma espécie de "envelhecimento precoce", que tem origem na conjugação da fraca qualidade do betão utilizado na construção e na composição da água.


O problema afecta outras duas pontes próximas do IP3, que atravessam o rio Criz, no concelho de Mortágua. Mas, nestes casos, as obras de reparação já estão a ser efectuadas. Houve concurso e foram adjudicadas à Tecnovia.


Quanto à intervenção nas pontes do IP3, fonte de um consórcio finalista do concurso das AEC garante que o LNEC começou por apontar um prazo de cinco anos para que se fizessem as obras. Entretanto, terá concluído que se deveriam fazer no prazo de um ano. Paulo Campos diz que os técnicos aconselham obras no prazo de três a cinco anos.


Os problemas nos pilares foram detectados quando decorre o concurso para a concessão das AEC e levaram os finalistas - AENOR, que integra a Mota Engil, e Edifer - a somarem custos na ordem dos 100 milhões de euros.


Um montante elevado mas apenas uma pequena parte da diferença entre as primeiras e as segundas propostas da Mota Engil e da Edifer. Na primeira fase do concurso, apresentaram orçamentos de 535 e 841 milhões de euros, respectivamente. Na fase final propuseram 1,1 mil milhões e 1,9 mil milhões (mais 119% e 131%). O Governo tinha estimado que as AEC representariam um investimento de 740 milhões de euros.


A principal justificação para o aumento do preço tem a ver com as condições de acesso ao crédito. O dinheiro está mais caro do que na altura em que o concurso foi lançado, explica um dos concorrentes. A empreitada contempla o IP3 entre Coimbra e Viseu, o IC2 entre Coimbra e Oliveira de Azeméis e o IC12 entre Mealhada e Mangualde. A transformação do perigoso IP3, em especial, é apoiada também por autarcas do PSD.


Lares sem plano sobre procedimentos a adoptar para combater pandemia...

A União das Misericórdias Portuguesas está preocupada com os mais de 50 mil idosos ao cuidado das suas instituições e pediu, por carta, à DGS que informe, com urgência, sobre os procedimentos a adoptar para combater a pandemia.


Uma creche ou uma escola podem ser rapidamente encerradas, caso se confirme a existência de casos de Gripe A (H1N1). Mas o que acontece se a infecção tiver como foco um lar de idosos?


A questão preocupa. Antecipando o que poderia ser um "cenário caótico", Manuel de Lemos, presidente da União das Misericórdias Portuguesas, enviou uma carta à Direcção-Geral de Saúde (DGS), para solicitar que sejam informados sobre os procedimentos a adoptar em caso de infecção e também no que respeita à vacinação dos profissionais que, diariamente, trabalham com a população idosa ao cuidado dos mais de 1100 lares que estão afectos à Misericórdia.


"Onde é que colocaríamos os idosos num caso assim? Muitos estão sozinhos e não tinham para onde ir. Na rua? ", questionou Manuel de Lemos, realçando que a possibilidade de deslocar essa população para outros lares seria impensável: "Não seria só negativo devido à gripe, mas também seria impossível porque os lares estão a rebentar pelas costuras".


O responsável enalteceu as medidas no que concerne às crianças, mas defendeu que os idosos deveriam ter o mesmo tratamento, pois também são seres com algumas debilidades. "Entendemos os planos de contingência que são aplicados no que concerne a creches e escolas, mas gostaríamos que fossem também adoptados aos lares de idosos", referiu.


Desta forma, a União das Misericórdias Portuguesas, que congrega 393 Santas Casas, pretende alertar, em antecipação, a Direcção-Geral de Saúde. "Sem alarmismos, pretendemos apenas chamar a atenção para este assunto. Temos responsabilidades sociais, e como tal é preciso prevenir", salientou, realçando que em Portugal, incluindo as Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores, existem mais de 50 mil idosos ao cuidado dos lares, centros de dia e unidades de cuidados continuados da responsabilidade da Misericórdia.


Manuel de Lemos salientou ainda a importância da vacinação dos funcionários que trabalham nessas instituições. "Uma cozinheira, por exemplo. Se contrair a gripe coloca em risco os utentes do lar. E se for ao contrário? Um idoso a contrair o vírus?", vincou.


"É necessário que os funcionários sejam também vacinados, pois consideramos que também pertencem a um grupo de risco e que precisa de estar protegido face a uma pandemia", defendeu.


Por agora, a União das Misericórdias Portuguesas ainda não obteve qualquer "feed back" por parte da Direcção-Geral de Saúde, mas vai aguardar que as suas preocupações sejam tidas em contas.


O JN contactou a Direcção-Geral de Saúde para obter esclarecimentos neste sentido, mas até ao fecho desta edição não obteve qualquer resposta.


sexta-feira, 10 de julho de 2009

Ja se conta 79...

A investigação laboratorial realizada nas últimas 24 horas confirmou a existência de oito casos de infecção pelo vírus da Gripe A (H1N1), o que faz subir para 79 os casos confirmados em Portugal.


Num comunicado disponível no Portal da Saúde, a tutela acrescenta que um dos novos casos diz respeito "a um menino de 1 ano, vindo de Palma de Maiorca, que está internado nos Hospitais da Universidade de Coimbra".


"Outro menino, de 7 anos, proveniente do México, está no Hospital de Angra do Heroísmo, Açores" e "uma mulher, de 19 anos, que veio da Califórnia, está no Hospital Curry Cabral", acrescenta a nota de imprensa.


Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, "três homens estão internados no Hospital de São João: um homem, de 27 anos, veio de Miami, outro homem, de 22 anos, vindo de Barcelona, e outro, de 29 anos, procedente de Palma de Maiorca".


Dois dos casos correspondem a transmissão secundária: uma mulher de 23 anos, que está no Hospital Curry Cabral, e um menino de 2 anos, que está no Hospital de Dona Estefânia, em Lisboa.


Verificaram-se, em Portugal, desde o início de Maio, 79 casos confirmados de Gripe A (H1N1), embora a maioria dos doentes, já tratados, tenha retomado a sua vida, garante a tutela, esclarecendo que o aumento do número de casos importados e de transmissão secundária era já previsível pelas autoridades de saúde pública, tendo em conta a evolução natural da epidemia.


O Ministério da Saúde assegura igualmente que está em curso a pré-reserva de vacinas para 30 por cento da população, e que, assim que a vacina for produzida, Portugal disporá da mesma "na quantidade necessária".


Entretanto, foi constituída uma rede de coordenação entre os laboratórios que fazem a identificação do vírus da gripe A (H1N1).


As análises, que eram realizadas apenas no Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e nos laboratórios do Hospital Curry Cabral, passam agora, progressivamente, a ser efectuadas nos laboratórios do Hospital de São João, dos Hospitais da Universidade de Coimbra e no Laboratório Regional de Saúde Pública do Algarve Dr.ª Laura Ayres.


Atletas madeirenses em vigilância


Em Itália, um grupo de 70 jovens madeirenses que participa em Itália num torneio internacional de andebol que a equipa de Chipre teve de abandonar depois de serem detectados cerca de dez casos de gripe A (H1N1) estão sob vigilância.


Duarte Sousa, um professor que acompanha a comitiva da escola Bartolomeu Perestrelo que participa na prova que decorre em Terano, garantiu que "todos os atletas estão bem e não há de momento nenhum problema, até porque não estiveram em contacto com os colegas afectados".


O professor adiantou que, no ínicio da semana, foram confirmados cinco dos dez casos detectados na equipa de Chipre, entre os quais o treinador daquele país, estando os restantes ainda em avaliação.


Duarte Sousa realçou que foram contactadas as autoridades de saúde nacionais e regionais e estão a ser seguidas as directivas sobre "controlar a temperatura de todos os atletas de manhã e à noite e vigilância para algum dos sintomas".


"Regressamos na próxima segunda-feira, com escala em Lisboa, e no caso de aparecer alguma situação suspeita estarão à nossa espera", disse.


Marinheiro da fragata Bartolomeu Dias teve alta


Já o marinheiro da fragata portuguesa Bartolomeu Dias infectado com o vírus da gripe A teve alta médica e já não apresenta risco de contágio, pelo que regressa ao navio, informou o Governo.


Em comunicado conjunto, os Ministérios da Saúde e da Defesa Nacional referem que o militar regressa ao navio "perfeitamente saudável, não correndo qualquer risco de novo contágio" nem apresentando perigo de contágio "para a restante guarnição".


Gripe A: saiba como e quando usar as máscaras...


A nova gripe está a provocar uma verdadeira corrida às mascaras de protecção. Muitas farmácias do país já esgotaram os stocks, isto apesar das autoridades de saúde ainda não terem recomendado o uso generalizado das máscaras a toda a população.


Existem no mercado as mais variadas máscaras de protecção. Umas mais simples, outras que garantem uma protecção mais eficaz. Máscaras cirúrgicas, máscaras para poeiras não tóxicas, para os pólenes, máscaras com diferentes filtros. A oferta é grande e está, de norte a sul do pais, a registar uma procura cada vez maior junto das farmácias.


Em muitas delas o stock está completamente esgotado, apesar do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças não recomendar, para já, o uso generalizado de máscaras como forma de reduzir o contágio da gripe.


Ajudam a reter as secreções respiratórias quando os doentes tossem ou espirram, mas com tantas disponíveis no mercado, acaba por surgir a dúvida sobre qual será a mais indicada. De qualquer forma, as autoridades de saúde não recomendam o uso de mascaras de protecção e, talvez por isso, ainda há poucos dias um grupo de estudantes portugueses foi convidado a sair de um avião em Palma de Maiorca porque decidiu utilizar máscaras para proteger as vias respiratórias.


Depois de Sao Pedrodo Sul subir a categoria de Cidade...

A Câmara Municipal de S. Pedro do Sul viu aprovada uma candidatura ao Programa de Regeneração Urbana das Cidades, integrado no Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).


A proposta de requalificação urbana consiste, segundo a autarquia, na melhoria dos espaços públicos, nomeadamente passeios e estacionamentos, assim como na reformulação do próprio eixo de circulação, redes de infra-estruturas, ambiente e qualidade urbana.


Estão projectadas intervenções ao longo dos principais espaços da cidade, desde o Largo S. Sebastião, Largo da Capela, Largo da Cerca, Rua da Cerca, Largo da Câmara, Calçada do Querido, Rua de Camões, Praça do Solar da Lapa, Rua Direita e Rua Serpa Pinto.


O valor total do investimento é de um milhão e oitocentos mil euros, sendo que a comparticipação do QREN é de 60 por cento. Ainda de acordo com a autarquia, os trabalhos serão executados faseadamente, prevendo-se o seu início ainda neste ano.


Iniciou viagens de teste...

A poucas semanas da viagem inaugural, o funicular, que ligará o Campo de Viriato à zona da Sé de Viseu, já está a realizar os primeiros testes.


De acordo com o município, aquele meio de transporte não poluente estará disponível ao público, o mais tardar, no dia de abertura da Feira de S. Mateus, isto é, a 14 de Agosto, mas já é possível ver as duas carruagens percorrerem os carris, colocados durante os últimos meses entre a Pensão Viriato e as traseiras da Igreja da Misericórdia.


O objectivo é o de testar todo o equipamento, inclusive os semáforos e câmaras de vigilância, de modo a assegurar que tudo irá funcionar na perfeição, quando chegar o momento de abrir as portas ao público.


Tal como o nosso Jornal adiantou recentemente, as viagens no funicular - cujo objectivo é tirar os carros da zona da Sé, oferecendo um transporte alternativo a quem deixa o carro na baixa -, serão gratuitas ao longo do primeiro ano de funcionamento.

Ex-polícia apanhado com...

Alfredo Morais fugiu da justiça portuguesa em Abril mas acabou por ser detido na Lituânia, na noite de terça-feira. Tentava passar a fronteira para a Letónia com um passaporte português falso. Foi julgado e condenado a três meses de prisão.



Ex-polícia apanhado com passaporte falso
Alfredo Morais está detido na Lituânia

Quando os juízes do Tribunal da Boa Hora, em Lisboa, o condenaram a sete anos de prisão no âmbito do processo "Máfia da Noite", o ex-agente da PSP não esteve presente e já se encontraria, muito provavelmente, fora de Portugal.


Com um mandato de detenção europeu pendente, Alfredo Morais circulou pela Europa com um passaporte português falso, já que o verdadeiro está apreendido, no âmbito do processo Passerelle que decorre no Tribunal de Leiria. Na noite da última terça-feira, tentava passar a fronteira entre a Lituânia e a Letónia quando foi traído pelo documento.


Ontem, Morais foi presente a um juiz de um tribunal da Lituânia e acabou por ser condenado a três meses de prisão pelo crime de uso e posse de documentação fraudulenta.


Em comunicado, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) revela ter sido contactado na noite de anteontem pelo Centro de Cooperação Policial e Aduaneira de Tuy, Espanha, no sentido de ser fornecida informação sobre Alfredo Morais, que havia sido detido pelas autoridades da Lituânia.


Afiançando estar "em permanente contacto com as autoridades policiais" daquele país, fonte do SEF explica que estão a ser dadas todas as informações e elementos necessários para que o mandado de detenção europeu seja executado, o que deverá ocorrer após Morais ter cumprido os três meses de prisão.


Antes de conhecer o veredicto, Melo Alves, o advogado do ex-agente da PSP, garantiu que ainda não ter falado com o seu cliente. Explicou que teve conhecimento da detenção "no próprio dia" e que aguarda a chegada de Morais a Portugal para ver esclarecidas as circunstâncias da sua detenção.


"Ainda não sei porque foi detido, nem sei se cometeu algum crime naquele país", salientou Melo Alves para justificar a eventualidade do seu constituinte ficar retido na Lituânia. "É sempre bom para a defesa estar mais perto do seu cliente. Vamos analisar o que se passou e depois proceder convenientemente", disse o causídico realçando, porém, que o facto de estar detido não vai abonar a favor de Alfredo Morais.


Fuga estudada


A 30 de Abril, o Tribunal da Boa Hora, em Lisboa, condenou Morais a sete anos de prisão por dois crimes de extorsão e por posse ilegal de arma. Nesse dia o ex-agente da PSP não compareceu perante o colectivo de juízes que, por considerarem haver perigo de fuga, alteraram a medida de coacção (termo de identidade e residência) para prisão preventiva.


Na ocasião o tribunal decretou a emissão de mandados de detenção para Morais, mas também para Paulo Baptista, outro arguido neste processo, considerado braço direito do ex-policia, e que foi condenado a seis anos e três meses de prisão pelos crimes de extorsão.


Segundo fontes policias, Morais e Baptista quando souberam do veredicto já estariam "bem longe" de Portugal. Mas contrariamente ao que muitos suspeitavam, Alfredo não se deslocou para o Brasil, mas sim para a Europa de Leste onde "tem contactos". Paulo continua fugido à justiça.


Os dois são arguidos no processo Passerelle, cujo segundo julgamento começou em Abril, em Leiria.


Passerelle


Esteve detido preventivamente 16 meses mas com o alongar do julgamento ficou em liberdade. No julgamento que decorre no Tribunal de Leiria, Morais é um dos 24 arguidos acusados de associação criminosa, tráfico de pessoas, auxílio à imigração ilegal, angariação de mão de obra ilegal, tráfico de pessoas, fraude fiscal e detenção de acessório de arma proibida.


Mafia da Noite


Alfredo Morais foi condenado a sete anos de prisão por dois crimes de extorsão e um de posse ilegal de arma, no âmbito do processo referente a casas de diversão nocturna de Lisboa. A 30 de Abril, Morais faltou à leitura do acórdão no Tribunal da Boa Hora. A juíza alterou as medidas de coacção para prisão preventiva, tendo o tribunal emitido mandados de detenção para Morais, mas também para Paulo Baptista que no âmbito do mesmo processo foi condenado a seis anos e três meses de prisão por dois crimes de extorsão. Os 14 arguidos no processo foram julgados por lenocinio, extorsão, tráfico de droga, posse de arma proibida e associação criminosa.


Extradição só depois de cumprir penana Lituânia


O mandato de detenção europeu (MDE) - visando a entrega de Morais às autoridades portuguesas - só deverá ser executado depois de o ex-polícia cumprir a pena de prisão a que foi condenado.


Morais pode depois não aceitar ser extraditado, cabendo a decisão a um tribunal superiuor da Lituânia. Segundo fontes judiciais, os juízes europeus acabam sempre por decidir pela extradição, cumprindo assim os MDE. Este é um procedimento simples baseado na concepção de celeridade e de eficácia da cooperação judiciária europeia em matéria penal e obedece a princípios do reconhecimento mútuo das decisões judiciárias penais e da confiança mútua.


Fragata portuguesa em quarentena...

foto José Sena Goulão/LUSA
Fragata portuguesa em quarentena devido a caso de gripe A
Fragata Bartolomeu Dias

Militar infectado foi evacuado para o hospital Royal Albert, em Devonport, Plymouth.


A tripulação da fragata portuguesa Bartolomeu Dias está em quarentena no porto de Plymouth, no Sul do Reino Unido, por se ter detectado a bordo um caso de gripe A.


O ministério da Defesa confirmou esse facto e adiantou que o militar infectado foi evacuado para o hospital Royal Albert, em Devonport, Plymouth. Mal foi conhecida a existência de gripe A bordo da mais recente embarcação da marinha de guerra portuguesa, a restante tripulação, composta por 180 marinheiros, foi obrigada a um isolamento e tratamento preventivo com anti-virais.


O Ministério da Defesa refere que foram cumpridas todas as normas militares referentes ao protocolo para este tipo de doença, adiantando ainda que o regresso do navio de guerra a Portugal está previsto para o dia 1 de Agosto. A Bartolomeu Dias está em manobras nas águas territoriais inglesas desde o dia 16 do mês passado.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Corpo de Jackson crivado de marcas de agulha...

Autoridades confirmam ter encontrado um poderoso anestético na casa do cantor, que seria injectado regularmente ao "Rei da Pop".


Michael Jackson, falecido a 25 de Junho, tinha o corpo crivado de picadas de agulhas no momento da sua morte, adiantou fonte próxima do inquérito citada pelas estações televisivas ABC e CNN.


A indicação reforça as conjecturas que apontavam para uma morte provocada pela administração de sedativos fortes.


As marcas no corpo do cantor "podem certamente ser coerentes com um consumo regular de medicamentos intravenosos, como o Diprivan", de acordo com esta fonte.


O Diprivan (ou Propofol, nome não comercial) é um anestésico extremamente poderoso, cuja utilização está reservada ao pessoal médico.


Segundo as autoridades, foi encontrado este medicamento na casa de Michael Jackson, depois da sua morte.


Cherilyn Lee, antiga enfermeira da estrela 'pop', garantiu que Jackson e os seus familiares próximos a tinham pressionado a obter Diprivan, nos últimos meses de vida do cantor.


Os resultados das análises toxicológicas da primeira autópsia do cantor serão conhecidos nas próximas semanas.


Sobe para 10 número de casos confirmados nos Açores...

A mulher, que reside no concelho da Ribeira Grande, na costa norte da ilha de S. Miguel, regressou há dois dias de Espanha.


Uma mulher grávida de 33 anos é o 10º caso confirmado de Gripe A H1N1 nos Açores e está internada no Hospital de Ponta Delgada, nos Açores, com estado clínico estável, disse a Secretaria Regional da Saúde.


A mulher, que reside no concelho da Ribeira Grande, na costa norte da ilha de S. Miguel, regressou há dois dias de Espanha.


Segundo as autoridades sanitárias, foram negativos os resultados das análises realizadas à criança de três anos, irmã do bebé de 13 meses que foi confirmado como portador do vírus H1N1 e que esteve na origem do encerramento preventivo de uma creche em Ponta Delgada.


Família em greve de fome por criança de três anos em vias de ser adoptada...


"Só saímos daqui para o cemitério ou com a Beatriz"
Família de Beatriz está à porta do Tribunal de Menores de Coimbra

Uma família está desde ontem, quarta-feira, à porta do Tribunal de Menores de Coimbra em greve de fome para reaver uma criança de três anos, em vias de ser adoptada. A avó da Beatriz diz que só saem dali para o cemitério ou com a menina.


Beatriz foi retirada dos pais pela Segurança Social há cerca de um ano, devido a uma alegada situação de maus-tratos entre a família, tendo sido entregue a uma instituição da Caritas em Cernache, Coimbra. "Os problemas foram entre adultos, nunca com a criança. A Beatriz vivia bem e tem uma boa relação com toda a família", conta a mãe da criança, Sandra Figueiredo, de 22 anos.


A progenitora adianta ainda que os problemas que se verificavam há um ano estão resolvidos. "Todos erramos e todos temos direito a outra oportunidade", afirma, acrescentando que os pais já têm casa e emprego, e têm melhores condições para receber a menina. Sandra e o pai de Beatriz, Ângelo Bastos, vivem numa casa alugada em Ceira (arredores de Coimbra), e a avó está a morar em Santa Clara, na margem esquerda do Rio Mondego.


Segundo a família, Beatriz já estará dada para adopção e até já terá família para a acolher, sendo que a decisão do Tribunal de Menores ao parecer da assistente social deverá acontecer em Setembro. "Viemos consultar o processo há pouco tempo e disseram-nos que a menina já estava para adopção", conta Sandra Figueiredo.


A família recusa, no entanto, que a greve de fome tenha sido influenciada pelo caso de Martim, ocorrido em Cascais. "Já tínhamos ideia de fazer este protesto há muito tempo, mas esperámos para ver os desenvolvimentos do processo", afirma Cristina Figueiredo, avó de Beatriz.


Pai, mãe, avó, bisavó e outros familiares de Beatriz começaram a chegar ao Tribunal de Menores por volta das cinco horas da madrugada e admitem lá ficar o tempo que for necessário, tendo mesmo uma tenda preparada para passar a noite no local. À volta do tribunal, situado na Avenida Fernão de Magalhães, encontram-se cartazes com fotografias da criança. "A minha filha no dia 7/7/09 pediu aos pais leva-me para brincar com a bola" ou "Beatriz morremos por ti se for preciso" são algumas das mensagens publicadas nos cartazes. "A Beatriz não tem de ficar com mais ninguém. Tem é de ficar com os pais", afirma a avó da criança.


Para domingo, os familiares da menina têm prevista uma ida a Fátima. Segundo Cristina Figueiredo, o grupo vai pedir um milagre para a Beatriz. "Vamos de manhã para assistir à missa e levamos cartazes a apelar que a criança nos seja devolvida", conta. Ângelo Bastos afirma que deverão chegar a Fátima por volta das 9 horas da manhã.


Fonte do tribunal contou que se trata de um processo sigiloso de promoção e protecção de menores, no qual apenas as partes (e às vezes nem as partes) teriam acesso, não podendo prestar declarações sobre o assunto.


Avança e esta é só a primeira onda...

Mais quatro casos de gripe H1N1 confirmados em Portugal nas últimas 24 horas. Os mais recentes envolvem estabelecimentos de ensino, deixando os pais apreensivos quanto à próxima reentrada escolar.


O caso ontem, quarta-feira, conhecido de infecção numa criança que frequenta um infantário já estava contabilizado nos números oficiais do final da passada semana e diz respeito a uma criança que estivera no México. Na creche que frequentava, em Mem Martins, Sintra, não há indícios de contágios, mas os pais e educadores estão atentos a sinais, que podem surgir até amanhã. O facto de a criança ter sido logo tratada e não estar mais em contacto com outras levou à decisão de não fechar a creche. Foi o segundo caso num estabelecimento escolar (o outro tinha sido detectado em Lisboa) .


A ministra Ana Jorge anunciou ontem que a futura vacina contra o vírus H1N1 desta pandemia será administrada a todas as crianças com doenças crónicas. Esse será o caso dos bebés prematuros, com poucas defesas. A extensão da vacina a outras crianças está em estudo, que pesa as vantagens e eventuais desvantagens.


Ontem, a OMS disse estar atenta a prováveis mutações do vírus em circulação e as autoridades sanitárias do Canadá confirmaram que dois trabalhadores de suinicultura foram infectados com uma nova variante do vírus da gripe A, com genes H1N1 e H3N2. O surgimento de mutações pode tornar mais difícil o desenho de uma vacina eficaz. Se outra variante se espalhar, muda o alvo e a produção ficará ainda mais atrasada. Certo é que, em pandemias anteriores, houve duas ou três ondas gripais e o vírus dá a volta ao mundo em cerca de ano e meio, repetindo surtos em regiões ou países. Recorde-se que Portugal tomou esta semana a decisão de fazer uma pré-reserva da vacina para 30% da sua população.


No dia em que foram ultrapassados os 100 mil casos confirmados da nova gripe a nível mundial, a OMS anunciou que deve ser mudada a estratégia de acompanhamento da doença. Foi pedido ontem aos países que deixem de realizar testes laboratoriais a todos os casos suspeitos.


A Organização Mundial de Saúde decidiu, entretanto, rebaptizar a nova gripe, chamando-lhe "H1N1 2009". Ela começou por ser referida como suína, mas os criadores e comerciantes de carne reclamaram. O México, onde os tiveram mais expressão os surtos iniciais, também não ficou agradado com a designação de "gripe mexicana", até porque a origem não está ainda bem esclarecida e se julga que os primeiros casos terão rebentado nos EUA ou no Canadá. Também só a definição de "pandémica" não era suficiente, porque já houve no século XX três pandemias. E também era errado designá-la como gripe A, como um epidemiologista português, Marinho Falcão, explicou ao JN em Maio passado. É que gripes A foram todas as pandemias e são-no também as gripes sazonais. Aquilo que as distingue mais claramente são os seus subtipos. A "pneumónica", de 1918, foi também A (H1N1), sendo que a actual é uma variante desta. A "asiática", na década de 50, foi A (H2N2) e a de Hong-Kong, em 1968, foi A(H3N2). A chamada gripe aviária, que há três anos se temia que viesse a ser a nova pandemia, também era do género A, mas com o subtipo H5N1.


18 empresas de Viseu vao ser distinguidas...

18 empresas PME Líder do distrito de Viseu são hoje distinguidas com o estatuto de PME Excelência 2009. A cerimónia está marcada para as 17h30, no edifício da Alfândega, no Porto


A distinção PME Excelência 2009 dirige-se às empresas já detentoras do estatuto PME Líder que cumpram determinados critérios, nomeadamente uma autonomia financeira superior a 35 por cento, um crescimento mínimo de 5 por cento da facturação face a 2007, uma rendibilidade dos capitais próprios maior que 10 por cento e uma rendibilidade do activo de pelo menos 3 por cento.


Na sequência da atribuição do Estatuto PME Líder pelo IAPMEI, Turismo de Portugal e os Bancos Santander, BES, BPI, Millennium e CGD, iniciou-se o processo de selecção das PME Excelência.
Consequentemente, são várias as empresas que se integram dentro destes parâmetros, sendo que a selecção é feita pelo IAPMEI, tendo em conta o desempenho económico-financeiro e de gestão.


O prémio é também o reconhecimento de uma gestão com o perfil de risco adequado à actual situação económico-financeira, mas assente numa estratégia planeada em tempo útil e implementada com sucesso.


No caso concreto do distrito de Viseu, vão ser distinguidas 18 empresas de diversos ramos com o estatuto de PME Excelência 2009.


quarta-feira, 8 de julho de 2009

61 casos confirmados de gripe A ...

No relatório das 17:00 de hoje, o centro europeu avançava com 61 casos confirmados em Portugal, quatro dos quais reportados nas últimas 24 horas.


A nível europeu, o mesmo relatório indica o registo de 238 novos casos registados nas últimas 24 horas, totalizando 10 820 casos.


O Reino Unido regista o maior número de casos (7 447), seguido da Espanha (870), da Alemanha (591) e de França (403).


Fora da Europa foram registados nas últimas 24 horas mais 1 254 novos casos, o que totaliza 89 894.


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o vírus H1N1 já contagiou 100 714 pessoas no mundo, tendo causado 441 mortes.


Foram ainda identificados três casos de resistência ao oseltamivir reportados na Dinamarca, Japão e Hong Kong.


Novo caso de Gripe A numa criança...

Crianca foi diagnosticada com o vírus H1N1 na sexta-feira. Frequentava creche em Mem Martins, no concelho de Sintra, mas estabelecimento continua a funcionar porque não houve mais nenhuma criança com sintomas.


Uma criança de três anos que frequentava uma creche em Mem Martins, no concelho de Sintra, foi diagnosticada com Gripe A (H1N1) na passada sexta-feira, mantendo-se o estabelecimento a funcionar por indicação do delegado de saúde.


Em declarações à RTP, a directora pedagógica da creche explicou que “a instituição foi desinfectada” e que estão a monitorizar a febre das crianças “de 12 e 12 horas”.


A decisão de manter a creche a funcionar deve-se ao facto de “não haver mais contágios” e de “a criança infectada só ter tido um pico de febre (38º) e estar em casa” em tratamento, por indicação do Hospital Dona Estefânia.


A criança infectada frequenta uma sala de 25 alunos com três anos. A creche acolhe cerca de 120 crianças entre os 12 meses e os cinco anos.


A directora pedagógica referiu ainda à estação pública que “todos os pais foram contactados na segunda-feira e avisados”, manifestando alguma preocupação, mas receberam as indicações sobre o que fazer.


Certidão de óbito de Michael Jackson omite causa da morte...

As autoridades emitiram terça-feira o certificado de óbito de Michael Jackson mas o documento não identifica a causa da morte, que aconteceu a 25 de Junho, em Los Angeles.


Os oficiais de saúde pública apresentaram o certificado de óbito terça-feira, no dia em que decorreram as homenagens pública e privada em memória do rei da 'pop'.


A causa da morte é referida como adiada" - as autoridades competentes estão ainda a investigar o que terá provocado o falecimento do cantor de 50 anos.


A informação sobre o documento foi fornecida pela irmã de Michael Jackson, La Toya, um dos membros da família que acorreu ao hospital onde estava Jackson quando foi declarada a sua morte.


O documento não referia o local onde Michael Jackson vai ser enterrado.

Registados em Portugal mais nove casos de contágio com vírus H1N1 2009...

Portugal tem garantida a quantidade de vacinas contra a gripe necessária para 30% da população, assegurou ontem a ministra da Saúde, no dia em que foram confirmados mais nove novos casos e encerradas uma escola em Lisboa e uma creche nos Açores.


Ana Jorge garantiu não haver atraso na pré-reserva da vacina, que está a ser negociada com vários laboratórios, prevendo tê-la quando for disponibilizada em finais de Novembro. Portugal soma 57 casos de contágio com o vírus que a Organização Mundial de Saúde rebaptizou como "H1N1 2009".


Os casos na escola de Lisboa foram confirmados ao início da tarde. Poucas horas depois, era comunicado o encerramento de uma creche em Ponta Delgada, onde foi detectada uma criança de 18 meses com o vírus. A Secretaria Regional da Saúde garantiu que todas as 29 restantes estão medicadas e observadas.


Dos nove novos casos desde as 18 horas de anteontem, cinco devem-se a transissão secundária e quatro vieram do estrangeiro. Entre os de contágio local estão dois meninos e uma menina de dois anos, uma de quatro - todos em tratamento em casa - e um jovem de 17 anos, internado no Hospital Curry Cabral, em Lisboa. Nesta unidade estão dois jovens de 18 anos e uma mulher de 44 regressados do México, enquanto uma criança de dois anos vinda deste país está em casa.


Entretanto, a OMS, cujo balanço cifra a pandemia em mais de 98 mil infectados e 440 mortos, prepara novas instruções e desaconselhou análises sistemáticas de laboratório nos países com mais casos, seguindo o exemplo nomeadamente do Reino Unido, onde os exames foram abandonados.


Não será ainda o caso de Portugal, cujo Plano Nacional de Contingência aponta o apoio dos laboratórios de virologia ao diagnóstico da infecção pelo H1N1 "nos casos iniciais e para caracterização dos vírus circulantes durante a pandemia",


A epidemiologista Cristina Furtado, do Instituto Nacional de Saúde (INSA), explicou ao Jn que "não há um número limite de casos" a partir do qual se deixa de fazer o diagnóstico laboratorial. "À medida que a pandemia aumenta, percebe-se que, com um quadro clínico muito semelhante, diminui a importância do diagnóstico laboratorial". Até porque os esforços das autoridades passam a concentrar-se "no tratamento e na vigilância dos contactos". E exemplifica: "numa família com um primeiro caso confirmado, quando surgirem outros familiares com o mesmo quadro clínico, assume-se que é gripe".


"Em Portugal ainda estamos numa fase de contenção e diagnóstico de todos os casos validados como suspeitos". A redução dos diagnósticos laboratoriais "vai depender da evolução do quadro epidemiológico". O Reino Unido já tem perto de oito mil casos de H1N1, o que justificou a alteração das medidas, pois não há motivos para pensar que um caso suspeito não seja gripe. Mas Portugal "ainda não tem o vírus espalhado". "Se fossem dez mil casos para tratar, teríamos que concentrar esforços nesse sentido".


Mas o diagnóstico não é simplesmente abandonado. Como acontece com a gripe sazonal, deve ser feito para estudar resistências aos antivirais e identificar eventuais mutações do vírus. Aliás, a OMS vai pedir que se façam análises a doentes com sintomas pouco habituais para detectar essas possíveis mutações.


Portugal mantém a vigilância dos contactos dos doentes confirmados, mas "haverá uma altura em que se tornará impraticável". Com uma pandemia generalizada, "o vírus é mais rápido do que os passos" das autoridades.


Adeus a Michael Jackson...

Cerimónia de homenagem a Michael Jackson reuniu largos milhares de fãs em Los Angeles. Mariah Carey, Usher, Queen Latifah e Lionel Richie foram alguns dos artistas que se associaram ao tributo. Veja o vídeo.


A despedida de Michael Jackson foi uma impressionante manifestação de pesar de fãs e figuras públicas que, apesar de centrada em Los Angeles, chegou a todo o Mundo, atingindo um mediatismo raras vezes visto.


O forte aparato de segurança - um elemento por cada três espectadores, segundo cálculos da organização - e a sobriedade do Staples Center, desprovido de artefactos visuais de grande monta exceptuando o ecrã gigante colocado no palco, marcaram a cerimónia pública de homenagem, cujo início teve um atraso de meia hora, devido à lentidão do cortejo fúnebre.


À entrada do recinto, cinco irmãos do músico - Randy, Marlon, Jackie, Jermaine e Tito Jackson - transportaram o caixão dourado, ornamentado com flores no centro do palco.


Coube a Lucious W. Smith, pastor da Igreja Baptista da Amizade de Pasadena (Califórnia), a invocação inicial - "viemos juntos e lembramos o tempo", disse -, seguindo-se uma breve actuação de Mariah Carey do tema "I'll be there", em dueto com Trey Lorenz.


As palavras de Nelson Mandela, lidas por Smokey Robinson, foram das primeiras a ecoar no lotado auditório. "Tínhamos uma enorme admiração por ele desde que começou a actuar na África do Sul com regularidade. A nossa admiração pelo seu talento era enorme. O Michael era um gigante. Uma verdadeira lenda", escreveu o antigo líder sul-africano. Robinson leu ainda uma mensagem de Diana Ross, que, apesar de ausente da cerimónia, afirmou encontrar-se "em espírito no local", pois "Michael Jackson era uma parte importante do meu mundo, da minha vida".


Nas duas horas de duração do tributo, a plateia de quase 20 mil pessoas, seleccionada a partir de um universo de inscritos superior a um milhão e meio de interessados, não refreou o entusiasmo e a emoção, manifestando-se ruidosamente em cada actuação - que incluiu nomes como os de Lionel Richie, Germaine Jackson, Usher, Jennifer Hudson ou John Mayer - e cumprindo, deste modo, os intentos do familiares do músico, que sempre afirmaram pretender que a cerimónia fosse uma gigantesca celebração de afecto.


Mais emotivas ainda do que as músicas foram os depoimentos. Queen Latifah leu um poema de Maya Angelou, autora afro-americana; o fundador da Motown, Berry Gordy, relembrou "o maior artista de todos os tempos" e até Magic Johnson participou, ao relembrar o contributo do artista "para a valorização dos negros americanos". A questão racial voltou a estar no centro do discurso do reverendo e activista dos direitos civis Al Sharpton que, com o auxílio do teleponto, recordou como o autor de "Thriller" acabou por "sobrepor todas as barreiras relacionadas com a cor". Sharpton não deixou passar em claro em claro os litígios judiciais que marcaram a vida de Michael Jackson e, dirigindo-se aos três filhos do artista presentes no Staples Center, defendeu que "nada do que ele fez foi estranho; estranho foi tudo aquilo a que teve que fazer frente".


Exceptuando uma breve referência do irmão Marlon - "talvez agora, Michael, te deixem finalmente em paz" -, as menções aos processos judiciais enfrentados por Jackson não abundaram ao longo da cerimónia. No entanto, nem por isso faltaram exemplos paradigmáticos de como a reabilitação da imagem pública do cantor, desgastada após anos a fio de batalhas nos tribunais, esteve entre os objectivos da cerimónia. A começar pela exposição dos filhos do malogrado músico. Paris adiantou mesmo que "o meu pai foi o melhor que se pode imaginar".


Duas horas exactas após o início, o espectáculo, concebido meticulosamente para as televisões, chegava ao fim, com os temas "Heal the world" e "We are the world" entoados em uníssono pela multidão.


Sempre com os focos dirigidos para o rosto dos filhos, as câmaras captaram ainda a despedida feita pelos familiares do caixão do músico, cujos restos mortais deverão ser encaminhados para o cemitério de Forest Law, onde, duas horas antes do tributo pública, se realizou uma cerimónia privada.


O protagonismo assumido por este evento não impediu que outros tributos, ainda que de menor dimensão, se realizassem nos cinco continentes. De Bucareste a Hong Kong, passando por Sydney ou Berlim, os fãs do músico renderam homenagem um pouco por toda a parte.


Serpente na sanita...

m residente da localidade espanhola de Alicante, Juan Ochoa, deparou com uma serpente pitão de metro e meio ao abrir a tampa da sanita durante a noite.


Segundo explicou Ochoa à televisão da agência noticiosa espanhola EFE, no sábado à meia-noite foi à casa de banho e, sem acender a luz, ao levantar a tampa da sanita, reparou que havia algo dentro.


"Deparei com algo estranho (...) e, quando acendi a luz, vi uma cabeça de serpente maior que o meu polegar e assustei-me", contou.


Rapidamente, telefonou para a polícia e fechou a porta da casa de banho porque se deu conta de que o réptil "estava a tentar sair".


Logo que chegou a polícia local, os agentes serviram-se de uma faca que Ochoa habitualmente utiliza para cortar carne, prenderam-na ao cabo de uma vassoura com cinta adesiva, e assim mataram a piton.


Ochoa acredita que a serpente não entrou vinda da rua, antes chegou à casa de banho através da descarga, já que a serpente estava dentro da sanita com a tampa fechada.


Reconhece que agora tem medo de ir à casa de banho: "Sinto-me mal porque tenho a sensação de que posso encontrar algo ali. Tenho medo e não sei quando vou ultrapassá-lo", confessou.


terça-feira, 7 de julho de 2009

Homenagem ao "Rei da Pop" em directo....

O corpo de Michael Jackson vai estar no Staples Center, local da homenagem pública ao "Rei da Pop", falecido a 25 de Junho. Acompanhe em directo as cerimónias de homenagem a Michael Jackson, no dia do seu funeral.


A informação foi confirmada pelo chefe da polícia de Los Angeles, William Bratton, e traz alguma luz ao secretismo que rodeia o funeral do artista.


A família de Michael Jackson, incluindo a mãe, Katherine, e os três filhos, foram vistos a entrar para a igreja do cemitério de Forest Lawn, local onde estão sepultadas muitas das estrelas de Hollywood. Presume-se que é aí, também, que ficará o corpo de Michael Jackson.


Depois desta cerimónia privada, sabe-se agora, o corpo de Michael Jackson segue para o centro de Los Angeles. No Staples Center, cerca de 17500 fãs do cantor juntam-se para uma homenagem pública.


Usher e Stevie Wonder vão cantar, em dueto, a música "Gone too soon", num epitáfio a Michael Jackon, com música do próprio, tirada do álbum “Dangerous”. Lionel Richie, Smokey Robinson, Diana Ross são outros dos artistas presentes na homenagem, adianta o tablóide britânico “The Sun”.


O jovem Shaheen Jafargholi, de 12 anos, dado a conhecer pelo concurso Britain's Got Talent, que deu ao mundo ainda a voz de Susan Boyle, é outra das presenças esperadas no palco para cantar em homenagem a Michael Jackson.


H1N1 - actualizacao 7 de Julho 2009

Paises contaminados com H1N1

Paises contaminados com H1N1 - AFRICA

1

Tanzania

2076

2

Egipto

78

3

Africa do Sul

18

4

Marrocos

17

5

Quenia

15

6

Zambia

6

7

Argelia

5

Tunisia

5

8

Cabo Verde

3

Etiopia

3

9

Costa do Marfim

2

10

Ilhas Mauricias

1

Libia

1

Uganda

1


TOTAL

2231


Paises contaminados com H1N1 - AMERICA

1

Estados Unidos

33902

2

Mexico

10262

3

Canada

7983

4

Chile

7376

5

Argentina

2485

6

Peru

916

7

Brasil

737

8

Panama

417

9

Bolivia

416

10

Nicaragua

321

11

El Salvador

319

12

Guatemala

286

13

Costa Rica

277

14

Republica Dominicana

208

15

Venezuela

206

16

Equador

204

17

Uruguai

195

18

Honduras

123

19

Colombia

118

20

Paraguai

106

21

Cuba

85

22

Trinidad e Tobago

65

23

Jamaica

32

24

Ilhas do Caimao

14

25

Barbados

12

26

Suriname

11

27

Curacao

8

28

Sant Maarten

7

Bahamas

7

29

Aruba

5

30

Martinica

3

31

Antiqua e Barbuda

2

Ilhas Virgens Britanicas

2

32

Guiana

1

Santa Lucia

1

Bermuda

1

Dominica

1


TOTAL

67114


Paises contaminados com H1N1 - ASIA

1

China

2040

2

Japao

1790

3

Filipinas

1709

4

Tailandia

1414

5

Singapura

1055

6

Israel

681

7

Coreia do Sul

202

8

Vietname

181

9

India

129

10

Brunei

124

11

Arabia Saudita

114

12

Malasia

112

13

Taiwan

61

14

West Bank e Gaza

60

15

Libano

49

16

Kuwait

35

17

Jordania

23

Qatar

23

18

Indonesia

20

19

Sri Lanka

19

20

Bangladesh

18

21

Baren

15

22

Iraque

12

23

Emiato Arabes Unidos

8

Yemen

8

24

Camboja

7

25

Nepal

5

Laos

5

26

Oman

4

27

Siria

1

Burma

1

Irao

1


TOTAL

9926


Paises contaminados com H1N1 - EUROPA

1

Reino Unido

7447

2

Espanha

776

3

Alemanha

505

4

Franca

310

5

Grecia

151

6

Italia

146

7

Holanda

135

8

Chipre

109

9

Suecia

84

10

Suica

76

11

Irlanda

74

12

Dinamarca

66

13

Belgica

54

14

Finlandia

47

15

Portugal

42

16

Noruega

41

Romenia

41

17

Polonia

25

18

Malta

24

19

Austria

19

20

Eslovaquia

18

21

Ilhas do Canal da Mancha

17

22

Republica Checa

15

Servia

15

23

Eslovenia

14

24

Estonia

13

25

Hungria

11

26

Bulgaria

10

Montenegro

10

27

Luxemburgo

6

28

Islandia

4

29

Lituania

3

30

Macedonia

2

31

Bosnia Herzegovuna

1

Croacia

1

Monaco

1

Ilha do Man

1

Letonia

1

Ucrania

1


TOTAL

10316


Paises contaminados com H1N1 - EURASIA

1

Turquia

40

2

Russia

3


TOTAL

43


Paises contaminados com H1N1 - OCEANIA

1

Australia

5298

2

Nova Zelandia

1059

3

Polinesia Francesa

4

4

Fiji

2

Vanuatu

2

Nova Caledonia

2

5

Samoa

1

Papua Nova Guine

1

Palau

1


TOTAL

6370


Mortos confirmados

Mortos confirmados - AMERICA

1

Estados Unidos

170

2

Mexico

119

3

Argentina

60

4

Canada

25

5

Chile

14

6

Uruguai

4

7

Costa Rica

3

8

Colombia

2

Republica Dominicana

2

Guatemala

2

9

Honduras

1

Brasil

1

Paraguai

1

TOTAL

404

Mortos confirmados - ASIA

1

Tailandia

3

2

Filipinas

1

TOTAL

4

Mortos confirmados - EUROPA

1

Reino Unido

7

2

Espanha

1

TOTAL

8

Mortos confirmados - OCEANIA

1

Australia

10

2

Nova Zelandia

3

TOTAL

13