So faltam meses, dias, horas, minutos, e segundos para o ano 2012

Madeleine

Banner1
Click here to download your poster of support

Radio Viseu Cidade Viriato

sábado, 23 de maio de 2009

Controle da natalidade dando vitória ao islamismo no mundo ocidental

Mais 854 casos de gripe A nas últimas 24 horas

Nas últimas 24 horas foram registados mais 854 casos de gripe A (H1N1), mantendo-se inalterado o número de mortos, segundo o balanço divulgado pela Organização Mundial de Saúde.



A Organização Mundial de Saúde (OMS) contabiliza agora 12 022 contaminados com a doença em 43 países e 86 mortos.



A quase totalidade dos novos casos foram registados nos Estados Unidos (mais 788 casos).



A doença também cresceu de modo significativo no Japão (mais 27 casos) e em Espanha (mais 13).



Estados Unidos, México, Canadá, Costa Rica, Japão, Espanha, Reino Unido, Panamá, Chile e Alemanha são os dez países mais afectados, sendo que nas últimas 24 horas se registaram mais três casos no Panamá e na Alemanha e mais cinco no Reino Unido.


Paises contaminados com H1N1
1 Estados Unidos 5764
2 Mexico 3892
3 Canada 719
4 Japao 294
5 Espanha 113
6 Reino Unido 112
7 Panama 73
8 Chile 24
9 Costa Rica 20
10 Franca 16
11 Alemanha 14
12 Colombia 12
13 China 11
14 Italia 10
15 Nova Zelandia 9
16 Brasil 8
Equador 8
17 Israel 7
Australia 7
18 Sao Salvador 6
19 Belgica 5
Peru 5
20 Cuba 4
Guatemala 4
21 Coreia do Sul 3
Holanda 3
Suecia 3
Noruega 3
22 Finlandia 2
Malasia 2
Polonia 2
Tailandia 2
Turquia 2
23 Argentina 1
Austria 1
Dinamarca 1
India 1
Irlanda 1
Filipinas 1
Portugal 1
Grecia 1
Suica 1



Mortos confirmados
1 Mexico 75
2 Estados Unidos 9
3 Canada 1
Costa Rica 1

A escalada do desemprego está agravar-se...

A escalada do desemprego está a começar agora e vai agravar-se? Porquê?


Sim. É o efeito retardado da travagem global da procura de bens e serviços. De acordo com as previsões, vai continuar não se sabe por quanto tempo.


Os números do IEFP referem 491 635 desempregados inscritos, enquanto as estimativas do INE são mais altas, apontando quase 600 mil desempregados. Como se explica esta diferença?



O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) conta pessoas registadas como candidatos a emprego, e o Instituto Nacional de Estatística (INE) baseia os seus números em inquéritos a amostras da população. As circunstâncias que podem influir em cada um desses números são diferentes e muito variadas.



Que medidas poderia o Governo tomar para minimizar o desemprego na conjuntura actual?



As políticas de aumento do investimento público, de incentivo à criação de postos de trabalho e de apoio à formação parecem estar no caminho certo, pelo menos, à priori.



Há uma predominância no desemprego entre profissões de baixa qualificação. O que se pode fazer para colocar estas pessoas de novo no mercado de trabalho?



Não parece correcta uma aposta no embaretecimento desses postos de trabalho, por exemplo, através da redução dos encargos sociais. A única resposta positiva centra-se, naturalmente, na melhoria da qualificação das pessoas atingidas pelo desemprego nestas áreas.



MUNICIPIOS DISTRITOS N.desempregados



Vila Nova de Gaia Porto 22906
Lisboa Lisboa 20771
Sintra Lisboa 16406
Porto Porto 14118
Guimaraes Braga 12099
Gondomar Porto 10734
Braga Braga 9527
Amadora Lisboa 8802
Matosinhos Porto 8187
Santa Maria da Feira Aveiro 8028
Famalicao Braga 7994
Maia Porto 7691
Cascais Lisboa 7262
Loures Lisboa 7180
Almada Setubal 6833
Seixal Setubal 6754
Valongo Porto 6740
Santo Tirso Porto 6613
Setubal Setubal 6377
Vila Franca de Xira Lisboa 5916
Coimbra Coimbra 5714
Viseu Viseu 5275
Oeiras Lisboa 5015
Vila do Conde Porto 4879
Paredes Porto 4862
Barcelos Braga 4740
Odivelas Lisboa 4624
Leiria Leiria 4284
Barreiro Setubal 3894
Amarante Porto 3743
Felgueiras Porto 3733
Viana do Castelo Viana do Castelo 3718
Povoa de Varzim Porto 3715
Ovar Aveiro 3705
Moita Setubal 3703
Fafe Braga 3641
Aveiro Aveiro 3614
Portimao Faro 3446
Trofa Porto 3436
Covilha Castelo Branco 3406
Marco de Canaveses Porto 3285
Figueira da Foz Coimbra 3278
Penafiel Porto 3038
Espinho Aveiro 2913
Pacos de Ferreira Porto 2880
Oliveira de Azemeis Aveiro 2795
Vila Real Vila Real 2782
Palmela Setubal 2721
Loule Faro 2717
Torres Vedras Lisboa 2703
Caldas da Rainha Leiria 2549
Alcobaca Leiria 2500
Evora Evora 2491
Castelo Branco Castelo Branco 2463
Faro Faro 2410
Mafra Lisboa 2355
Lousada Porto 2324
Albufeira Faro 2240
Abrantes Santarem 2229
Montijo Setubal 2145
Olhao Faro 2093
Santarem Santarem 2086
Agueda Aveiro 2023
Chaves Vila Real 1994
Vila Verde Braga 1939
Alenquer Lisboa 1938
Guarda Guarda 1923
Baiao Porto 1836
Marinha Grande Leiria 1809
Ilhavo Aveiro 1769
Vizela Braga 1687
Ponte de Lima Viana do Castelo 1623
Peniche Leiria 1622
Braganca Braganca 1601
Lamego Viseu 1565
Sesimbra Setubal 1550
Tomar Santarem 1540
Pombal Leiria 1533
Silves Faro 1507
Seia Guarda 1497
Fundao Castelo Branco 1473
Lagos Faro 1461
Salvaterra de Magos Santarem 1454
Celorico de Basto Braga 1357
Estarreja Aveiro 1336
Benavente Santarem 1336
Elvas Portalegre 1331
Castelo de Paiva Aveiro 1294
Beja Beja 1262
Cinfaes Viseu 1255
Santiago do Cacem Setubal 1249
Torres Novas Santarem 1232
Sao Joao da Madeira Aveiro 1217
Cantanhede Coimbra 1204
Ourem Santarem 1195
Odemira Beja 1172
Albergaria-a-Velha Aveiro 1165
Esposende Braga 1149
Mirandela Braganca 1149
Mangualde Viseu 1137
Portalegre Portalegre 1131
Coruche Santarem 1117
Cabeceiras de Basto Braga 1116
Ponte de Sor Portalegre 1115
Peso da Regua Vila Real 1109
Lagoa Faro 1087
Anadia Aveiro 1078
Moura Beja 1035
Montemor-o-Velho Coimbra 1026
Azambuja Lisboa 1008
Vila Real de Santo Antonio Faro 987
Cartaxo Santarem 968
Povoa de Lanhoso Braga 958
Almeirim Santarem 936
Lourinha Lisboa 931
Vieira do Minho Braga 885
Nelas Viseu 882
Gouveia Guarda 874
Amares Braga 858
Tavira Faro 855
Serpa Beja 844
Porto de Mos Leiria 821
Tondela Viseu 812
Nazare Leiria 798
Resende Viseu 788
Sines Setubal 787
Mealhada Aveiro 754
Vale de Cambra Aveiro 746
Oliveira do Bairro Aveiro 745
Lousa Coimbra 744
Oliveira do Hospital Coimbra 736
Macedo de Cavaleiros Braganca 733
Soure Coimbra 727
Arouca Aveiro 720
Arcos de Valdevez Viana do Castelo 718
Vagos Aveiro 712
Entroncamento Santarem 704
Sao Pedro do Sul Viseu 666
Valpacos Vila Real 662
Alijo Vila Real 651
Rio Maior Santarem 647
Valenca Viana do Castelo 645
Reguengos de Monsaraz Evora 640
Caminha Viana do Castelo 637
Vila Pouca de Aguiar Vila Real 617
Satao Viseu 607
Moncao Viana do Castelo 594
Serta Castelo Branco 571
Mira Coimbra 568
Alcochete Setubal 544
Cadaval Lisboa 532
Montemor-o-Novo Evora 529
Castro Daire Viseu 520
Bombarral Leiria 517
Ansiao Leiria 515
Batalha Leiria 504
Alcanena Santarem 498
Moimenta da Beira Viseu 493
Almodovar Beja 483
Obidos Leiria 482
Condeixa-a-Nova Coimbra 476
Ribeira de Pena Vila Real 472
Alcacer do Sal Setubal 462
Sever do Vouga Aveiro 459
Santa Marta de Penaguiao Vila Real 459
Ponte da Barca Viana do Castelo 458
Estremoz Evora 452
Chamusca Santarem 447
Penacova Coimbra 445
Tabua Coimbra 440
Mondim de Basto Vila Real 439
Torre de Moncorvo Braganca 434
Aljustrel Beja 426
Campo Maior Portalegre 423
Paredes de Coura Viana do Castelo 419
Penalva do Castelo Viseu 419
Mesao Frio Vila Real 418
Miranda do Corvo Coimbra 416
Murtosa Aveiro 415
Vendas Novas Evora 408
Carregal do Sal Viseu 404
Vila Nova de Cerveira Viana do Castelo 403
Tarouca viseu 396
Pinhel Guarda 394
Santa Comba Dao Viseu 391
Vinhais Braganca 377
Belmonte Castelo Branco 376
Arganil Coimbra 374
Vouzela Viseu 366
Terras de Bouro Braga 364
Vila Flor Braganca 357
Grandola Setubal 353
Ferreira do Alentejo Beja 347
Tabuaco Viseu 347
Arruda dos Vinhos Lisboa 344
Idanha -a-Nova Castelo Branco 340
Sabrosa Vila Real 340
Portel Evora 339
Castro Verde Beja 332
Vila Nova de Paiva Viseu 332
Redondo Evora 323
Mogadouro Braganca 319
Alpiarca Santarem 319
Figueiro dos Vinhos Leiria 316
Sabugal Guarda 306
Murca Vila Real 302
Sao Joao de Pesqueira Viseu 298
Sobral Monte Agraco Lisboa 296
Borba Evora 291
Ourique Beja 280
Oliveira de Frades Viseu 275
Celorico da Beira Guarda 274
Vila Vicosa Evora 268
Vila Nova de Foz Coa Guarda 268
Montalegre Vila Real 262
Avis Portalegre 259
Armamar Viseu 258
Vidigueira Beja 256
Alfandega da Fe Braganca 253
Arraiolos Evora 250
Mortagua Viseu 246
Fornos de Algodres Guarda 244
Vila Nova da Barquinha Santarem 243
Carrazeda de Ansiaes Braganca 241
Alandroal Evora 239
Vila Nova de Poiares Coimbra 237
Nisa Portalegre 237
Freixo de Espada a Cinta Braganca 231
Alvaiazere Leiria 230
Mertola Beja 228
Sao Bras de Alportel Faro 226
Viana do Alentejo Evora 224
Proenca-a-Nova Castelo Branco 215
Golega Santarem 213
Castro Marim Faro 212
Ferreira do Zezere Santarem 211
Mora Evora 210
Boticas Vila Real 210
Castanheira de Pera Leiria 208
Gaviao Portalegre 201
Manteigas Guarda 198
Monchique Faro 197
Cuba Beja 196
Fronteira Portalegre 188
Sardoal Santarem 187
Sernancelhe Viseu 184
Pedrogao Grande Leiria 179
Trancoso Guarda 177
Figueira de Castelo Rodrigo Guarda 176
Aguiar da Beira Guarda 168
constancia Santarem 166
Sousel Portalegre 160
Miranda do Douro Braganca 159
Crato Portalegre 159
Penela Coimbra 155
Vimioso Braganca 153
Alter do Chao Portalegre 152
Monforte Portalegre 149
Almeida Guarda 148
Aljezur Faro 145
Macao Santarem 144
Penamacor Castelo Branco 143
Melgaco Viana do Castelo 135
Vila do Bispo Faro 133
Gois Coimbra 132
Castelo de Vide Portalegre 120
Arronches Portalegre 112
Vila de Rei Castelo Branco 109
Marvao Portalegre 109
Pampilhosa da Serra Coimbra 108
Alvito Beja 96
Penedono Viseu 94
Mourao Evora 86
Oleiros Castelo Branco 84
Vila Velha de Rodao Castelo Branco 84
Meda Guarda 81
Barrancos Beja 77
Alcoutim Faro 42






DISTRITOS REGIOES N.desempregados



Porto Norte 114720
Lisboa Centro 86083
Braga Norte 48314
Setubal Sul 37372
Aveiro Centro 35488
Faro Sul 19758
Leiria Centro 18867
Viseu Centro 18010
Santarem Centro 17872
Coimbra Centro 16780
Vila Real Norte 10717
Viana do Castelo Norte 9350
Castelo Branco Centro 9264
Beja Sul 7034
Evora Sul 6750
Guarda Centro 6728
Braganca Norte 6007
Portalegre Sul 5846

E melhor terem cuidado...

Cerca de cinco milhões de portugueses têm excesso de peso e mais de nove mil pessoas já morreram desde 2004 com problemas relacionados com a obesidade.


Estas informações são asseguradas pela Associação de Doentes Obesos e Ex-obesos de Portugal (ADEXO), no Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade que se assinala este sábado.


Para a ADEXO o momento não é para comemorações. "Estamos de luto pelas cerca de nove mil pessoas com obesidade que desde 2004 morreram e continuam a morrer nas listas de espera para consulta e nas listas de espera para cirurgia de tratamento da obesidade", disse Carlos Oliveira, presidente da ADEXO.


Carlos Oliveira adiantou que mais de duas mil pessoas aguardam tratamento por via cirúrgica e outros milhares esperam uma primeira consulta no Serviço Nacional de Saúde, alguns há mais de dois anos.


"Todos os anos morrem em média 1500 pessoas, mortes relacionadas com a obesidade e que poderiam ser evitadas", disse.


O mais recente estudo realizado em Portugal sobre a incidência da obesidade, coordenado pela médica Isabel do Carmo, revelou que mais de metade da população tem excesso de peso e que 14,2 por cento destes casos são casos de obesidade.


A obesidade, que a Organização Mundial de Saúde considera "a epidemia do século XXI", é uma doença crónica e constitui um dos mais graves problemas de saúde pública que Portugal enfrenta.


É partindo do princípio de que se trata de um problema nacional que Carlos Oliveira considera urgente a entrada em funcionamento do plano que reduza as listas de espera.


Em Portugal tem assumido especial importância o excesso de peso nas crianças e jovens. A prevalência da pré-obesidade e obesidade em idade pré-escolar, escolar e adolescente é de 31 por cento, com 10 por cento de casos de obesidade.


A patologia está relacionada com um maior risco de doenças e de mortalidade precoce. Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo 2 e as doenças cardiovasculares.


sexta-feira, 22 de maio de 2009

H1N1 - actualizacao entre 20 Maio 2009 ate 21 Maio 2009

Mais 792 casos e 5 mortos


Paises contaminados com H1N1
1 Estados Unidos 5710
2 Mexico 3892
3 Canada 719
4 Japao 259
5 Espanha 111
6 Reino Unido 109
7 Panama 69
8 Costa Rica 20
9 Franca 16
10 Alemanha 14
11 Colombia 12
12 Italia 10
13 Nova Zelandia 9
14 Brasil 8
15 Israel 7
China 7
16 Sao Salvador 6
17 Belgica 5
Chile 5
18 Cuba 4
Guatemala 4
19 Coreia do Sul 3
Holanda 3
Suecia 3
Peru 3
Noruega 3
Australia 3
20 Finlandia 2
Hong Kong 2
Malasia 2
Polonia 2
Tailandia 2
Turquia 2
21 Argentina 1
Austria 1
Dinamarca 1
Equador 1
India 1
Irlanda 1
Portugal 1
Grecia 1
Suica 1



Mortos confirmados
1 Mexico 75
2 Estados Unidos 8
3 Canada 1
Costa Rica 1

Escravizado nos últimos 10 anos.


Um pastor, de 58 anos, passou os últimos dez sequestrado e escravizado numa exploração agrícola em Sernancelhe. Há dois meses fugiu para Fornos de Algodres. No último fim-de-semana, o patrão foi lá buscá-lo à força. A PJ resgatou-o.


No passado domingo, quando levava a cesta com o almoço ao pastor que, há cerca de dois meses, lhe guardava o gado, José Gomes, agricultor em Fuinhas, Fornos de Algodres, sobressaltou-se: o homem tinha desaparecido e as ovelhas andavam tresmalhadas.


A denúncia do caso às autoridades, por parte do empresário agrícola, levou a Polícia Judiciária (PJ) da Guarda a entrar imediatamente em acção. No mesmo dia, o pastor Luís Carlos Vaz Marques acabaria por ser resgatado em Sernancelhe, na quinta onde viveu alegadamente escravizado nos últimos 10 anos.


O proprietário foi detido sob suspeita da autoria de crimes de escravidão e sequestro. Sujeito a um primeiro interrogatório judicial, viu ser-lhe aplicada a medida de coacção mais leve: a obrigação de apresentações periódicas às autoridades até à data do julgamento.


A equipa de investigação refere, no mesmo comunicado, com base nos elementos de prova recolhidos, que o detido "explorou a força do trabalho da vítima durante vários anos, mantendo-a permanentemente sob ameaça e em condições humanamente degradantes, numa sua propriedade agrícola, sem lhe pagar qualquer salário ou recompensa".


Ontem, em declarações o pastor Luís Marques, que na última terça-feira regressou à quinta de Fuinhas, em Fornos de Algodres, lembrou o "inferno" que passou em Sernancelhe.


"Batiam-me com um pau nas costas. Chegaram a cortar-me um dedo com uma forquilha e partiram-me a cabeça três vezes. Era um boneco nas mãos daquela gente", revela o homem que não aprendeu a ler e a escrever. E que só agora soube, pelas autoridades, que tem 58 anos de idade.


"Ao fim de cada mês, quando chegava o vale da minha reforma, iam comigo levantar o dinheiro a Sernancelhe. Mas no regresso à quinta, mal entrava no carro, ficava logo sem ele. Nem sei quanto era. O patrão dizia que metia o dinheiro no banco e por conta dele dava-me um maço de cigarros de vez em quando", desabafa o pastor.


Há dois meses, após várias tentativas frustradas de fuga para a terra natal, em Cortiçô, Fornos de Algodres, onde o patrão de Sernancelhe o ia sempre buscar "à força", Luís Marques conseguiu finalmente escapar à vigilância.


"Fugi da quinta às três da madrugada e caminhei sem parar durante várias horas. Ao meio-dia, cheguei a Fuinhas", relata, eufórico.


A primeira coisa que fez foi bater à porta de um antigo patrão. "Ele gostava de ajudar-me, mas não tinha vaga para mim. Por outro lado, as pessoas também tinham receio de dar-me trabalho, porque o outro [o antigo patrão] vinha sempre buscar-me", lembra.


Apesar do medo dos agricultores, a vítima acabou por encontrar guarida na casa de José Gomes. "Pediu-me se podia ficar para guardar as ovelhas a troco de comida, cama e roupa lavada. Tem trabalhado bem, e sinto-me satisfeito por o ter comigo", confessou.


O que se passou no domingo é alvo de todas a críticas. "Soube que vieram aí dois homens, com uma carrinha, e levaram o pastor à força. Caçaram-no como se fosse um coelho. Fiquei indignado e comuniquei o caso às autoridades. Ninguém tem o direito de privar um homem da sua liberdade", conclui José Gomes.


287 pessoas por dia...

O número de desempregados inscristos nos centros de emprego, em Abril, aumentou 27,3%, para 491 635, a maior subida desde Julho de 2003. Face a Abril de 2008, há mais 105 294 desempregados, o que representa 287 pessoas por dia.


Os dados divulgados ontem pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) mostram que, na comparação com o mês anterior, há mais 7 504 desempregados inscritos. Para o ministro do Trabalho, daqui para a frente os números do desemprego vão ser, " no mínimo, menos negativos". Vieira da Silva, explicou que há "alguns sinais de estabilização da situação económica" e que os próximos meses vão ser "de reanimação" da economia.


O total de inscritos no IEFP contrasta com o número de desempregados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados na semana passada, e que apontam para mais de 495 mil desempregados, entre Janeiro e Abril deste ano.


O Norte continua a liderar em número de inscritos nos centros de emprego, assinalando um aumento de 24,6%, face ao mês homólogo, e de 2,3%, em relação ao mês passado. Neste momento, esta região tem 212 767 pessoas à procura de emprego e representa 43,3% do total de inscritos em Portugal.


Vila Nova de Gaia manteve-se como o concelho com mais desempregados nos centros de emprego, com um total de 22 906 pessoas, mais 3919 do que há um ano e mais 507 face ao mês anterior. Em número de inscritos, o segundo concelho com mais desempregados é Lisboa - 20 771 -, seguindo-se Sintra (16 406), Porto (14 118) e Guimarães (12 099).


No mês de Abril, as regiões que assinalaram maiores subidas no desemprego, segundo o IEFP, foram Algarve, Madeira e Açores. No Algarve, o aumento foi de 66,7%, em relação a Abril de 2008. Nas regiões autónomas há 16 675 desempregados inscritos, mais 33,1% do que há um ano. A subida foi mais significativa na Madeira (mais 35%), do que nos Açores (28,7%). De salientar que no Centro e em Lisboa e Vale do Tejo, a subida do desemprego foi de 27,2%, em linha com o aumento registado a nível nacional.


Ao contrário de anos anteriores, a tendência é para o agravamento do desemprego entre trabalhadores com baixas qualificações. No mês passado, os inscritos com o 2.º ciclo de escolaridade subiram 36,6% e com o 3.º ciclo 34,5%. Entre os trabalhadores com o ensino superior, o aumento foi de 13,7%. O mesmo cenário é patente nas inscrições por profissões. Os quatro grupos de profissões com mais desempregados inscritos são os "trabalhadores não qualificados dos serviços e comércio, pessoal dos serviços de protecção e segurança, empregados de escritório e trabalhadores não qualificados das minas, construção civil e indústrias transformadoras", com 44,6% do total.


O IEFP destaca que, em relação a 2008, há um agravamento mais acentuado do desemprego entre os "operários e trabalhadores similares da indústria extractiva e construção civil", com uma subida das inscrições de 92,9%, "que quase duplicou o volume de inscrições".


O fim dos contratos a prazo continua a ser o "principal motivo de inscrição de desempregados", com uma percentagem de 37,9%, e o segundo é "despedido".


Veja o desemprego por concelho

quinta-feira, 21 de maio de 2009

H1N1 Cronologia

Interactive map image
View the interactive map
[Requires Flash player]

Tuberculose em três alunos...

A Delegação de Saúde de Resende confirmou três casos de tuberculose entre alunos da escola secundária. Há mais duas situações que estão a ser "aprofundadas". Esta quinta-feira vão ser avaliados os resultados de um rastreio.


Os três casos confirmados da doença, de declaração obrigatória, foram comunicados em finais de Abril à autoridade sanitária de Resende. "A primeira medida que tomámos foi decretar a evicção (isolamento profilático de contactos) dos três estudantes. Dois continuam nessa situação. Um terceiro já regressou às aulas "por ter ultrapassado a fase de contágio", explicou o delegado Manuel Ruas.


O primeiro caso de tuberculose foi diagnosticado pelo médico de família, em finais de Abril, a um jovem de 19 anos, aluno do 9º ano do Programa Integrado de Educação e Formação (PIEF) da Escola Secundária de Resende.


Um rastreio entretanto realizado ao agregado familiar do estudante, acabou por identificar um segundo caso da doença numa irmã de 14 anos, a frequentar o 8º ano no mesmo estabelecimento de ensino.


Os dois irmãos mantêm-se em quarentena, sem poder ir às aulas, até ao dia 8 de Junho.


Um terceiro caso foi diagnostica numa rapariga de 17 anos, também aluna do 9º ano do PIEF. "A jovem já ultrapassou o período de contágio e está a fazer a sua vida normal dentro da escola", relatou o delegado de saúde. Os alunos estão a ser acompanhados por um especialista.


O centro de saúde de Resende procedeu de imediato ao rastreio (prova de tuberculina, raio x e inquérito clínico) das duas turmas envolvidas, num total de meia centena de pessoas, entre alunos, professores e funcionários. Os resultados da operação vão ser esta tarde analisados em Lamego, com a presença de responsáveis pela Administração Regional de Saúde do Norte (Porto) e de técnicos de Saúde Pública e Pneumologia.


Embora a estirpe da tuberculose identificada nos jovens "seja comum e não multi-resistente", nos últimos dias gerou-se algum pânico e alarmismo na comunidade escolar.


"Os alunos começaram a enviar mensagens por telemóvel, uns aos outros, e a situação complicou-se", reconheceu Emília Fonseca, do conselho executivo da Secundária de Resende. A docente garante que a escola "fez tudo o que devia ser feito" e que "não há motivo para alarme ou receio".


H1N1 - Mais 414 casos e 1 morto em 1 dia...

Paises contaminados com H1N1
1 Estados Unidos 5469
2 Mexico 3648
3 Canada 496
4 Japao 210
5 Reino Unido 109
6 Espanha 107
7 Panama 65
8 Franca 15
9 Alemanha 14
10 Colombia 12
11 Costa Rica 9
Italia 9
Nova Zelandia 9
12 Brasil 8
13 Israel 7
China 7
14 Sao Salvador 6
15 Belgica 5
Chile 5
16 Coreia do Sul 3
Cuba 3
Guatemala 3
Holanda 3
Suecia 3
Peru 3
17 Finlandia 2
Hong Kong 2
Malasia 2
Noruega 2
Polonia 2
Tailandia 2
Turquia 2
18 Argentina 1
Australia 1
Austria 1
Dinamarca 1
Equador 1
India 1
Irlanda 1
Portugal 1
Grecia 1
Suica 1



Mortos confirmados
1 Mexico 72
2 Estados Unidos 6
3 Canada 1
Costa Rica 1

Aconteceu em Seia...

As brechas no plano de contingência português em caso de pandemia ficaram esta quarta-feira claras: sem internamento compulsivo, não há nada a fazer se um doente se recusar a seguir as recomendações. Aconteceu em Seia.


Uma mulher de 60 anos apresentou-se ontem no Hospital de Seia com dores de cabeça que já sentia desde o dia anterior. E trazia a informação que fez dela uma suspeita de ter contraído gripe A (H1N1): chegara anteontem dos Estados Unidos. O sistema funcionou como previsto, o hospital contactou a Direcção-Geral de Saúde, que validou os ingredientes da suspeita. Foi chamado o INEM, para transportar a doente para o hospital de referência mais próximo, em Coimbra. Tudo certo até que a mulher recusou e resolveu ir para casa.


Segundo relatos de um jornalista local ouvido pela Lusa, a mulher saiu do hospital e retirou a máscara que lhe tinha sido fornecida. E, à enfermeira que a avisava para não o fazer, respondeu que estava ali havia "três horas", estava "farta de esperar", "só" tinha "dores de cabeça" e preferia ir "à farmácia buscar um medicamento". Obrigou à intervenção da delegada de saúde, que só horas depois conseguiria convencer a imigrante a seguir para Coimbra.


Embora ainda nada confirme a infecção com o novo vírus de origem suína - e que tem nos EUA, de onde veio a mulher, o maior número de infectados (5710) -, o facto é que, a tratar-se de um caso de gripe A, a atitude da doente pode ter posto em causa as medidas para prevenir mais contágios. Além de atrasar uma eventual confirmação, uma vez que só em Coimbra será retirada amostra para análise no Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.


A verdade é que nada na legislação portuguesa permite o isolamento obrigatório em caso de doença infecciosa. O plano de contingência apenas indica que "as medidas de distanciamento social devem ser voluntariamente executadas". "Medidas compulsivas", só em "situações extremas" e já em situação de pandemia, "para a contenção numa fase precoce". Ora, esta continua por declarar pela Organização Mundial da Saúde.


Ontem, no ponto de situação diário da evolução do H1N1, o Ministério da Saúde lembrou o artigo 27º da Constituição, segundo o qual "os cidadãos não podem ser compelidos a aceitar tratamentos e/ou internamentos compulsivos". Apelou, por isso, ao "civismo" da população e alertou para "uma situação susceptível de colocar em risco a saúde de terceiros". À falta de obrigação, resta o artigo 283º do Código Penal, que define o "crime de transmissão de doença contagiosa".


O caso da imigrante de Seia é um dos dois ontem à noite "em investigação" em Portugal. Somava-se a outro, de uma idosa também vinda dos EUA para passar férias nos Açores. Sentindo-se mal, foi ao Centro de Saúde da Ribeira Grande, que a remeteu para o Hospital de Ponta Delgada, onde foi isolada até se saber o resultado das análises, para evitar contágios. Isto apesar de a gripe ser geralmente "ligeira do ponto de vista clínico", como lembrou ontem a ministra da Saúde. O receio, aqui, prendeu-se com o facto de terem decorrido no fim-de-semana as festas do Santo Cristo, às quais vieram assistir cerca de um milhar de imigrantes nos EUA.


A Secretaria Regional da Saúde açoriana afastou, contudo, o risco de contágio em larga escala, dado que a doente chegou aos Açores depois das festas. Os passageiros com quem viajou já foram contactados, não havendo registo de sintomas gripais.


O grande campiao esteve em Viseu...


O atleta olímpico Carlos Lopes cortou, ontem, a meta contra a violência. O viseense respondeu "sim" ao desafio lançado pelos alunos da Escola Profissional de Torredeita que promoveram uma caminhada ao longo da Ecopista, entre Figueiró e Viseu.


A Marcha "Contra a Violência nos namoros", que percorreu cerca de oito quilómetros, contou com mais de 300 participantes e terminou junto à Rotunda Carlos Lopes, onde o próprio atleta cortou, simbolicamente, a meta.


"Estou satisfeito por participar nesta iniciativa e, assim, ajudar a sensibilizar esta juventude, para que a violência não é solução", comentou o atleta que deu início à caminhada e, depois, foi ao encontro dos participantes no final do percurso. Carlos Lopes confessou que, desde que deixou as pistas, as caminhadas têm-no ajudado a manter a forma e aconselhou os jovens a enveredarem, também, pelo desporto, promovendo, assim, estilos de vida saudáveis.


Cansados, mas satisfeitos por estarem a participar numa causa que lhes diz respeito, os alunos fizeram, animadamente, os cerca de sete quilómetros de pista. "Marcha lenta contra a violência" foi a palavra de ordem durante todo o percurso. "Por mais que não queiramos ver, a verdade é que a violência existe e nós, jovens, somos também culpados. Não devemos, por um lado, utilizá--la como recurso e, também, devemos estar atentos e denunciar situações que conhecemos entre as pessoas mais velhas", comentou uma das alunas presentes.


A iniciativa pretendeu deixar uma marca visível e isso foi conseguido com a chegada à Rotunda Carlos Lopes. Naquele local, foi colocada uma meta que o atleta olímpico, na companhia de Arcides Simões (presidente da Fundação Joaquim dos Santos) e Guilherme Almeida (vereador na autarquia viseense) cortou com uma tesoura.


quarta-feira, 20 de maio de 2009

Casos suspeitos em Seia e nos Açores ...


Uma mulher com suspeita de gripe A deu entrada de manhã no serviço de urgência do Hospital de Seia. A ministra da Saúde confirmou, entretanto, que há um caso suspeito no Hospital de Ponta Delgada, Açores.


A mulher que deu entrada no serviço de urgência do Hospital de Seia deverá ser transferida para os Hospitais da Universidade de Coimbra.


"Confirmamos um caso suspeito na urgência do Hospital de Seia. Foi activado o plano de contingência da gripe local e o processo está a seguir os trâmites definidos pela Direcção-Geral de Saúde, disse Luísa Lopes, directora da urgência da Unidade Local de Saúde da Guarda, que abrange aquele hospital.


Luísa Lopes, directora da urgência da Unidade Local de Saúde da Guarda, que abrange aquele hospital, disse à Agência Lusa tratar-se de uma mulher de 60 anos, residente em Seia.


"Regressou ontem dos Estados Unidos da América já com sintomatologia e hoje de manhã apresentou-se no Hospital [de Seia]" com sintomas associados à doença, referiu.


Adiantou que logo que o caso foi detectado "foi activado o plano de contingência da gripe local e o processo está a seguir os trâmites definidos pela Direcção-Geral de Saúde".


"A doente vai ser transferida para os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), que é o hospital de referência para os casos suspeitos", acrescentou Luísa Lopes.


"Está tudo a seguir os trâmites previstos pela Direcção-Geral de Saúde", assegurou a médica, explicando que a coordenação do transporte da doente para Coimbra "pertence ao INEM".


Ministra confirma suspeita nos Açores


A ministra da Saúde, Ana Jorge, confirmou hoje a existência de um caso suspeito de gripe A (H1N1) nos Açores, realçando a necessidade de, nestas situações, o doente ficar "isolado" até serem conhecidos os resultados das análises.


"A situação, habitualmente, é muito ligeira do ponto do vista clínico para a pessoa, no entanto, como sabemos que é um vírus de fácil transmissão, [o doente] fica isolado para que não possa transmitir a outras pessoas", disse.


Questionada pelos jornalistas, Ana Jorge confirmou que "há uma suspeita que foi validada como hipótese de se poder tratar de um caso de gripe A" nos Açores.


"Havia clínica compatível e havia epidemiologia, isto é, vinha de uma zona afectada e, portanto, vão ser feitas as análises", salientou, em declarações aos jornalistas, depois da inauguração de uma Unidade de Cuidados Continuados Integrados na povoação de Aguiar, concelho de Viana do Alentejo, em que também participou o primeiro-ministro.


De acordo com a ministra, "o produto para as análises" seguiu para o Instituto Ricardo Jorge, onde irá ou não ser confirmado o caso suspeito.


Segundo o Governo açoriano, uma mulher de 84 anos, que regressou há quatro dias dos Estados Unidos, encontra-se internada numa zona especial do Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, por suspeita de gripe A (H1N1).


A mulher, cuja identidade não foi revelada, dirigiu-se terça-feira ao Centro de Saúde da Ribeira Grande, na costa norte da ilha de S. Miguel, onde, devido aos sintomas que apresentou, foi considerada um caso para análise.


Nesse sentido, segundo um comunicado do Governo Regional, foi activada a linha Saúde Açores, criada exclusivamente para atender a este tipo de situações, que activou um meio especializado de transporte.


A doente foi transportada para o Hospital de Ponta Delgada, onde se encontra internada numa zona especial, dedicada a este tipo de casos.


Terça-feira, o Ministério da Saúde disse que a mulher que estava internada desde segunda-feira no Hospital de S. João, no Porto, não estava infectada pelo vírus da gripe A (H1N1).


Portugal continua a registar apenas um caso confirmado de gripe A, desde o dia 24 de Abril.