So faltam meses, dias, horas, minutos, e segundos para o ano 2012

Madeleine

Banner1
Click here to download your poster of support

Radio Viseu Cidade Viriato

sábado, 3 de abril de 2010

Primeira pagina - 03 - 04 - 2010

Homem estava morto em casa há 15 dias...

Gondomar Alerta foi dado por vizinho, que estranhou a ausência do trolha.

Um homem de 57 anos foi encontrado morto em casa, em Rio Tinto, Gondomar. Olindo Pinto terá morrido há mais de duas semanas, mas o alerta só foi dado anteontem por um vizinho, que estranhou não ver o operário de construção civil há mais de 15 dias.

O corpo já estava em avançado estado de decomposição. Segundo apurámos, problemas com o álcool terão deixado Olindo Pinto sem ligação com a família. Vivia sozinho num quarto emprestado. Ao que tudo indica, morreu, aos 57 anos, de morte natural.

Na vizinhança, não era conhecido ninguém próximo ao homem que, segundo o JN apurou, fazia uns "biscates como trolha".

Há sensivelmente dois meses, tinha já morrido um irmão de Olindo Pinto, também com problemas relacionados com o consumo excessivo de álcool.

Ontem de manhã, na pacata Rua de Diogo Cão, em Rio Tinto, pouca gente parecia saber da morte de Olindo Pinto, descoberta no dia anterior.

O alerta para as autoridades foi dado por um vizinho, que estranhou não ver o homem já há algum tempo. Eram 10.50 horas, quando os agentes da PSP de Rio Tinto chegaram ao local, na zona da Venda Nova. A porta da habitação seria aberta pouco depois.

Estava no colchão

Olindo Pinto foi encontrado morto no colchão onde dormia. O cadáver estava m avançado estado de decomposição. Segundo as autoridades, calcula-se que o homem já tivesse morrido há 15 dias.

O corpo foi transportado por uma auto-maca dos Bombeiros Voluntários de Valongo para o Instituto de Medicina Legal, no Porto. No local, também estiveram os Bombeiros Voluntários de Gondomar.

Ao que o JN conseguiu apurar, o vizinho que alertou as autoridades na manhã de anteontem também tratou dos procedimentos legais para a realização do funeral. Durante a tarde de ontem, terá entrado contacto com uma funerária e deslocou-se às instalações do Instituto de Medicina Legal para tratar de todos os procedimentos.

JN

Centenas de quilos de cocaína sobrevoam todos os dias o Atlântico rumo a Portugal ...

Num mês a Polícia Judiciária deteve em Lisboa 18 "correios" de droga. As rotas dos traficantes estão a alterar-se, mas os aeroportos nacionais continuam a ser a principal porta de entrada.
A maior parte da cocaína que chega a Portugal destina-se a  Espanha
A maior parte da cocaína que chega a Portugal destina-se a Espanha

Fazer chegar à Europa centenas ou mesmo toneladas de cocaína a bordo de navios parece estar a cair em desuso. A tendência actual, recuperando, mas em grande escala, uma actividade que há muitos anos parecia ter sido abandonada, é utilizar passageiros de linhas aéreas que carregam no organismo entre 500 gramas a dois quilos de droga. Por vezes, para efectuarem um percurso entre Lisboa e São Paulo, passam por locais tão improváveis como Amesterdão ou Lima. Só no espaço de um mês, no Aeroporto da Portela, foram detidos 18 destes "correios" e apreendidos mais de 15 quilos de estupefaciente.

"Há informação quase diária de portugueses detidos nos diversos aeroportos europeus, mas também no Peru, no Brasil, na Colômbia ou na Venezuela", explica um dos investigadores da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes (UNCTE) da Polícia Judiciária (PJ) contactado pelo PÚBLICO. Essas pessoas, adianta o mesmo responsável, são pagas em quantias que variam consoante a quantidade que transportam e o risco que enfrentam.

Quanto recebe um "correio"? São sempre valores muito distantes daqueles que poderá render meio quilo de cocaína nas ruas de uma qualquer cidade europeia, mesmo que as estruturas dos traficantes sejam obrigadas a pagar diversas viagens de avião, que podem incluir três continentes (Europa/América do Sul/África), alojamentos, refeições e pagamento pelo transporte.

"Mulas" ou "cagões"

Por trás dos grupos de "correios", que nos meios policiais também são conhecidos por "mulas" ou "cagões", estão quase sempre estruturas de traficantes com elevados níveis de sofisticação. Essas estruturas, de acordo com o que a UNCTE tem vindo a desvendar, são muitas vezes constituídas por nigerianos. "Têm [os nigerianos] grupos em todo o lado. Em Portugal, em Espanha, na Europa inteira. Mas também no Brasil, no Peru, na Colômbia e na Venezuela. Onde chega ou de onde parte um "correio" há, de certeza, alguém da estrutura à sua espera e a encaminhá-lo", diz um investigador.

A utilização de africanos como "correios" é outro dos fenómenos em crescendo. A PJ, tal como as restantes polícias de investigação criminal europeias e sul-americanas, têm vindo a identificar, sobretudo, guineenses, mas também muitos marfinenses e marroquinos. Muitas destas pessoas apenas falam os dialectos locais dos seus países ou uma só língua. Ainda assim são utilizados em novas e diversificadas rotas, que os levam a Amesterdão, a Frankfurt, a Lima ou a São Paulo. "Há muitos provenientes do Brasil e que são detectados em trânsito em Lisboa e cujo destino final é Marrocos, a Guiné ou a Costa do Marfim. Porquê? Esse ainda é um enigma. Faz parte do acordo [com a estrutura dos traficantes]? Talvez...", referem os polícias.

Por outro lado, o facto de não dominarem a língua de determinados países pode ser tido como um trunfo por parte dos traficantes, que ficam assim menos expostos quando uma das suas "mulas" é presa.

A prisão de alguém que transporta droga no organismo (também há, mas numa escala bem mais reduzida, aqueles que a transportam em cintas especiais em redor do corpo ou na bagagem) leva, ainda assim, a abrir portas aos investigadores. No caso recente das investigações portuguesas as diligências posteriores à detenção dos "correios" levaram a PJ a mais cinco pessoas directamente relacionadas com o tráfico.

Um "correio" é, normalmente, uma pessoa nova (os últimos 18 detidos em Portugal têm entre 27 e 48 anos, sendo dominante o grupo compreendido entre os 30 e os 35), a quem a organização paga o passaporte (quase sempre são apreendidos documentos novos) e as viagens e que é submetido a testes de credibilidade. São quase sempre homens (nos últimos detectados em Lisboa apenas existia uma mulher) e muitos deles são desempregados. É muito raro encontrar um reincidente. Na melhor das hipóteses uma pessoa consegue transportar no organismo até dois quilos de droga.

Portugal, dizem os investigadores policiais, é quase sempre um lugar de passagem da cocaína, a qual tem como destino final a Espanha e outros países ocidentais. A maior parte dos "correios" que têm vindo a ser detidos recolhe a cocaína em São Paulo. Ao todo, só deste destino, chegam cerca de 500 pessoas diariamente. Tendo ainda em conta que a transportadora portuguesa é a que mais ligações e melhores relações possui com o Brasil e alguns dos países africanos referenciados no tráfico, é então fácil de explicar o porquê de ser em Lisboa que mais detenções de "correios" se realizam.

O retomar das rotas aéreas por parte das organizações de tráfico de cocaína tem pouco mais de dois anos. Pode explicar-se, dizem os investigadores, pelo reforço da vigilância nas rotas marítimas.

Porquê arriscar a utilização diária de dezenas de "correios" nos voos intercontinentais em vez de um contentor dissimulado num navio? "Pelos vistos, as rotas aéreas, com a utilização das "mulas" que transportam centenas de quilos de cocaína, garantem aos fornecedores (colombianos, na maioria dos casos) os lucros desejados", diz a polícia.

O Publico

Obras no Parque da Cidade sem visto do Tribunal de Contas...


O Tribunal de Contas não deu o seu visto às obras de reinterpretação do Parque Aquilino Ribeiro, mais conhecido como Parque da Cidade, e que se encontram paradas há vários meses.
De acordo com os deputados do CDS/PP na Assembleia da República, existe um acórdão datado de 20 de Novembro de 2009 do Tribunal de Contas em que aquele organismo dá conta de que a autarquia viseense excluiu durante o concurso público ilegalmente duas propostas, entre as quais uma que apresentava um valor cerca de 200 mil euros mais baixo do que o preço apresentado pelo vencedor do concurso, apesar de o principal critério de adjudicação ser o preço mais baixo.

Tendo por base essa informação, os deputados do CDS/PP apresentaram um requerimento em que solicitam ao presidente da Câmara de Viseu, através da Assembleia da República, que os esclareça sobre o ponto de situação das obras no Parque Aquilino Ribeiro, pedindo também um comentário ao acórdão do Tribunal de Contas.

No documento, a que o Diário de Viseu teve acesso, questionam ainda se a Câmara Municipal de Viseu prestou todos os esclarecimentos pedidos pelo Tribunal de Contas, no que diz respeito ao processo das obras no Parque Aquilino Ribeiro e se a razão para a paragem das obras no Parque Aquilino Ribeiro é a falta de visto prévio ou as fortes chuvadas, como o vice-presidente da autarquia, Américo Nunes, chegou a adiantar ao nosso Jornal.

Os deputados pretendem ainda saber se há outras obras da responsabilidade da Câmara Municipal de Viseu que pararam devido às fortes chuvadas e que medidas a autarquia pensa tomar para corrigir a situação no Parque da Cidade.

Contactado pelo nosso Jornal, o vice-presidente da Câmara, Américo Nunes, lembrou que o presidente do município deu uma explicação do processo que envolve as obras do Parque Aquilino Ribeiro na última reunião do executivo aberta ao público, realizada há cerca de 15 dias, em que explicou que aguardava a decisão à reclamação da recusa de visto do Tribunal de Contas, além de ter informado que o emprei-teiro solicitou a suspensão dos trabalhos, enquanto se aguarda essa decisão.

DV

Desemprego já “atingiu o pico”...

Helena André diz que o Governo ainda não tomou decisões sobre a  alteração do subsídio de desemprego
Helena André diz que o Governo ainda não tomou decisões sobre a alteração do subsídio de desemprego

Trabalho: Jovens continuam a ser os mais prejudicados

A taxa de desemprego em Portugal é a sétima mais elevada da União Europeia. Segundo os dados do Eurostat ontem divulgados, o indicador do desemprego fixou-se em Fevereiro nos 10,3 por cento. Para a ministra do Trabalho, os números denunciam que se terá chegado ao "pico" do aumento do desemprego.

Helena André, que ontem se reuniu com os sindicatos e patronatos em sede de concertação social, considera que "há alguns indicadores que nos levam a pensar que talvez tenhamos atingido o pico no aumento do desemprego, mas vamos ver como a economia se comporta". A taxa de desemprego nacional continua acima da média da União a 27, que é de 9,6 por cento.

Os jovens são os mais afectados pela falta de trabalho: um em cada cinco não consegue emprego. Seguem-se as mulheres, com uma taxa de desemprego de 10,9 por cento.

A falta de trabalho foi uma das questões em debate na concertação social, com a intenção do Governo de alterar o subsídio de desemprego a gerar diferentes reacções. O Executivo tinha avançado que queria reduzir para 10 por cento a margem acima da qual o desempregado seria obrigado a aceitar o trabalho, e não os actuais 25 por cento.

O Governo entretanto recuou neste valor, garantindo aos parceiros sociais que está tudo em aberto. "Neste momento não temos decisão alguma, o Governo não apresentou nenhuma proposta em concertação social sobre se são 10, 15 ou zero por cento", garantiu a ministra do Trabalho. Já João Proença avisou que não aceitará "qualquer variação" quer no valor do subsídio de desemprego quer na duração da atribuição.

Arménio Carlos, da CGTP, por sua vez, deixou claro que "tudo o que sejam medidas que apontem para a redução das prestações sociais contará com a nossa oposição".

Do lado dos patrões, António Saraiva, da CIP, salientou que "trazer para o mundo do trabalho todos aqueles que se afastaram dele" é a prioridade, não se mostrando contrário a alterações no subsídio.

PORMENORES

SALÁRIO

O salário médio das ofertas de emprego a licenciados recebidas pelo IEFP rondou os 834 euros no ano passado. Uma queda de 1,7% face ao valor registado em 2008.

ESTÁGIOS

A ministra do Trabalho e Solidariedade Social garantiu ontem aos jornalistas que os estágios não remunerados serão proibidos depois de uma negociação com os parceiros. A medida está prevista desde Junho de 2008.

FIM DA FORMAÇÃO AUMENTA NÚMERO DE INSCRITOS

O número de desempregados que se inscrevem nos centros de emprego por não conseguirem ingressar no mercado de trabalho após frequentarem programas de formação profissional mais do que duplica todos os meses desde Dezembro.

De acordo com dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), o número de pessoas que declaram como motivode inscrição o "fim de formação" ao longo dos últimos três meses foi de 2640, contra as 5859 de igual período do ano anterior.

CM

Pedófilo inglês detido no Algarve...

Pedófilo inglês detido no Algarve

Suspeito de 73 anos é procurado por vários abusos sexuais de crianças na Austrália e na Nova Zelândia

Alojou-se sozinho num parque de campismo de Olhão, no Algarve, que visitava regularmente desde há três anos, para escapar aos inúmeros processos por abusos sexuais de menores que correm na Austrália e na Nova Zelândia. Aos 73 anos, o inglês Roderick Robinson andava fugido há mais de dez. A Polícia Judiciária apanhou-o anteontem. Agora, fica preso até ser extraditado para a Austrália.

"Até metia pena", descreveu quem viu o homem já idoso a entrar ontem no Tribunal da Relação de Évora para ser ouvido por um juiz. Robert Robinson não se opôs a ser extraditado para a Austrália a fim de ser julgado pelos crimes que cometeu. Nem negou sequer os crimes sexuais contra menores que lhe são imputados.

Foi este comportamento que manteve quando na manhã do dia anterior a PJ entrou no parque de campismo de Olhão, no Algarve, para o deter. "Não ofereceu qualquer resistência", disse a PJ.

O suspeito estava na sua auto- caravana, alojado naquele parque há dois meses. Deu um nome verdadeiro e tinha tudo legal, como a carta de condução. Mas nem sempre foi assim ao longo dos anos em que andou fugido. "Chegou a apresentar identificação falsa para pernoitar nalguns locais", avançou fonte da PJ.

Após o mandado de detenção ser divulgado pela Interpol, as polícias de vários países partilharam informações e excluíram percursos à medida que havia suspeitas da sua presença. As últimas informações indicavam o Algarve como possível destino deste inglês, nascido na Escócia.

A PJ já se tinha deslocado ao parque para ver se coincidia com a informação e a imagem divulgadas no mandado de detenção internacional. Quando o detiveram já tinham a certeza de que estavam perante um suspeito de "vários crimes".

Segundo outra fonte ligada ao processo, Roderick Robinson ainda não foi julgado. Na Austrália foi acusado de vários crimes de abuso sexual de menores e de agressão sexual agravada em vítimas menores - incorre numa pena de 20 anos. Na Nova Zelândia, por crimes semelhantes, poderá vir a cumprir uma pena até dez anos. De acordo com fonte da PJ, todas as vítimas tinham menos de dez anos.

A PJ garante que em Portugal não há suspeitas de crimes cometidos por Robinson. "Não há nenhuma indicação nesse sentido", refere. Ainda assim, em comunicado, a PJ descreveu-o como "um indivíduo procurado internacionalmente há já vários anos, e referenciado policialmente como perigoso agressor sexual de menores".

Robinson foi ontem presente ao Tribunal da Relação de Évora para lhe ser aplicada a medida de prisão preventiva até decisão da extradição. Como não se opôs a ser julgado na Austrália, as autoridades judiciais daquele país têm agora 18 dias para fundamentarem a extradição. Ou 30 dias, caso justifiquem porquê.

Depois cabe ao tribunal decidir se extradita ou não, de acordo com as leis vigentes naquele país. Segundo a lei, se as penas no país de destino atentarem contra os direitos humanos - como casos de tortura ou de pena de morte -, Portugal pode recusar a extradição e o suspeito será julgado de acordo com as leis penais portuguesas. Não é o caso da Austrália e da Nova Zelândia.

DN

Lloret del Mar: um «paraíso infernal» para os portugueses...

Violações, violência e outros problemas são constantemente notícia na altura das viagens de finalistas.

Lloret del Mar é um destino paradisíaco para muitos portugueses, sobretudo para os milhares de jovens que guardam na sua memória uma viagem de finalistas inesquecível. No entanto, só nos últimos anos, as más notícias sucedem-se.

Esta quarta-feira, um jovem de 17 anos morreu devido a uma queda de uma varanda do Hotel Esmeralda, sendo que as circunstâncias do acidente ainda não foram apuradas.

No dia 30 de Março de 2007, uma jovem portuguesa de 17 anos, estudante finalista de Vila Real de Santo António, foi vítima de abusos sexuais em Lloret del Mar. Os dois suspeitos, um luso-brasileiro e um guineense, foram detidos.

A adolescente foi levada para o quarto pelos dois guias, onde terá sido violada. Foi uma amiga que a encontrou semi-nua, abalada e cheia de hematomas no corpo, tendo de seguida sido levada para o hospital.

No mesmo dia, um grupo de cerca de 60 alunos da Escola Secundária Campos Melo da Covilhã foi expulso depois de distúrbios num hotel em Lloret del Mar.

Alegadamente, terão chegado ao pequeno-almoço sem dormir e sujado o corredor do piso do hotel em que se encontravam, com comida e outros produtos.

A relação com as autoridades espanholas também nunca foi a melhor. O ano passado, a Associação Rodoviária de Transportadores de Pesados de Passageiros chegou mesmo a acusar a polícia espanhola de praticar «uma verdadeira caça à multa» contra veículos de matrícula portuguesa, tendo afectado cerca de 200 veículos que viajavam a Lloret del Mar.

Apesar de todos os incidentes, esta pequena cidade turística continua a ser o destino preferido de milhares de estudantes portugueses.

TVi24

Vestida com 1 milhão de metros de cabelo humano...

Cabeleireira vietnamita apresenta vestido único no mundo numa exposição de designers em Hanói.


Uma cabeleireira vitenamita estreou-se na profissão de designer de moda com um vestido confeccionado com um milhão de metros de cabelos humanos. Kim Do, assim se chama a cabeleireira, meteu na cabeça que poderia criar uma obra com o mar de cabelos que cortou na carreira... demorou quase dez anos, mas conseguiu.

O Centro de Hanói, no Vietname, acolheu a exposição de designers na qual Kim Do deu a conhecer ao mundo a sua obra-prima. Para elaborar o vestido, espesso e único no Mundo, Kim Do contou com a colaboração de 54 pessoas que doaram cabelo para o efeito.

Antes de confeccionar o vestido, a cabeleireira tingiu uma parte do cabelo para ilustrar um dragão na zona frontal da peça de roupa. Mais: Kim Do ainda confeccionou um insólito chapéu também ele feito de cabelos, claro está.

TVi24

Professores temem fusão de História com Geografia ...

Professores temem fusão de História com Geografia

Ministra admitiu hipótese de as duas disciplinas passarem a semestrais, por opção da escola. Associações avisam que não aceitam redução horária nem fusão das áreas

Os professores de História e Geografia temem que o Governo esteja a preparar a fusão entre as duas disciplinas, no 2.º e 3.º ciclos, podendo vir a ser escolhido o mesmo docente para leccionar as duas áreas. Uma hipótese que, avisam, não aceitarão.

Em causa está o facto de terça- -feira, no Parlamento, a ministra da Educação, Isabel Alçada, ter dado estas disciplinas como exemplos de áreas curriculares que poderão passar a ser semestrais, por opção das escolas, no âmbito da revisão curricular no 2.º e 3.º ciclos.

À partida, as presidentes das associações de professores de Geografia (APG) e de História (APH) não rejeitam por completo a hipótese das cadeiras semestrais. "Desde que isso não implique uma redução da carga horária total, não será necessariamente negativo", admitiu ao DN Emília Sande Lemos, da APG, ressalvando falar "a título pessoal, porque a associação vai ainda debater" essa matéria.

"Por exemplo, numa escola com quatro turmas pode haver algum benefício em dar Geografia a duas turmas no primeiro semestre e História a outras duas, invertendo a ordem no segundo semestre", ilustrou. "Permitiria reduzir a carga de turmas ao professor."

No entanto, a professora de Geografia avisou que "em circunstância alguma" esse passo poderá conduzir a uma "desvalorização" destas duas disciplinas, lembrando que, "apesar de a História e Geografia serem muito diferentes, ciclicamente fala-se na sua fusão".

Também Raquel Pereira Henriques, da APH, revelou desconfiança sobre o alcance das palavras da ministra. "A verdade é que, sempre que se fala na redução da carga horária no 3.º ciclo e secundário, surgem a História e a Geografia."

A agravar a preocupação da APH está o facto de nos últimos anos terem surgido alterações à formação de professores, "que já permitem fazer um 2.º ciclo de Bolonha [mestrado] e sair habilitado a leccionar as duas disciplinas, apesar de estas serem completamente distintas, tanto nos conteúdos como na filosofia de ensino".

Quanto ao possível formato semestral, a professora não o excluiu, mas considerou "preocupante" que este possa ser definido pela escola pelo carácter "aleatório" que dará aos currículos.

Raquel Pereira Henriques lamentou que a APH "ainda não tenha sido informada ou consultada" sobre a reforma curricular, apesar de ter pedido uma audiência em Janeiro.

Outra possibilidade anunciada por Isabel Alçada - neste caso muito menos controversa - foi a eliminação da disciplina não curricular de Área Projecto, libertando tempo para aulas suplementares e de recuperação para os alunos.

O Ministério ressalva que a revisão dos currículos está ainda "em análise e será debatida".

DN

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Primeira pagina - 02 - 04 - 2010

Ricky Martin assume na Net ser homossexual...

Ricky Martin assume na Net ser homossexual

O cantor porto-riquenho Ricky Martin, 38 anos, admitiu que é homossexual num comunicado na segunda-feira no seu site oficial, onde afirma que a confissão faz parte de "um processo muito intenso, angustiante e doloroso, mas também libertador". A nota também pode ser lida na página do Twitter do cantor.

"Juro que cada palavra que estão a ler aqui nasce de amor, purificação, fortaleza, aceitação e desprendimento; que escrever estas linhas é a aproximação da minha paz interior, parte vital da minha evolução. Hoje, ACEITO A MINHA HOMOSSEXUALIDADE como um presente que a vida me dá. Sinto-me abençoado de ser quem sou!", admitiu o artista, usando letras maiúsculas para enfatizar as palavras do texto, publicado em inglês e espanhol.

Considerado um dos homens mais atraentes do mundo de entretenimento, as preferências sexuais de Ricky Martin tem sido há largos anos alvo de especulações da imprensa, mas o cantor desmentiu várias vezes sua suposta homossexualidade.

Martin disse que optou por contar agora a verdade porque está a escrever a sua autobiografia. "Muitas pessoas disseram-me que não era importante contar, que não valia a pena, que tudo o que trabalhei e tudo que havia conquistado entraria em colapso, que muitos neste mundo não estariam preparados para aceitar a minha verdade, a minha natureza", revelou o cantor de "La Vida loca".
"E como estes conselhos vinham de pessoas que amo profundamente, decidi seguir em frente com minha 'quase verdade'. MUITO MAL", acrescentou Martin. "Deixar-me seduzir pelo medo foi sabotar a minha vida. Hoje responsabilizo-me por completo por todas as minhas decisões, por todos os meus actos.”

Martin é uma verdadeira estrela da indústria musical, com uma carreira de 30 anos na qual vendeu mais de 60 milhões de discos no mundo, e é um dos poucos artistas hispânicos que conseguiu repetir o êxito no mercado anglo-saxónico.

O cantor, que em Agosto de 2008 anunciou ter se tornado pai dos gémeos Valentino e Matteo, gerados através de uma barriga de aluguer, acrescentou que os palcos são sua maior paixão e que espera que o público continue a apoiá-lo enquanto artista.

DN

EUA: Condenado à morte executado...



Homem morreu por injecção letal

Homem morreu por injecção letal.


Um homem de 34 anos condenado à pena de morte em 1988 foi executado por injecção letal em Houston, no Texas, na terça-feira. O homem tinha 22 anos quando matou outro homem que tinha raptado, violado e mal-tratado a sua irmã. "Parto com o coração em paz", disse o condenado antes de morrer.

CM

Tui alarga urgências para receber mais portugueses...

Autarca galego sublinha que doentes lusos "são bem-vindos".

A pensar no número cerscente de espanhóis mas também de muitos portugueses, os serviços de Saúde galegos vão criar um novo centro de atendimento em Tui. Proximidade e ausência de taxa moderadora levam cada vez mais lusos a atravessar a fronteira.


Tui alarga urgências  para receber mais portugueses
Hospital de camapanha não avançou em Valença

O município galego de Tui deverá ver duplicada, dentro de dois anos, a capacidade dos seus serviços de saúde com a criação do futuro centro de atendimento, estrutura há muito reivindicada e que vem responder à crescente procura da valência, em grande parte devido à proximidade da fronteira. De acordo com o Município de Tui, a construção do futuro centro de saúde deverá arrancar ainda este ano, prolongando-se a sua edificação durante cerca de 24 meses.

Segundo fonte dos serviços de Saúde da Galiza, estima-se que a afluência à fronteiriça unidade sanitária por parte de utentes lusos venha a aumentar, contribuindo sobremaneira para tal "o recente encerramento das Urgências de Valença e a inexistência de taxa cobrada pelo atendimento (taxa moderadora)". Tem ainda em conta o encerramento dos SAP de Paredes de Coura, Melgaço e Arcos de Valdevez.

De acordo com a mesma fonte, "não se verificaram, nos últimos dias, grandes alterações" no tocante à afluência de portugueses à unidade de saúde de Tui, afiançando, contudo, tratar-se de um serviço que "há muito conta com uma considerável afluência de portugueses". Durante o dia de ontem e até à hora da manifestação protagonizada pelos utentes do centro de saúde de Valença, nenhum cidadão português havia buscado por cuidados de saúde nas Urgências daquele serviço, soube o JN. "Em todo o caso, há muita gente que vem a Tui em busca desses serviços", assinala o autarca de Tui, António Fernandez Rocha, assegurando que a demanda protagonizada pelos cidadãos portugueses "em nada prejudica o normal funcionamento dos serviços". A propósito, vinca: "Tudo o que for dito em contrário são falsos comentários. Os portugueses sempre foram e serão sempre bem-vindos em Tui. Caso se venha a registar uma procura elevada, peço às pessoas que compreendam e sei que todos os casos serão atendidos".

Não há problema

Vereador da Oposição (PSOE) naquela autarquia galega, Freiria Perez considera que a afluência de portugueses ao Centro de Saúde de Tui "nunca constituiu nem constituirá qualquer problema". No entender do autarca, "isso é uma falsa questão". A propósito, enfatiza: "Acreditamos que o serviço possa vir a sofrer um incremento no que se refere à procura, por parte de utentes portugueses, mas esse não é o problema do nosso centro de saúde. Trata-se de um edifício construído há 25 anos e desactualizado face às novas exigências com que se debate. Concretamente, o movimento transfronteiriço de cidadãos espanhóis e portugueses".

JN

Jovem exigiu 500 euros a padre para viajar até Londres...

Indivíduo arrependeu-se de tentar extorquir cónego da igreja da Lapa e cumpriu 90 horas de trabalho comunitário.

O indivíduo denunciado pelo cónego Ferreira dos Santos por extorsão exigiu, durante meses, centenas de euros para poder fazer uma viagem até Londres e obras em casa. Através de 49 mensagens escritas, ameaçou denunciar uma suposta relação amorosa.


Jovem exigiu 500  euros a padre para viajar até Londres
Cónego Ferreira dos Santos

Em participação à PSP, em Outubro de 2008, o clérigo contou que, desde há cerca de 10 anos, vinha ajudando S. O., por ser um jovem que vivia sem retaguarda familiar e com muitas dificuldades financeiras, tendo então um filho de sete anos. O homem, que então tinha 26 anos (hoje 28), tinha uma companheira grávida de alguns meses, na altura.

De acordo com documentos consultados pelo JN, o responsável pela Igreja da Lapa, no Porto, explicou à Polícia que, entre várias solicitações, o indivíduo chegou a pedir-lhe, em Abril de 2008, 500 euros para pagar um bilhete para viajar até Londres, Inglaterra, cidade onde dizia querer trabalhar, em prol dos seus filhos.

O padre garantiu que lhe deu a verba mas desconfiou que, à semelhança de outros casos, não seria aplicada na viagem. Apesar disso, acompanhou-o até ao autocarro, mas certificou-se no dia seguinte que o jovem, afinal, saíra logo na primeira paragem.

Por considerar que estava a ser enganado, com invenção de "todo o tipo de dificuldades e problemas", decidiu deixar de ajudá-lo. Só que S. O. continuou a pedir dinheiro. Aludiu à necessidade de dinheiro para obras.

Através de mensagens escritas que ficaram guardadas no telemóvel do cónego, percebe-se um ultimato de revelação pública de uma suposta relação amorosa e abusos sexuais, caso os pedidos não fossem satisfeitos.

Imagens não esclarecidas

As ameaças chegaram à entrega, na igreja da Lapa, a 11 de Outubro de 2008, de uma fotografia, tirada por telemóvel, de António Ferreira dos Santos em trajes menores na casa de banho da sua casa, acompanhada de uma carta.

Perante este quadro, o padre apresentou queixa. A PSP levou então o padre a aceitar uma reunião com o indivíduo, com hora marcada. A 15 de Outubro, os polícias surpreenderam S. O. no encontro e levaram-no para interrogatório.

Na esquadra, acabou por confessar ter sido o autor da carta ameaçadora e chegou mesmo a autorizar uma busca na sua casa, na freguesia de Campanhã, onde foram apreendidas mais cinco fotografias do padre sem roupa - tiradas "à socapa", disse. Também havia uma foto de uma cama.

As circunstâncias em que foram recolhidas as imagens não ficaram esclarecidas, mas do seu teor e das declarações posteriores de S. O., não resultaram indícios suficientes para determinar a abertura de um inquérito-crime por supostos abusos sexuais.

Às autoridades, o indivíduo acabou por dizer-se "arrependido" da sua conduta. E o padre concordou que o caso não avançasse para julgamento. Em vez disso, o DIAP do Ministério Público do Porto propôs uma suspensão provisória do processo, pelo prazo de um ano, sob condição de efectuar 90 horas de trabalho comunitário.

S. O. aceitou e cumpriu aquele período de colaboração gratuita na Associação do Porto de Paralisia Cerebral, junto à sua zona de residência, perto do Bairro do Cerco do Porto.

JN

Maior acelerador de partículas começou a fazer física a sério ...

LHC regista as primeiras colisões a altas energias.

À terceira tentativa feita na quarta-feira, Large Hadron Collider (LHC), o maior acelerador de partículas do mundo, em Genebra, registou as primeiras colisões de partículas a sete teraelectrões-volt. Os seus dois feixes de protões – cada um com 3,5 teraelectrões-volt , ou TeV – encontraram-se finalmente no acelerador de partículas, um túnel em forma de circunferência com 27 quilómetros, e fizeram as primeiras colisões por volta do meio-dia (hora de Lisboa) a altas energias.
Cientistas comemoram o registo das primeiras colisões de  partículas
Cientistas comemoram o registo das primeiras colisões de partículas

“Agora estamos em colisão. Os detectores estão a recolher dados continuamente”, disse Steve Myers, director de aceleradores e tecnologia do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), em Genebra. “Estamos todos muito emocionados e felizes.”

O LHC já tinha atingido um recorde de energia a 19 de Março, quando chegou aos sete teraelectrões-volt, ou TeV (3,5 TeV por cada feixe de protões). Até agora, esta é a maior concentração de energia jamais alcançada pelo homem, mas ainda fica a metade da potencialidade final da máquina.

Até Dezembro de 2011, o LHC estará a funcionar a metade da sua potencialidade, recriando no entanto já as condições de temperatura e densidade de energia no início do Universo, nos primeiros milionésimos de segundo após o Big Bang, há 13.700 milhões de anos. Depois, irá parar por 13 meses, para ser preparado para passar dos sete para os 14 TeV.

No Pavilhão do Conhecimento, ao longo do dia de quarta-feira, a transmissão em directo da experiência está a ser comentada por vários físicos, como Gaspar Barreira (LIP - Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas), Jorge Dias de Deus, Jorge Romão ou Gustavo Castelo Branco (todos do Instituto Superior Técnico). E, a partir do CERN, participam os cientistas Ana Henriques e André David por videoconferência.

Todos responderão às perguntas do público sobre os mistérios da matéria e do Universo e como o LHC, que é um túnel de 27 quilómetros, em forma de circunferência, a 100 metros de profundidade, poderá ajudar a desvendá-los. Em discussão estarão a matéria escura, buracos negros, antimatéria ou o bosão de Higgs, a partícula que se espera vir finalmente a encontrar no LHC e que explicará por que todas as outras têm massa.

O Publico

Sismo de 4.2 sentido em Lagos...


O abalo foi sentido na madrugada de quarta-feira, na região de Lagos, no Algarve, sem provocar danos pessoais ou materiais, de acordo com o Instituto de Meteorologia.

Até ao momento não foi comunicada qualquer situação anómala, explicou Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro à Lusa, indicando igualmente que não recebeu chamadas telefónicas de pessoas que tenham sentido o sismo.

O sismo que ocorreu às 4.12 horas foi registado nas estações da Rede Sísmica do Continente e o epicentro localizou-se a 74 quilómetros a Oeste-Sudoeste do Cabo de S. Vicente.

De acordo com informação disponível pelo Instituto de Meteorologia, o abalo foi sentido com intensidade máxima IV (escala de Mercalli modificada) na região de Lagos. A escala de Richter mede a magnitude do sismo, enquanto a de Mercalli classifica a intensidade a partir dos seus efeitos em pessoas e estruturas na superfície da Terra.

JN

Submarinos: Governo português suspende cônsul...

Investigação na Alemanha suspeita de corrupção na venda de submarinos a Portugal. Cônsul terá recebido suborno.


Submarino nuclear russo

O Governo português suspendeu o cônsul honorário de Portugal em Munique, Jurgen Adolff, de «todas as funções relacionadas com o exercício do cargo», na sequência da investigação na Alemanha de suspeitas de corrupção na venda de submarinos.

Cônsul honorário de Portugal terá recebido suborno

«Em resultado de informação proveniente das autoridades alemães sobre a acção judicial em curso naquele país, o Governo suspendeu de todas as funções relacionadas com o exercício do cargo o cônsul honorário de Portugal em Munique, Alemanha, o senhor Jurgen Adolff, a partir de hoje», lê-se num comunicado do gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

A suspensão das funções de Jurgen Adolff do cargo de cônsul honorário de Portugal em Munique manter-se-á «até cabal esclarecimento das investigações que o envolvem pessoalmente», acrescenta o gabinete de António Braga no comunicado enviado à Lusa.

A revista alemã Der Spiegel noticiou que um cônsul honorário de Portugal, que não identifica, terá recebido um suborno de 1,6 milhões de euros da Man Ferrostaal para ajudar a concretizar a compra de dois submarinos pelo Estado português em 2004.

De acordo com a Der Spiegel, o cônsul honorário terá também organizado, no verão de 2002, uma «reunião entre a administração da Ferrostaal e o antigo primeiro ministro português José Manuel Durão Barroso», actual presidente da Comissão Europeia.

As autoridades judiciais de Munique, que efetuaram várias buscas na passada quarta feira na Ferrostaal, encontraram «mais de uma dúzia de contratos de consultoria suspeitos», que visavam «dissimular os canais de pagamento» para que «subornos pudessem ser enviados a responsáveis do Governo [português], dos Ministérios e da Marinha», refere a revista.

Cônsul desconhece acusações

O cônsul honorário de Portugal em Munique, Jurgen Adolff, garantiu à Lusa desconhecer as acusações que lhe foram atribuídas no processo de compra de dois submarinos, bem como a decisão do Governo de o suspender de funções.

«Não sei de nada, nem faço ideia do que me está a falar», respondeu Jurgen Adolff ao ser contactado telefonicamente pela Lusa a partir de Lisboa.

Adolff asseverou que não tinha lido qualquer notícia na imprensa alemã ou portuguesa que lhe fizesse referência e não ter também conhecimento da sua suspensão, anunciada hoje de manhã pelo Governo português.

«Seria simpático se me tivessem informado de que estou suspenso», acrescentou o homem de negócios de Munique que é cônsul honorário de Portugal na capital da Baviera há 15 anos.

TVi24

Apanhados a fazer sexo dentro de Câmara Municipal...

Caso está a causar grande polémica, pois suspeita-se que a mesma mulher manteve relações também com o vereador da autarquia.


As câmaras de segurança da autarquia de Campinas, em São Paulo, registaram cenas pouco usuais. Um casal foi apanhado a ter relações sexuais dentro do edifício, avança o «Globo».

Os dois funcionários de limpeza de uma empresa contratada pela instituição foram filmados por uma das 43 câmaras instaladas no prédio, quando se encontravam no armazém do edifício em actos menos próprios.

O conteúdo das filmagens não foi divulgado, mas o caso está a causar grande polémica, uma vez que há fortes suspeitas da mesma funcionária ter mantido um relações sexuais também com um dos vereadores da autarquia.

Tvi24

Ministra entrega prémios de qualidade no atendimento...


A ministra da Saúde,
Ana Jorge, esteve na terça-feira em Viseu para presidir
à cerimónia de entrega dos troféus da marca Atendimento de Qualidade Reconhecida. Entre as
19 unidades galardoadas estão duas de Viseu, nomeadamente,
as Unidades de Saúde Familiar Grão Vasco
e Infante D. Henrique

A Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu foi o local escolhido para a primeira cerimónia de entrega dos troféus "Atendimento de Qualidade Reconhecida" (AQR).
O evento contou com a presença da ministra da Saúde, Ana Jorge, que entregou em mãos os 19 galardões aos representantes de cada uma das unidades premiadas, entre os quais os médicos António Lemos e Luís Albuquerque, das Unidades de Saúde Familiares Grão Vasco e Infante D. Henrique, respectivamente.
Luís Pisco, coordenador da Missão para os Cuidados de Saúde Primários (MCSP), explicou aos jornalistas que a marca AQR constitui um reconhecimento externo da qualidade do atendimento nos cuidados de saúde primários.
As candidaturas ao projecto, lançado pela MCSP em Novembro de 2008, por ocasião das Jornadas Técnicas sobre Qualidade.
"É preciso cumprir certos requisitos que visam uniformizar o processo de atendimento em todas as unidades e dessa forma melhorar a qualidade desse atendimento", referiu, acrescentando que são feitas auditorias, recorrendo por exemplo ao utente mistério, que visita as unidades que se candidataram de seis em seis meses.
"O processo mantém-se para garantir que a qualidade se mantém", assegurou.
A ministra da Saúde mostrou-se satisfeita com a entrega de troféus, considerando que a cerimónia é a prova de que "todos somos capazes de fazer bem quando queremos", lembrando que o processo iniciado com a marca AQR obriga todos os envolvidos a pararem e a reflectirem. Lembrou ainda que, por vezes, as alterações de pormenores podem ter grandes impactos na forma como as pessoas vêem o serviço.

Abertura de candidaturas
para unidades hospitalares
Luís Pisco anunciou ainda que a AQR vai alargar as candidaturas à marca a mais unidades, entre as quais hospitais, que desta forma também poderão ver os seus serviços serem acreditados.

DV

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Primeira pagina - 01 - 04 - 2010

Japão: Sismo de magnitude 5,7 abala norte do país...

Um sismo de magnitude 5,7 na escala de Ritcher abalou na terça-feira o norte do Japão sem se registar, contudo, qualquer vítima ou dano material. O tremor de terra teve o seu epicentro na costa sudoeste da região nortenha de Hokkaido e a uma profundidade de 10 quilómetros.

CM

Bairros urbanos são dor de cabeça para a Polícia ...

Autoridades dizem que A25 concorreu para aumento da criminalidade

O comandante da PSP manifestou-se preocupado com a segurança nos bairros urbanos de Viseu. Paradinha é um deles. O desabafo foi feito numa reunião que reflectiu o aumento da criminalidade no distrito de Viseu em 2009 (14,5%). A A25 potenciou acréscimo.

Paradinha, Grilo e Galo são três bairros urbanos cuja segurança preocupa a PSP de Viseu. Muito mais do que o centro histórico onde, desde há alguns meses, está em vigor um Contrato Local de Segurança (CLS).

"A criminalidade no centro histórico nunca foi problema", declara o comandante da PSP, intendente Serafim Tavares, que recorre às estatísticas para justificar a sua opinião. "Durante o ano de 2009, verificaram-se nove situações de crime, nomeadamente furtos, naquela zona. Menos de um caso por mês", diz taxativo.

Nove furtos num ano

Serafim Tavares lembra que o reforço de policiamento no centro histórico começou em Março de 2009, motivado por preocupações dos comerciantes, e foi recentemente reforçado pelo Governo através da implementação do Contrato Local de Segurança em parceria com outras entidades. "Mas nunca foi nem será um problema. A meu ver haverá mais problemas de carácter social do que propriamente criminal".

A preocupação do comando da PSP vai para alguns bairros, na cintura urbana de Viseu, onde têm sido denunciadas situações de perigo potencial, que obrigam carteiros e contadores de água dos Serviços Municipalizados de Viseu, por exemplo, a deslocarem-se escoltados por polícias. "Aí sim, seria talvez de apostar um pouco no reforço do policiamento", sustenta.

A convicção do comandante da PSP foi expressa no mesmo dia em que o Conselho Distrital de Segurança Interna (CDSI) reflectiu o aumento da criminalidade no distrito de Viseu, na ordem dos 14,5% (passou de 8 801 em 2008 para 10 088 em 2009).

O eixo da autoestrada A25, pela facilidade que oferece aos criminosos do "bate e foge", foi considerado potenciador do acréscimo registado. Amaral Dias, comandante da GNR, aponta Mangualde e Viseu como os concelhos que mais contribuíram para o aumento da criminalidade, logo seguidos de S. Pedro do Sul, Tondela e Sátão. E, mais à frente, Nelas, Vouzela e Oliveira de Frades. Fora do eixo da A25 foi destacado Cinfães pela sua proximidade do Porto.

O governador civil, Miguel Ginestal, reconheceu que os crimes que mais aumentaram na região têm a ver com o património (com destaque para os incêndios florestais) e a violência doméstica.

Apesar do aumento "real" da criminalidade, Ginestal salientou que Viseu "é um distrito seguro". Fazendo notar que as 10 088 participações feitas no âmbito da GNR e PSP "representam apenas 2,42% do total do país", colocando o distrito em 11º lugar no que respeita à criminalidade.

Faltam 300 efectivos

A falta de efectivos nos quadros de pessoal das forças de segurança esteve em cima da mesa. A PSP regista um défice de 51 polícias (para um quadro de 284 elementos existem 233, segundo dados revelados em Janeiro deste ano). À GNR faltam entre 200 a 250 militares (o quadro prevê cerca de 1040 mas, na prática, contam-se pouco mais de 800), revelou ontem Amaral Dias. Apesar dos 119 novos elementos destacados para Viseu em 2009 (100) e 2010 (19).

Miguel Ginestal conta que, nos próximos meses, os efectivos possam ser ainda mais reforçados.

JN

Amnistia omite número de execuções chinesas em protesto contra secretismo ...

A China voltou a ser o país que mais pessoas executa - mais do que o resto do mundo junto. Mas este ano a Amnistia Internacional decidiu não revelar as suas estimativas referentes às execuções chinesas no relatório anual sobre a pena de morte. Ao mesmo tempo, a organização instou o regime de Pequim a divulgar os seus dados.
Os EUA dão alguns sinais de se estarem a virar contra a pena de  morte
Os EUA dão alguns sinais de se estarem a virar contra a pena de morte

Estima-se em milhares o número de executados, mas as informações relativas à pena de morte continuam a ser consideradas um segredo de Estado pelas autoridades chinesas. A Amnistia Internacional adianta que as suas estimativas baseadas na informação disponível são insuficientes "para elaborar um quadro fidedigno dos números reais", e por isso o espaço para os números está em branco.

"A pena de morte é cruel e degradante, e uma afronta à dignidade humana", afirma Claudio Cordone, secretário-geral interino da AI, num comunicado. "A China diz que ocorrem cada vez menos execuções. Mas se isto é verdade, por que razão não são divulgados números oficiais?"

A China não está sozinha na ocultação de dados. Bielorrússia, Irão, Mongólia, Coreia do Norte e Vietname também fazem algum secretismo. No relatório Death Sentences and Executions in 2009 questiona-se esta prática: "Se é um acto legítimo do Governo como argumentam estes países, não há razões para o seu uso ser escondido do escrutínio público e internacional".

Dos dados reunidos pela organização é possível concluir que, durante 2009, em todo o mundo - e sem contar com a China -, foram executadas 714 pessoas, em 18 países; e pelo menos 2001 foram condenadas à morte, em 56 países. "O número será significativamente mais elevado", uma vez que a China pratica mais execuções do que todos os outros países juntos, ressalva a AI. "A China voltou a recusar-se a divulgar os números exactos e várias fontes indicarem que o número continua nos milhares", lê-se.

Também há boas notícias. Na Europa deu-se um recorde absoluto: "Pela primeira vez na história moderna que a Europa não assistiu a qualquer execução", salienta. "A Bielorrússia, o único país europeu a fazer execuções nos últimos anos, não o fez, apesar de duas penas de morte terem sido sentenciadas e de dois presos continuarem em risco de execução por fuzilamento".

Outro dado positivo é que cada vez menos países aplicam a pena capital - abolida em mais de dois terços do mundo. Dos 58 estados que a prevêem, 18 levaram-na à prática. Entre estes últimos estão o Irão com pelo menos 388, o Iraque com pelo menos 120, a Arábia Saudita com pelo menos 69, e os Estados Unidos com 52.

No entanto, o país "mostra alguns sinais de se estar a virar contra a pena de morte": se é verdade que 52 é o número mais alto dos últimos três anos, ele está muito longe dos 98 de 1999. E o número de sentenças diminuiu pelo sétimo ano consecutivo (106 no ano passado). Há menor apoio público e político à pena, o que se deve a vários factores, entre eles os vários casos de condenações erradas, adianta a AI.

Apesar de haver menos execuções, a AI está também preocupada com "o uso cada vez mais politizado da pena de morte: foi aplicada extensamente contra opositores, ou para influenciar a opinião pública e reforçar os governos, em países como a China, o Irão e o Sudão", adianta o relatório.

"No Irão, tivemos conhecimento de 112 execuções no período de oito semanas entre as presidenciais de 12 de Junho e a tomada de posse de Mahmoud Ahmadinejad para um segundo mandato como Presidente em 5 de Agosto", refere ainda o comunicado.

O Publico

Maratona de BTT 'altera' prémio para mulheres...

A organização da 1.ª Maratona BTT FABA assumiu um erro de escrita no site que criou a polémica da diferença de prémios financeiros para o vencedor masculino e o feminino. Agora, as mulheres são também candidatas a ficar com os cinco mil euros atribuídos ao primeiro classificado, mais um bónus de 500 euros..

Anteriormente, podia ler-se no site que o vencedor masculino ganharia cinco mil euros, enquanto a mulher mais rápida ficaria apenas pelos 500. Uma discrepância que levou a SOS Racismo e a UMAR a acusarem a organização da prova de discriminação. "Sabemos que há diferenças físicas entre homens e mulheres e o que estava em causa não era elas ganharem menos, mas a diferença ser tão grande", explicou ao DN Ricardo Gomes. Com a mudança no site, a SOS Racismo diz que a situação fica mais "equilibrada", ainda que seja difícil uma mulher ser a mais rápida nos 80 km da competição, que se realiza a 10 de Abril entre Santo Tirso, Trofa e Paços de Ferreira.

Agora, pode ver-se no site da 1.ª Maratona BTT FABA: "Prémio Maratona, 1.º classificado geral." Ou seja, sem distinção de sexos. Mas surge ainda para o primeiro lugar feminino 500 euros de prémio, o que, segundo Humberto Martins, da organização, "é um extra", só disponível para as mulheres.

"É a única prova que atribui prémio especial a essa categoria", realçou ainda.

DN

78 refugiados acolhidos por Portugal em 2009...

78  refugiados acolhidos por Portugal em 2009

O País atingiu, pela primeira vez, a quota de 30 cidadãos para reinstalação, mas deu menos estatutos e autorizações de residência

Portugal completou pela primeira vez em 2009 a quota anual de 30 refugiados recebidos ao abrigo do Programa de Reinstalação. O País concedeu três estatutos de refugiados e 45 autorizações de residência por razões humanitárias, menos 33 que em 2008. Mas os pedidos de asilo político também diminuíram.

As 30 pessoas que chegaram em 2009 já viviam noutros países que lhes tinham concedido o estatuto de asilo. É assim que funciona o Programa de Reinstalação, assinado entre o Governo e o alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres. Mas nunca tinha sido atingida a quota dos 30 anuais.

"Houve um esforço para atingir a quota de reinstalações, muito embora seja a quota mínima, mas já é um balanço positivo", diz Teresa Tito de Morais, presidente do Conselho Português para os Refugiados (CPR).

Um grupo de 12 pessoas, naturais da República Democrática do Congo, vivia na Tanzânia; outro de 14, oriundos do Afeganistão, Somália e Etiópia, estava na Ucrânia, e uma mãe e três filhos do Iraque recebidos pela Síria.

Aqueles cidadãos não precisam de uma autorização especial do Ministério da Administração Interna (MAI), como acontece com a grande maioria dos que viajam para Portugal pedindo asilo político. Em 2009, 139 fizeram o pedido, menos 22 do que em 2008.

O MAI concedeu, apenas, três estatutos de refugiado, dois por cento da totalidade dos pedidos e quatro vezes menos que no ano anterior. Considerou que a grande maioria não tinha o perfil, acabando por atribuir 45 autorizações de residência por razões humanitárias, uma posição diferente da do CPR.

"O CPR pronunciou-se favoravelmente a 77% dos pedidos quando a taxa de concessões foi de 34,5%. Continua a haver uma divergência", diz Teresa Tito de Morais, que recomenda que se conceda mais vistos por razões humanitárias e uma maior celeridade dos processos de admissão.

Outra conclusão é que o número de pedidos tem vindo a diminuir e acaba por ser pouco significativo se comparado com outros países da UE, como a França, Reino Unido e Alemanha, entre os mais procurados pelas pessoas que são obrigadas a emigrar por questões políticas, religiosas, entre outras. "A diminuição de pedido é, aliás, uma tendência que se verifica noutros países da Europa, em particular os do Sul. Há uma baixa considerável dos pedidos de asilo e as necessidades dos refugiados continuam a ser grandes", alerta. E justifica que Portugal não está na rota dos refugiados devido à sua situação periférica: geográfica e económica.

Davoud é um dos poucos requerentes que receberam o estatuto de refugiado o ano passado e o seu caso não mereceu dúvidas. Tem 36 anos, estudou Arte Dramática na Universidade de Teerão, tendo participado nas manifestações estudantis de 1999. Foi preso várias vezes por períodos curtos até decidir fugir. Não pensava vir para Portugal, mas apanhou a camioneta errada, com destino a Lisboa, em vez de Paris, onde tem um irmão. Só percebeu o engano no momento em que o motorista disse que a viagem tinha chegado ao fim. Foi há dois anos.

DN

Há cada vez mais notas falsas produzidas em casa...

Há  cada vez mais notas falsas produzidas em casa

No ano passado registaram-se 11 546 participações de passagem e contrafacção de moeda falsa, mais 2171 que em 2008. Imitações caseiras são mais difíceis de investigar

Há cada vez mais notas falsas produzidas em impressoras caseiras e a entrar em circulação sem que as autoridades cheguem ao seu autor. A conclusão é do Relatório Anual de Segurança Interna que constatou um aumento do crime de passagem e contrafacção de moeda falsa. Só no ano passado as autoridades receberam 11 546 participações, mais 2171 que no ano anterior.

De acordo com as conclusões do Sistema de Segurança Interna, a passagem de notas avulsas, entre as verdadeiras, é mais difícil de investigar. "Este tipo de criminalidade continua a assentar na elevada dispersão de agentes passadores nota a nota, beneficiando de adquirentes de boa fé e sem consciência da contrafacção", refere o documento.

Na maior parte dos casos, as notas falsas passam pelos estabelecimentos comerciais e a sua falsidade só é descoberta já nos bancos. Quando contactadas as autoridades, dificilmente se chega à primeira pessoa que terá usado a nota falsa. "Nestes casos, os resultados da investigação são muito reduzidos", conclui-se.

O director nacional da PJ, Pedro do Carmo, explicou ao DN que o número de participações é elevado porque é aberto um processo-crime a qualquer pessoa que tenha na sua posse uma nota falsa. Só quando se afasta a sua responsabilidade, o caso é arquivado.

Só no primeiro semestre de 2009, o Banco de Portugal detectou a existência de 4827 notas falsas. A nota de 50 euros é a que mais circula em Portugal: foram detectadas 2367 falsas:

A facilidade com que se falsificam e usam notas em estabelecimentos comerciais movimentados já levou muitos comerciantes a adoptarem sistemas de detecção de notas falsas. "Já há muitas discotecas que têm esse cuidado, até por causa dos tempos de crise. Não podemos esquecer que, neste caso, o cliente consome primeiro e paga depois", referiu ao DN Francisco Tadeu, responsável pela Associação Nacional de Discotecas Portuguesas.

Em cafés do Bairro Alto, Lisboa, também já há proprietários a usarem estes equipamentos, que através das lâmpadas de UV fazem um reconhecimento imediato das marcas florescentes apresentadas nas notas de euro.

O relatório que analisa os crimes cometidos em Portugal distingue os casos de passagem de moeda falsa (que aumentaram mais de 19,94 % em relação a 2008) dos casos de contrafacção de moeda (estes aumentaram 15,38 %). "Uma coisa é fazer as notas outra é passá-las", simplifica Pedro do Carmo.

Na contrafacção de moeda "estamos perante um número reduzido de casos, de que podem resultar apreensões de muitos exemplares, completos ou ainda por concluir", refere o relatório. São estes os números que engrossam o número de notas falsas apreendidas.

O responsável da PJ referiu ao DN que cada nota é analisada pelo Laboratório de Polícia Científica que, em colaboração com laboratórios forenses de outros países, tem já uma base de dados relativa às marcas da contrafacção. "É possível detectar pela marca que a contrafacção foi feita em determinado País. Por vezes, quando chega a Portugal, o grupo até já foi desmantelado", revela.

O negócio da contrafacção de moeda, segundo explica, funciona quase como o negócio da droga. "Há um detentor com grandes quantidades, que vende a outros detentores e assim sucessivamente. Até que as notas são naturalmente introduzidas isoladamente em circulação", refere.

Já as produções caseiras, feitas em menores quantidades e impressas a jacto de tinta, o controlo é mais difícil porque não há uma marca singular. "Estas imitações são de péssima qualidade, mas chegam à circulação", diz Pedro do Carmo. "Mesmo assim já detectámos casos desses", garante.

O relatório não revela o número de detidos, mas no ano anterior foram apanhados 39 suspeitos. Segundo a lei, a contrafacção de moeda é punível com pena de prisão de 3 a 12 anos.

No ano passado este foi o 13.º crime mais participado.

DN

Foi assassinado por ressonar demasiado....

Universitário foi condenado à morte por ter esfaqueado um jovem de 23 anos.

Um estudante universitário do Nordeste da China foi condenado à morte por ter assassinado o colega de quarto que jovem ressonava demasiado, informou a AFP.

Guo Liwei, de 24 anos, não será executado, a menos que cometa outro crime enquanto cumprir a pena de prisão perpétua.

Liwei foi condenado por ter esfaqueado até a morte um colega de 23 anos com quem dividia o quarto, em Novembro de 2009.

O réu foi também obrigado a pagar cerca de 30 mil euros de indemnização à família da vítima.

TVi24