So faltam meses, dias, horas, minutos, e segundos para o ano 2012

Madeleine

Banner1
Click here to download your poster of support

Radio Viseu Cidade Viriato

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Primeira Pagina


Viver num apartamento com 8 metros quadrados

Viver em Nova Iorque é um sonho para muitos, viver na zona de Manhattan seria a cereja no topo do bolo. O problema é que as rendas rondam os 2500 euros por mês. A não ser que alugue um microapartamento, com oito metros quadrados, por 488 euros mês.

A escritora e artista Felice Cohen assumiu o desafio e divulgou um vídeo onde explica como vive neste pequeno espaço e organização que faz do mesmo. Segundo a NBC Felice mudou-se há cerca de três anos e não pensa sair dali tão cedo.






TVi24

Incrível: não pode jogar futebol por ter barba!

A polícia do Tajiquistão, antiga República da União Soviética, está a cumprir ordens que visam combater o extremismo religioso na região. Algumas medidas, diga-se, são igualmente extremistas.

Tokhir Muminov, treinador do Khayr Vakhdat, veio a público denunciar um caso recorrente nos últimos meses: Parviz Tursunov, seu jogador, não pode entrar em campo enquanto não cortar a barba.

Segundo a imprensa do país, a polícia tem perseguido vários homens que não abdicam da sua barba. Tursunov já avisou que prefere deixar o futebol a acatar essa ordem. «Enquanto ele resolve este assunto com a sua barba, a sua ausência está a ter um efeito negativo na performance da equipa», lamentou o técnico do Khayr Vakhdat.

«Eu sei que o futebol é algo secular, mas devíamos pensar primeiro no que é eterno», lembrou Parviz Tursunov, um muçulmano devoto.



TVi24

Treinador foi despedido por causa de umas vacas

Iffy Onuora, treinador inglês, foi despedido da selecção da Etiópia por causa de umas vacas. Isso mesmo, leu bem. Vacas. Uma manada, neste caso.

O técnico britânico queixou-se das más condições existentes no país, dizendo que um dos relvados propostos pela Federação tinha demasiados animais a pastar no círculo central.

«O Sr. Onuora foi despedido por questões disciplinares. Ele andou a dizer nos jornais que precisávamos de tirar uma manada de vacas do relvado para poder treinar a sua equipa. Eu não sei de nenhum campo utilizado pela nossa equipa onde possam ser encontradas vacas», explicou Melaku Ayele, porta-voz da Federação de Futebol da Etiópia, à Reuters.



TVi24

Apunhalado no pescoço na sala de espera do hospital


Um homem foi apunhalado no pescoço na sala de espera de um hospital argentino, enquanto esperava para ser curado de um corte na mão. As câmaras de videovigilância do hospital registaram a agressão. Veja o vídeo.
Segundo conta o El País, Sergio Paravgna, de 22 anos, sobreviveu à agressão, depois de uma intervenção de urgência para estancar a hemorragia.



As imagens mostram que tudo aconteceu muito rapidamente. O agressor entrou na sala de espera do hospital de Santojanni, em Buenos Aires, e após uma pequena hesitação, lançou-se sobre Sergio Paravgna para o agredir no pescoço com uma faca, que trazia escondida dentro do seu casaco, acusando-o de ter querido assaltar o seu salão de beleza. Logo após a agressão, o suspeito pôs-se em fuga, perseguido pelo pai do agredido. Não foi apanhado.
A vítima ficou internada na unidade de cuidados intensivos, com prognóstico reservado.

JN

Noivos austríacos sobem nus ao altar


Noivos austríacos sobem nus ao altar

O casamento aconteceu em Abril e é notícia pelo insólito da cerimónia: Melanie, 26 anos, e Rene Schachner, de 31, casaram-se envergando apenas um chapéu (ele) e um véu (ela)...

A reportagem do casamento feita por uma televisão austríaca pode ser vista no Youtube.


"Não temos vergonha dos nossos corpos. Quisemos fazer uma coisa diferente e assim até poupámos dinheiro", justificou a noiva, citada pelo jornal britânico "Daily Mail".
Mas mesmo assim, a modéstia não lhes faltou. Rene colocou a sua cartola estrategicamente sobre as zonas mais íntimas. E Melanie, entre o véu e o ramo de flores, manteve-se sempre relativamente "coberta".

DN

Em tempo de crise, a moda é casar nu

Quando o mundo anda em pulgas com o casamento de Kate e William de Inglaterra, que fazem a notícia nos media diariamente, eis que outro casal saiu do anonimato e rivalizou nas atenções com os príncipes.

Melanie Schachner e Rene Schachner queriam que o seu casamento ficasse na memória de todos. Dos casamentos costuma recordar-se o vestido da noiva e a comida. Deste os convidados vão recordar-se da falta de uma destas coisas¿.e não consta que alguém se tenha queixado do menu.

Melanie e Rene compareceram perante um conservador civil em Feldkirchen, na Áustria. Melanie levava um véu branco como as noivas tradicionais e uns sapatos de salto, qual cinderela, como todas as noivas, mas, havia algo diferente, ou melhor, faltava algo a esta noiva: o vestido!

Ela com os seios à mostra, ele tal como veio ao mundo, disseram o «sim», conta o «Daily Mail». Uma moda barata em tempo de crise. Kate e William de Inglaterra já disseram que não querem um casamento de Estado, mas não se crê que vão poupar nestes «pormenores».



TVi24

Amputou um dedo para o comer com legumes

Um homem neo-zelandês, de 28 anos, que sofria de depressão, amputou em 2008 um dedo de uma mão e comeu-o cozinhado com legumes, revela este sábado a imprensa local, que cita um estudo psiquiátrico.

Este homem, cujas acções não estiveram relacionadas com o consumo de drogas ou álcool, é um dos oito casos de canibalismo estudados por psiquiatras num estudo publicado na revista especializada «Australasian Psychiatry» e citado pelo «New Herald».

Segundo aquele jornal, o homem amputou o dedo em 2008 depois de ter estado obcecado durante quatro dias com a ideia de cortar os dedos, quando sofria de uma depressão com tendências suicidas e insónias sem acompanhamento médico.



TVi24

Descoberto um novo dinossauro


A reconstituição do dinossauro a partir do crânio
Daemonosaurus chauliodus, como lhe chamaram, era uma peça que faltava para compreender a evolução dos répteis gigantes
Um crânio e meia dúzia de vértebras fossilizados que foram encontrados numa zona do Novo México, nos Estados Unidos, chamada Ghost Ranch (ghost quer dizer fantasma) resultaram na descoberta de uma nova espécie de dinossauro.
Só isso já seria importante, mas este dinossauro carnívoro, que viveu há 205 milhões de anos, no início do período Jurássico, é também uma importante peça que faltava para se poder compreender a ligação entre os dinossauros do período Triássico e os que vieram depois, no Jurássico.

DN