So faltam meses, dias, horas, minutos, e segundos para o ano 2012

Madeleine

Banner1
Click here to download your poster of support

Radio Viseu Cidade Viriato

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Primeira Pagina


Teve seis pares de gémeos e o marido diz que está amaldiçoada


A queniana Gladys Bulinya esteve grávida seis vezes e das seis vezes teve gémeos. Por causa disso, o marido abandonou-a e toda a família deixou de lhe falar. É que, no Quénia, a etnia a que Gladys pertence considera uma maldição ter gémeos. 

A mulher, de 35 anos, vive agora sozinha com 10 dos 12 filhos, numa casa de apenas uma divisão, a poucos quilómetros do lago Victoria, avança a BBC Brasil.

Gladys ficou grávida pela primeira vez, em 1993, ainda adolescente. O namorado de então não assumiu a paternidade e a família aconselhou-a a deixar os bebés no hospital, para adopção. As crianças foram acolhidas pelo avô paterno, que é de uma etnia diferente e que cuida dos jovens desde então. 

Cinco anos depois de ter dado à luz pela primeira vez, casou-se e deu à luz o segundo par de gémeos. Como ter gémeos é considerado um mau agouro, ela foi mandada para casa do pai. 

Mas nem os pais a quiseram e voltaram a casá-la, com um homem 20 anos mais velho, que só aceitou casar com ela, porque já não esperava casar-se na sua idade. 

Mais quatro pares de gémeos se seguiram, até que, em 2010, quando nasceram Purpose e Swin, o marido também a deixou.

TVi 24

Homem preso por ter apontado laser a aeronaves


Um homem foi preso na cidade norte-americana de San Jose, no estado da Califórnia, por ter apontado um laser verde a um avião e a um helicóptero das autoridades.

Segundo relata a edição electrónica do jornal «San Francisco Chronicle», o incidente aconteceu na passada segunda-feira, quando Christopher Bengel, de 24 anos, apontou o laser a partir da rua a um avião privado. 

Um helicóptero das autoridades foi chamado ao local por causa deste incidente e um dos agentes que se encontrava a bordo foi atingido com a luz nos olhos, embora não necessitasse de receber tratamento médico. 

Os agentes a bordo da aeronave conseguiram depois dar instruções a agentes em terra que detiveram Bengel em casa, onde foi encontrada a «arma» do crime. O jovem foi acusado de interferência com uma aeronave em voo. 

Christopher Bengel libertado com uma fiança de 10 mil dólares (7.300 euros), contudo terá de ficar sujeito a prisão domiciliária até ser julgado. 

O uso de lasers contra aeronaves tem vindo a aumentar nos Estados Unidos, com o número deste tipo de incidentes quase a duplicar no ano passado, segundo a Administração Federal da Aviação.


TVi 24

Nova técnica de tratamento para feridas em diabéticos


A investigação permitiu concluir que a metodologia utilizada "potenciou o efeito terapêutico"
Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra desenvolveu uma metodologia que combina células estaminais do sangue do cordão umbilical e células dos vasos sanguíneos.
"É uma descoberta relevante, pode permitir uma solução terapêutica para um problema que tem grande expressão na sociedade actual", disse hoje à agência Lusa Lino Ferreira, coordenador da equipa do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC/Biocant).
Os investigadores descobriram que a utilização de um gel com células estaminais do sangue do cordão umbilical, combinadas com células existentes nos vasos sanguíneos (endoteliais), melhora a cicatrização de feridas crónicas em animais diabéticos.
De acordo com o estudo, publicado na segunda-feira na revista científica internacional PLoS ONE, nas experiências laboratoriais foram utilizados seis ratinhos, os quais apresentavam, cada um, duas pequenas feridas de seis milímetros de diâmetro. O tratamento das feridas, através da aplicação do gel, decorreu ao longo de dez dias, período de tempo em que os animais foram mantidos em espaços individuais, com comida e água e temperatura e humidade controlada. "Não chegou a haver cicatrização completa. Mas houve diminuição da [extensão] das feridas ao longo do tempo", disse Lino Ferreira.
A investigação permitiu concluir que a metodologia utilizada "potenciou o efeito terapêutico", adiantando que a combinação dos dois tipos de células "melhorou a cicatrização das feridas", em comparação com feridas tratadas com gel contendo apenas células estaminais.
Segundo um documento anexo à investigação hoje divulgada, que cita dados do Ministério da Saúde, nos seres humanos, o pé diabético "é um dos exemplos mais significativos de ferida diabética", sendo responsável "por cerca de 70 por cento de todas as amputações efectuadas por causas não traumáticas".

DN

Veja imagens inéditas da casa de Cristiano Ronaldo


Veja imagens inéditas da casa de Cristiano Ronaldo
O arquitecto responsável pela decoração da mansão do jogador em Madrid mostrou imagens num programa da televisão espanhola.
O programa "SuperCasas", da televisão espanhola La Sexta, mostrou imagens exclusivas do interior da casa de Cristiano Ronaldo no luxuoso bairro de La Finca, em Madrid.
Joaquín Torres, o arquitecto responsável pela decoração da casa, contou que o jogador deu muitas dicas e que fez questão de ter as suas iniciais em alguns objectos, assim como uns sofás na sala em forma de C.
"Pediu-nos um piano para a sala. Achei muito curioso. É a primeira vez que um futebolista nos pede um piano", referiu o arquitecto, acrescentando que na altura Cristiano pediu também um quarto de criança.

DN

Piano misterioso aparece num banco de areia


Piano misterioso aparece num banco de areia
As autoridades não sabem explicar a situação. O piano virou uma verdadeira atracção turística nos últimos dias.

Um piano danificado apareceu esta semana num banco de areia na Baía de Biscayne, em Miami, Estados Unidos, a cerca de 200 metros da praia.
O piano, que pesa cerca de 300 quilos, parece ter sido colocado propositadamente no local. Mas as autoridades ainda não arranjaram uma explicação. Há quem diga que se trata de uma publicidade, outros avançam que pode ter servido para a rodagem de um filme.
O porta-voz da guarda costeira de Miami, Nick Amin, disse à AFP que como o piano não representa "nenhum perigo para a navegação e ecossistema, as autoridades não vão intervir".
O departamento de Fauna e Pesca da Flórida também não tenciona fazer nada e o seu porta-voz adiantou que "é provável que quando o piano voltar ao mar os peixes o utilizem como refúgio".

DN

Couve de 4,35 metros cresce há cinco anos


Uma boa conversa é, segundo Luís Cruz, a razão para o crescimento "anormal" daquilo que foi uma pequena couve, plantada junto a um muro de pedra, nas traseiras da habitação, localizada em Barosa, concelho de Leiria.

 
foto HENRIQUES DA CUNHA/GLOBAL IMAGENS
Couve de 4,35 metros cresce há cinco anos
 
Cinco anos depois, a couve cresceu, ultrapassou o muro e "continua viva". Luís Cruz, 65 anos e aposentado da função pública, afiança que a couve mede 4,35 metros e que, agora no Inverno, "cresce cerca de um milímetro e meio por dia", podendo chegar aos dois assim que o tempo aquece.
"A terra é boa. Tem aqui ao lado os restos do jardim, e deve ser isso que ajuda o crescimento" conta Luís, olhando embevecido para a planta.

Amante da natureza, assegura que conversa "muitas vezes" com a couve - tal como as inúmeras palmeiras trazidas de diversos países e que povoam o jardim -, e admite outro tipo de cuidados. "Vou tirando os rebentos, mas deixo sempre um para ela ir crescendo" conta Luís Cruz, explicando que já tirou "centenas de folhas ao longo destes anos", que têm sido aproveitadas, por exemplo, para o caldo-verde.

Segundo o "agricultor" a couve - que ainda não atingiu nenhum recorde de altura, acredita -- deverá aguentar-se "mais um ano". "Estou convencido que quando chegar (a couve) aos seis anos, dá-lhe o "badagaio"" admite, sorrindo e revelando que a data do sexto aniversário será assinalada no final deste ano. "Vamos ver se ela vai aguentando" desabafa.

Para Luís Cruz, a terra e o carinho que dispensa às suas plantas são as razões apontadas para o crescimento "anormal" da couve, e de uma palmeira, com mais de 15 metros de altura e muitos outros de diâmetro, que plantou junto à sua habitação.


JN